Pular para o conteúdo principal

Ações da Saúde conscientizam foliões durante o Carnaval
Foto: Divulgação/PBH

Ações da Saúde conscientizam foliões durante o Carnaval

03/03/2019 | 19:42 | atualizado em 24/05/2019 | 15:24

Em meio à folia do Carnaval, a saúde não pode ficar em segundo plano. Os cuidados para evitar as Infecções Sexualmente Transmissíveis - HIV/Aids, hepatites e sífilis, devem ser redobrados. O preservativo é a forma mais eficaz de se proteger dessas doenças. E a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, irá distribuir, até o dia 5/3, preservativos e material informativo nos blocos Corte Devassa, Garotas Solteiras, Alô Abacaxi, Truck do Desejo, Beiço do Wando, Lua de Cristal e Chama o Síndico.

 

As ações de prevenção e conscientização tiveram início já no pré-carnaval de Belo Horizonte. No total, considerando o pré e o carnaval, serão mais de 600 mil preservativos distribuídos para foliões somente nos blocos e, ao todo, cerca de 1,5 milhão para abastecer a rede pública de saúde, além de empresas da iniciativa privada e Organizações Não Governamentais (ONGs).

 

Pós Carnaval

Para garantir o atendimento à população após o Carnaval, haverá uma intensificação na oferta e orientações sobre Profilaxia Pós Exposição Sexual, do dia 6/3 ao 10/3 nas UPAs, no Centro de Treinamento e Referência em Doenças Infecto-Parasitárias Orestes Diniz (alameda Vereador Álvaro Celso, 241, Santa Efigênia), no Centro de Testagem e Aconselhamento/ Serviço de Assistência Especializada Sagrada Família (rua Joaquim Felício, 141, Sagrada Família) e na Unidade de Referência Secundária Centro-Sul (rua Paraíba, 890, Funcionários).

 

A Profilaxia Pós Exposição Sexual é um coquetel, indicado para pessoas que tiveram contato sexual com portadores considerados de risco para a doença, conforme fluxos pré-estabelecidos de atendimento. Para ser atendido e receber o medicamento, o paciente deve passar por consulta médica em um dos serviços citados acima e, de acordo com a situação, será encaminhado imediatamente para receber a primeira dose do medicamento, além da quantidade necessária para prosseguir o tratamento durante os outros 27 dias.

 

Febre Amarela

Outra ação preventiva da Prefeitura de Belo Horizonte é com relação à febre amarela. Foram distribuídos em hotéis da capital material informativo a respeito da doença e formas de prevenção. A orientação é que quem ainda não se vacinou contra a febre amarela, seja morador de Belo Horizonte ou turista, deve evitar áreas de parques e matas como, por exemplo o Parque das Mangabeiras e o Zoológico.

 

Para que a pessoa fique protegida, a vacina deve ser tomada no mínimo 10 dias antes da possível exposição ao mosquito. A vacina contra a Febre Amarela faz parte do calendário de vacinação e está disponível durante todo o ano nos 152 Centros de Saúde da capital.