Pular para o conteúdo principal

Sete alunas da Academia da Cidade Confisco partipam de encontro sobre plantas alimentícias não convencionais.
Foto: Divulgação PBH

Alunos da Academia da Cidade conhecem plantas diferentes

15/12/2017 | 11:28 | atualizado em 15/12/2017 | 11:30

Você já ouviu falar sobre as PANCs? PANCs é a sigla para denominar Plantas Alimentícias Não Convencionais, ou seja, aquelas plantas que, embora tenham um alto valor nutricional, não são muito comuns na nossa alimentação. Há várias espécies de PANCs, como o dente-de-leão, a tanchagem, a beldroega, a taioba, o lírio-do-brejo, entre outras. Tem ainda flores comestíveis, castanhas, cereais e frutas diversas.

 

Com o objetivo de estimular um maior cuidado com a saúde e a melhora da alimentação através do consumo de hortaliças variadas que podem ser cultivadas em casa, as educadoras físicas da Academia da Cidade Confisco, Aline Paiva e Carolina Rodrigues, juntamente com a nutricionista do NASF Pampulha, Suellen Fabiane Campos, realizaram, em dezembro, no CRAS Confisco, um encontro que teve a participação de cerca de 80 pessoas da comunidade.

 

A educadora física Aline Paiva explicou que a ideia era promover a aproximação do saber popular com o saber científico em relação às PANCs, suas características, propriedades e possibilidades de utilização. 

 

Para promover a interação do grupo, os usuários trouxeram várias mudas, como taioba, bertalha, ora-pro-nobis, peixinho, malvarisco, beldroega, hortelã pimenta e caninha de macaco para trocar com os colegas. A atividade teve ainda a participação de Nathália, Andréa e Thaís, voluntárias da área de nutrição, que colaboraram com a organização do evento e com a disponibilização de mudas das hortaliças.

 

A aposentada Maria Raymunda Diniz frequenta a Academia da Cidade no Confisco há cerca de seis anos. Ela contou que achou muito interessante participar da atividade porque não conhecia essas espécies. “São várias plantas diferentes. Tenho uma hortinha aqui em casa e peguei algumas mudas para plantar, a jacatupé e a azedinha, que servem para saladas e sucos.”

 

Este não foi o primeiro encontro do grupo para falar sobre este tema. Já havia ocorrido um anteriormente em que a nutricionista Suellen Fabiane orientou sobre a importância de utilizar as PANCs na alimentação e distribuiu receitas com essas hortaliças como ingredientes.  “Foi possível perceber que muitos alunos conheciam várias dessas plantas e até as possuíam em casa. A partir daí, surgiu a ideia de criar um segundo momento, no qual eles pudessem ter acesso a mais informação e também trocarem as mudas de PANCs entre si”, contou Aline.

 

Para as organizadoras dos encontros, o resultado foi positivo. “Foi uma maneira de diversificar e enriquecer nossa alimentação, favorecendo também a economia familiar”, disseram.