Pular para o conteúdo principal

Foliões e músicos se divertem no Bloco Alô Abacaxi
Foto: Julia Lanari/Belotur

Moradores e visitantes fazem balanço positivo do Carnaval

19/02/2018 | 11:08 | atualizado em 07/03/2018 | 20:07

Com o objetivo de traçar o perfil dos visitantes e moradores de Belo Horizonte que participaram do Carnaval em 2018, a Belotur contratou uma pesquisa sobre o assunto entre os dias 9 e 14 de fevereiro. Coordenada pelo Observatório do Turismo e realizada pela empresa Gênesis, vencedora do processo de licitação, foram entrevistados 1600 foliões sendo possível levantar dados socioeconômicos, hábitos de consumo e gastos do folião, avaliação da infraestrutura, bem como sua satisfação em relação ao evento.
 

De acordo com a pesquisa, a maioria dos visitantes (80,4%) e dos moradores (77,7%) avaliou que o Carnaval superou ou atendeu plenamente suas expectativas, manifestando alta satisfação com a experiência vivida na cidade, dados superiores aos de 2017 (visitantes 78,6% e moradores 76,8%). Entre os visitantes que declararam ter participado em edições anteriores, 77% afirmaram que o evento melhorou, número também superior ao de 2017 (63,3%), e mais de 89% têm a intenção de retornar em 2019.
 

Ainda de acordo com o estudo, Belo Horizonte contou com um número recorde de visitantes. Participaram do evento, por dia, 867 mil pessoas, em média, sendo que cerca de 80% desse montante era de moradores e 20% de visitantes. A maioria dos visitantes veio do interior de Minas Gerais, seguido pelos estados de São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro. O aumento da presença de turistas na cidade foi de 15,7% em relação a 2017 e, quando comparado a 2016, o aumento foi de 79,2%, aproximadamente.
 

Os visitantes pernoitaram, em média, 5,1 dias, um aumento expressivo em relação a 2017, quando a média de permanência na cidade foi de 3,6 dias. O gasto médio, per capita, desses visitantes, foi de R$ 933,70 durante todo o evento, gerando receita turística direta para Belo Horizonte estimada em R$ 160,9 milhões, o que significa um aumento de 194% no período de 2016 a 2018.
 

Já os moradores apresentaram um gasto médio de R$ 228,00 durante o Carnaval, gerando receita direta estimada em R$ 158,5 milhões. Aplicados os efeitos multiplicadores na economia da cidade, a Belotur estima uma geração de receita de R$ 641 milhões no período da pesquisa, valor 20% superior ao de 2017.
 

No setor hoteleiro a movimentação financeira superou os R$ 8 milhões. A taxa média da ocupação foi de 61,18%, aumento de 14,7% em relação a 2017, com pico de 85,14% no dia 11 de fevereiro. Os dados se referem a 13 meios de hospedagem localizados na regional Centro-sul de Belo Horizonte onde se concentrou a maioria dos blocos de rua e número de foliões.
 

Os números da pesquisa estão em linha com os da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Minas Gerais (ABIH/MG), que apurou uma média de ocupação de 65% na Região Centro-Sul (onde alguns hotéis atingiram 100% de ocupação) e de 53% nos estabelecimentos de toda a cidade.
 

A entidade verificou, ainda, que a estratégia de descentralização dos blocos e festas por toda a cidade, fortalecida em 2018 pela PBH, se refletiu positivamente em todas as regiões, com hotéis de fora da região Centro-Sul operando acima dos 50% de ocupação. No total, o levantamento, que englobou 49 empreendimentos hoteleiros em toda a cidade (representando 47% dos quartos disponíveis), contabilizou um crescimento de 15% na taxa de ocupação em relação a 2017.
 

A Pesquisa Carnaval 2018, apurou ainda que a maioria dos turistas se hospedou em casas de amigos e parentes (76,7%), seguidas de hotéis (16,7%) e casa própria ou alugada (5,8%). O percentual de visitantes em meios de hospedagem foi 70% superior ao de 2017, que foi de 9,8%.
 

No setor de alimentação, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes registrou um aumento de 15 a 20% no faturamento em comparação a 2017. O número engloba estabelecimentos próximos aos locais de desfile dos blocos de rua, mas leva em conta apenas bares e restaurantes que já abriram no ano passado. Considerando aqueles que passaram a abrir as portas apenas no Carnaval de 2018, entretanto, o crescimento no volume financeiro movimentado no setor ultrapassou os 20%.

 

Satisfação

A pesquisa analisou também o grau de satisfação dos entrevistados com o Carnaval de Belo Horizonte 2018. A avaliação geral do evento, em uma escala de zero a dez pontos, atingiu o valor de 8,6 pontos na opinião do turista e 8,3 pelos moradores, avaliações superiores às de 2017 (8,1 e 8,3, respectivamente).
 

Ampliando o escopo de perguntas da pesquisa – e seguindo padrão internacional estipulado pela Organização Mundial do Turismo – os visitantes foram questionados sobre o principal motivo de viagem a Belo Horizonte no período da entrevista, ou seja, motivo sem o qual a viagem não teria acontecido. O lazer foi apontado como o principal motivo por 81% dos visitantes, sendo que, desses, 97,3% vieram motivados pelo Carnaval.
 

A pesquisa completa poderá ser acessada pelo site da Belotur no dia 5 de março.

Ouça este conteúdo

Últimas Notícias

Mapa de opéração de trânsito e transportes no entorno do Mineirão para Show Turnê Amigos 20 Anos, com início às 16h do dia 20/7.  Entorno do Mineirão tem operação especial para show no sábado, dia 20/7

BHTrans realiza operação de transporte e trânsito no entorno do Mineirão para Show Turnê Amigos 20 Anos, com início às 16h do dia 20. 

19/07/2019 | 17:11
Duas crianças jogam pebolim ao ar livre. BH é da Gente oferece oficinas recreativas e faz ações de saúde no dia 21/7

Oficinas recreativas e ações de saúde e combate ao trabalho infantil fazem parte da programação de domingo do programa. 

18/07/2019 | 20:26