Pular para o conteúdo principal

Alunos do Superar abrem desfile de bloco de carnaval em Belo Horizonte
Foto: Divulgação PBH

Alunos do Superar abrem desfile de bloco de carnaval em Belo Horizonte

01/03/2019 | 14:15 | atualizado em 24/05/2019 | 14:54

Composta por alunos do Superar, a ala Sindicato da Inclusão será a responsável pela coreografia e percussão da abertura do desfile do bloco Chama o Síndico, no carnaval de rua de Belo Horizonte. O Superar é um programa da Prefeitura de Belo Horizonte que atende pessoas com deficiência, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.  


A apresentação da ala Sindicato da Inclusão no bloco Chama o Síndico será às 10h, na avenida Abrahão Caram, em frente ao estacionamento do estádio Mineirão, na região da Pampulha. 


Professores, alunos e familiares vão coreografar e fazer percussão em três músicas de Jorge Ben e Tim Maia, cantores homenageados pelo bloco.  


A apresentação é resultado de ensaios realizados durante quase um mês, com duas aulas semanais comandadas por professores do bloco e do Superar, na sede do Centro de Referência Esportiva para Pessoas com Deficiência, uma das oito unidades do Superar.


“Pelo segundo ano consecutivo, os alunos participam do carnaval, iniciativa que, além de contribuir para a melhoria da capacidade motora e física, promove cidadania, uma vez que possibilita às pessoas com deficiência participarem como cidadãos de uma das maiores festas populares do Brasil”, destaca Ingrid Lobo, profissional de educação física e integrante da equipe de coordenação do programa.


Modalidades


O Superar atende mais de 900 alunos com deficiência física, visual, intelectual, auditiva, múltipla e autismo. São realizadas aulas de segunda a sexta-feira em três turnos (manhã, tarde e noite) em 16 modalidades: atletismo, basquetebol, bocha regular, bocha paraolímpica, dança, futsal, goalball, judô, natação, rúgbi em cadeira de rodas, tênis de mesa, voleibol sentado, patinação, percussão, funcional e parataekwondo.


O programa atende no Centro de Referência para Pessoa com Deficiência, no Carlos Prates, e na Escola Municipal de Ensino Especial Frei Leopoldo, no bairro Havaí; e, ainda, em seis núcleos regionalizados: Colégio Marconi, Clube Palmeiras, escolas estaduais de ensino especial Amaro Neves e João Moreira Salles, além das associações de Deficientes Visuais de Belo Horizonte e de Surdos.


Para se inscrever no programa é necessário ter idade superior a seis anos, apresentar laudo comprovando a deficiência e haver disponibilidade de vagas. Os contatos são pelos telefones 3277-4546 e 3277-7681 além do e-mail superar@pbh.gov.br.