Pular para o conteúdo principal

Seis agentes da Guarda Municipal feminina, uniformizadas, com panfleto educativo sobre assédio sexual.
Foto: Divulgação PBH

Agentes da Guarda Municipal e da CBTU promovem ação educativa no metrô de BH

06/02/2019 | 17:37 | atualizado em 06/02/2019 | 17:37

O Grupo contra o Assédio Sexual a Mulheres no Transporte Público, composto por agentes femininas da Guarda Municipal de Belo Horizonte e da BHTrans, se uniu à equipe da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU-BH), nesta quarta-feira, dia 6, para realizar mais uma ação educativa de combate à importunação sexual, dessa vez no metrô de Belo Horizonte. As abordagens às passageiras tiveram início às 9h e se estenderam até as 11h, nas plataformas de embarque localizadas entre as estações Central e Eldorado.

 

A aproximação do Carnaval é um fator que está sendo levado em conta para a intensificação da campanha, já que no período aumenta consideravelmente o número de eventos com grande concentração de pessoas em espaços públicos. “Queremos não somente alertar as mulheres sobre quais atitudes configuram crime de importunação sexual, mas principalmente incentivá-las a romper o silêncio e denunciar os autores”, explica a guarda municipal Aline Oliveira.

 

Durante a ação educativa desta quarta, as agentes da Guarda Municipal e CBTU embarcaram no metrô e percorreram os vagões, distribuindo cerca de 300 apitos e folhetos como a rede de serviços disponível para denunciar os casos de assédio, como o telefone 153 da Guarda Municipal, o 190  da Polícia Militar e o SMS Denúncia do Metrô (31) 9 9999-1108. Mesmo apressadas, as mulheres abordadas fizeram questão de pegar o material e de ouvir as orientações das agentes. Outras abordagens serão realizadas pelas guardas municipais no decorrer deste mês.

 

Números

O Grupo Contra o Assédio Sexual a Mulheres no Transporte Público foi criado pela Prefeitura de Belo Horizonte em setembro de 2018 para incentivar as vítimas a denunciarem os abusadores, já que a subnotificação era muito alta. Desde então foram distribuídos mais de três mil apitos e cartilhas, durante ações realizadas em estações do BHBus, praças, nos diversos departamentos da Prefeitura e em empresas que prestam serviços para o Município.

 

A estrutura disponibilizada para garantir à mulher o apoio necessário ao sofrer o assédio conta, além da Guarda Municipal e da BHTrans, com o Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH), agilizando o registro da denúncia e o encaminhamento do acusado de importunação sexual à Delegacia de Mulheres.

 

Desde o início da campanha foram registrados pela Guarda Municipal sete casos de importunação sexual, sendo que três deles tiveram a utilização do botão do assédio, dispositivo que passou a funcionar nos ônibus a partir de novembro. Os registros resultaram na prisão de seis autores.

Ouça este conteúdo

Últimas Notícias

Cerca de dez servidores trabalhando em meio às obras e construções. Vilas São Tomaz e Aeroporto passam por transformação após retomada de obras

As obras do Programa Vila Viva nas vilas São Tomaz e Aeroporto, localizadas na região Norte da Capital, foram retomadas pela Urbel

20/02/2019 | 16:33
vista de cima do viaduto da lagoinha Consulta pública vai avaliar propostas de requalificação de baixios de viadutos

A Prefeitura publicou a consulta pública que visa a avaliar propostas que busquem a requalificação dos baixios de sete viadutos.

19/02/2019 | 19:08