Pular para o conteúdo principal

Dois atletas de judô treinam um golpe e instrutor observa.
Foto: Vilma Tomaz/PBH

Alunos do programa Superar disputarão torneio internacional

26/03/2018 | 17:46 | atualizado em 03/04/2018 | 12:39
Promover a inclusão social através do esporte. Com foco nesse objetivo, o programa Superar, desenvolvido pela Prefeitura de Belo Horizonte por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, tem alcançado destaque nacional e internacional. As aulas e treinos oferecidos nos núcleos do Centro de Referência Esportiva para Pessoas com Deficiência, no bairro Carlos Prates, têm, inclusive, preparado alunos para campeonatos no Brasil e no exterior. 
 
No início do mês de abril, será a vez dos alunos Gelbert Wilmerson de Souza Evangelista e Marlon Antônio Pereira de Oliveira, judocas com deficiência intelectual que fazem parte da delegação brasileira de Judô. Os desportistas irão disputar o torneio “World Judô Games 2018 – Judô For All”, em Beverwijk, na Holanda.   
 
O aluno Gelbert está há 20 anos como esportista no programa Superar. De acordo com a artesã Rosa Aparecida de Oliveira, mãe do judoca, a participação do filho na delegação brasileira é um coroamento da sua carreira no programa. Ela enumera com orgulho as conquistas de medalhas do filho nas competições de Corrida de Rua, Natação e Salto. “A prática do Judô foi uma benção para meu filho, pois trouxe para sua vida mais equilíbrio, calma, observação e responsabilidade”, relata. 
 
Também integrante do programa, Marlon Antônio estuda e pratica Judô na parte da manhã na Escola Municipal de Ensino Especial Frei Leopoldo e à tarde trabalha em uma lanchonete de um shopping. “A ida do meu filho para a Holanda, representar o Brasil em um torneio mundial, é um grande incentivo para sua trajetória esportiva, que conta com duas medalhas de ouro em competições de âmbito nacional”, comemora a aposentada Maria Bela de Oliveira Pereira, mãe de Marlon. 
 

Núcleo Frei Leopoldo

Aproximadamente 140 alunos frequentam as aulas de judô por meio do programa Superar na Escola Frei Leopoldo. De acordo com o diretor da escola, Eduardo Nascimento, o judô é o único esporte praticado na escola com treinamento específico para competições e os resultados são positivos: dos três atletas mineiros da delegação brasileira deste ano, dois são do núcleo da Escola. O coordenador do programa Superar da Escola Frei Leopoldo, Fabricio Coutinho Januário, assinala que o Judô tem atraído muitos alunos com deficiência por proporcionar a melhoria da coordenação geral e valorizar princípios como respeito e disciplina, além de estimular a interação entre os alunos. 
 

Programa Superar

Além do Judô, nos núcleos do programa Superar 700 alunos têm oportunidade de frequentar aulas de atletismo, basquetebol, tênis de mesa, bocha regular e paralímpica, voleibol sentado, dança, futsal, goalball, natação, patinação e rúgbi em cadeira de rodas.
 
Para se inscrever é necessário que o interessado tenha endereço fixo em Belo Horizonte e apresente laudo médico. A inscrição será validada mediante a existência de vaga.
 

Contatos

Núcleo Superar da Escola Municipal de Ensino Especial Frei Leopoldo, coordenansfl@yahoo.com.br, 3277-6880 e 3246-6076.
Centro de Referência Esportiva para Pessoa com Deficiência superar@pbh.gov.br, 3277-4546/ 7681