Pular para o conteúdo principal

Artista vestida de palhaço
Foto: Junior Viegas

15ª edição do FITBH homenageará o teatro e o teatro de Rua da capital

criado em 24/10/2022 - atualizado em 24/10/2022 | 16:55

O Festival Internacional de Teatro, Palco e Rua de Belo Horizonte (FIT-BH) retoma suas atividades na capital após um hiato causado pela pandemia. Realizada pela Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com o Instituto Odeon e produção da Rubim Produções, a 15ª edição marca o comemorado reencontro entre o público, grupos e artistas com o Festival e um tributo ao Teatro da cidade, reconhecido como patrimônio cultural imaterial de Belo Horizonte.  o FITBH 2022 envolverá a cidade em diversas atrações com grupos e coletivos de teatro local, nacional e internacional, entre os dias 5 e 11 de novembro, com uma programação múltipla e diversa, ocupando teatros, ruas e espaços alternativos da capital. As atrações serão oferecidas a preços populares ou com entradas gratuitas.

 

O FIT BH 2022 receberá mais de 30 montagens teatrais, de grupos e artistas de Belo Horizonte e Região Metropolitana e de diferentes estados brasileiros. Em destaque, ainda, espetáculos internacionais inéditos em Minas Gerais. Além disso, o Festival apresenta pela primeira vez montagens em transmissão on-line - em paralelo à programação presencial -, ampliando o acesso do público e rompendo barreiras geográficas. Além das mostras com recorte da cena contemporânea e da Mostra Cena em Tela, serão oferecidas atividades de formação, de pesquisa e criação (Territórios dos Saberes e Ocupação João das Neves), exposição e rodadas de negócios e networking.

 

Para a secretária Municipal de Cultura, Eliane Parreiras, a realização do FIT BH é uma celebração, pela Prefeitura de Belo Horizonte, da diversidade e pluralidade do teatro e a importância do movimento teatral que escreve a história da cidade. “Estamos muito felizes em oferecer ao público mais uma edição do FIT BH, com uma programação plural e descentralizada e oportunidades de formação e reflexão. Mas, mais que isso, é o reconhecimento da importância do fazer teatral para a democratização da cultura, para a formação de público, para ocupação dos espaços públicos e para a criação de vínculos com a cidade”, comemora.

 

A presidente da Fundação Municipal de Cultura, Luciana Féres, destaca a importância da valorização do Teatro e do Teatro de Rua de Belo Horizonte na programação do FIT BH. “O fato de o Teatro ser reconhecido como patrimônio cultural de nossa cidade demonstra sua importância e significado para a sociedade. É realmente uma alegria e uma grande conquista essa 15ª edição do FIT BH destacar o Teatro e o Teatro de Rua de Belo Horizonte por meio das homenagens e participação dos artistas da cidade. Trata-se da valorização da produção artística local das artes cênicas, atividades que projetaram a cidade nacional e internacionalmente. A retomada da cidade pela Cultura merece celebração e o FIT BH é uma grande oportunidade para marcar este momento. O Festival reflete o caráter multicultural de nossa cidade e reafirma o compromisso de potencializar a cena artística contemporânea em Belo Horizonte”, destaca.

 

A curadoria do 15º FIT BH ficou a cargo de três profissionais com trajetórias bastante consolidadas em suas áreas de atuação: a atriz, curadora e diretora artística Andreia Duarte; o professor e pesquisador Marcos Alexandre; e a atriz, diretora e professora Yara de Novaes. A proposta da curadoria é trazer reflexões sobre as faces diversas e plurais dos “Brasis” e “Américas Latinas”. “Esta edição pretende refletir sobre a memória como um saber que posiciona a identidade e a luta, fortalecendo os movimentos negros, indígenas, femininos, transgêneros em uma discussão estética política”, destaca a curadoria.

 

Diversidade e descentralização

 

A 15ª edição do FIT BH traz a diversidade e a descentralização das produções teatrais como pontos fortes e de destaque da programação. Assim, ao lado de produções locais, espetáculos de estados como o Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Bahia, Ceará, São Paulo e Paraíba, além de produções da Argentina, do Chile e do México.

 

A descentralização proposta pelo Festival também se dará nos locais de apresentação. O FIT BH 2022 ocupará espaços - entre teatros, ruas e locais alternativos -, em diferentes regionais da capital. Serão apresentados espetáculos, por exemplo, nos Grandes Teatros do Sesc Palladium e Palácio das Artes (Centro), no Viaduto Santa Tereza (Centro), no Teatro Raul Belém Machado (Alípio de Melo), nos Centros Culturais de Venda Nova e Padre Eustáquio, no Kilombo Manzo e na Praça do Cardoso, ambos no Aglomerado da Serra, além de espaços de grupos como Pierrot Lunar, ZAP 18 e Galpão Cine Horto, entre outros.

 

Cortejo de Abertura

 

O tão aguardado retorno das atividades do FIT BH merece uma celebração à altura. Por isso, a abertura do Festival será marcada por um grande cortejo, que contará com a presença dos homenageados Conceição Evaristo e Ailton Krenak.

 

O desfile, gratuito e festivo, sairá da Praça Sete com destino ao baixio do Viaduto Santa Tereza, sob o comando dos multiartistas Maurício Tizumba e Marcelo Veronez. Integrarão o espetáculo de abertura tradicionais Blocos de Carnaval da cidade, além do Grupo Tambor Mineiro e das Guardas de Nossa Senhora do Rosário e da Irmandade Estrela do Oriente, reunindo em torno de 900 pessoas.

 

Homenagens

 

Em sua 15ª edição, o FIT BH reverencia tanto importantes nomes da cultura brasileira de repercussão internacional, quanto ícones da cena teatral da capital mineira. São eles: a escritora Conceição Evaristo, o escritor e líder indígena Ailton Krenak, o diretor e dramaturgo João das Neves, o cenógrafo e figurinista Raul Belém Machado e o fotógrafo Guto Muniz.

 

Conceição e Ailton, participam de uma conversação com o público, no Teatro Francisco Nunes, mediada pela pesquisadora Elaisa de Sousa e pela escritora Júlia Onça, com intervenção artística do ator e diretor Lucas Costa. A proposta é apresentar um diálogo transversal com os homenageados, acerca de temas como terras, humanidades, enfrentamento das opressões e a vivência e permanência da ancestralidade em suas produções. Após esse evento, os dois homenageados participam também do Cortejo de abertura do FIT BH.

 

João das Neves ganhará uma Ocupação e Residência Artística e Conversação na Funarte-MG. Já Raul Belém Machado ganhará uma Imersão Criativa no Centro de Referência das Juventudes Negras, sob a coordenação das encenadoras convidadas Marina Arthuzzi e Lira Ribas. A atividade contará também com acervo histórico de figurinos de Raul. Por fim, o fotógrafo Guto Muniz terá uma exposição itinerante com cenografia criada para área interna de um ônibus - dedicada aos seus 35 anos de trabalho com a fotografia de espetáculos, homenageando grupos teatrais da cidade.