Pular para o conteúdo principal

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19

criado em 18/01/2021 - atualizado em 30/09/2022 | 13:57

Aqui você vai encontrar informações, tirar dúvidas sobre a campanha e acompanhar o andamento da imunização na cidade.

 

Informação sobre atualização dos dados:
Os locais de vacinação são dinâmicos e passam por alterações diariamente por questões de logística para evitar aglomeração do público. Os usuários devem ficar atentos e sempre checar os locais antes de se deslocar aos endereços, que devem sempre ser verificados neste portal. A Secretaria Municipal de Saúde orienta que o usuário se vacine no dia da convocação. Caso a pessoa se dirija às unidades em data posterior, está sujeita a enfrentar filas. 
 

 

 

CRONOGRAMA:

 

De segunda a sexta: 
 

Repescagem para grupos prioritários e faixas etárias que já foram convocados, inclusive público infantil, seja para aplicação de primeira ou segunda dose, reforço e adicional, quarta ou quinta dose. Os locais, critérios e documentos necessários para a vacinação de cada público podem ser consultados nesta página em: “PRIMEIRA OU SEGUNDA DOSE - POR IDADE”, “DOSE DE REFORÇO”, “4ª DOSE”, “PESSOAS COM ALTO GRAU DE IMUNOSSUPRESSÃO” ou “VACINAÇÃO INFANTIL”.
 

 

 

 

PESSOAS COM ALTO GRAU DE IMUNOSSUPRESSÃO

 

5ª DOSE 

18 anos e mais

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

Para que as pessoas com alto grau de imunossupressão possam receber a dose adicional é necessário ter tomado a última dose de reforço há pelo menos 4 meses. Seguindo as orientações do Ministério da Saúde, estão elegíveis para a vacinação os usuários nas condições abaixo:

- Imunodeficiência primária grave;
- Quimioterapia para câncer;
- Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;
- Pessoas vivendo com HIV/Aids;
- Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
- Uso de drogas modificadoras da resposta imune, como Metotrexato, Leflunomida, Micofenolato de mofetila, Azatiprina, Ciclofosfamida, Ciclosporina, Tacrolimus, 6-mercaptopurina, Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe) Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe).
- Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias;
- Pacientes em hemodiálise;
- Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

 

No momento da vacinação, o público precisa seguir as seguintes orientações:
 

- Apresentar o cartão de vacinação;
- Apresentar documento de identificação com foto e CPF;
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias; 
- Apresentar um comprovante, podendo ser utilizado: laudos, declarações, prescrições médicas ou relatórios médicos com descritivo ou CID da doença ou condição de saúde (emitidos em até 12 meses antes da data do cadastro), assinado e carimbado, em versão original.

 

4ª DOSE

17 a 12 anos

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

Para que os adolescentes com alto grau de imunossupressão possam receber a dose adicional é necessário ter tomado a última dose de reforço há pelo menos 4 meses. Seguindo as orientações do Ministério da Saúde, estão elegíveis para a vacinação os usuários nas condições abaixo:

- Imunodeficiência primária grave;
- Quimioterapia para câncer;
- Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;
- Pessoas vivendo com HIV/Aids;
- Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
- Uso de drogas modificadoras da resposta imune, como Metotrexato, Leflunomida, Micofenolato de mofetila, Azatiprina, Ciclofosfamida, Ciclosporina, Tacrolimus, 6-mercaptopurina, Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe) Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe).
- Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias;
- Pacientes em hemodiálise;
- Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

 

No momento da vacinação, o público precisa seguir as seguintes orientações:
 

- Apresentar o cartão de vacinação;
- Apresentar documento de identificação com foto e CPF;
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias; 
- Apresentar um comprovante, podendo ser utilizado: laudos, declarações, prescrições médicas ou relatórios médicos com descritivo ou CID da doença ou condição de saúde (emitidos em até 12 meses antes da data do cadastro), assinado e carimbado, em versão original.

 

 

 

VACINAÇÃO INFANTIL

Crianças de 3 e 4 anos, com e sem imunossupressão 

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

Neste momento a CoronaVac é aplicada em crianças de 3 e 4 anos.

 

Seguindo as orientações do Ministério da Saúde, estão elegíveis para se vacinar as crianças de 3 e 4 anos com as seguintes imunossupressões:

• Imunodeficiências congênitas

• Imunodeficiência Adquirida – HIV/aids

• Imunodeficiências devido ao câncer ou à imunodepressão terapêutica

• Transplantes de órgãos sólidos

• Transplante de células-tronco hematopoiéticas (medula óssea)

• Comunicantes suscetíveis imunodeprimidos de pacientes com doenças transmissíveis

• Asplenia anatômica ou funcional, hemoglobinopatias,  doenças de depósito e outras condições associadas à disfunção esplênica

 

Para se vacinar, as crianças devem estar acompanhadas de pais ou responsáveis e apresentar, preferencialmente, o documento de identificação com foto ou certidão de nascimento, CPF, comprovante de endereço e cartão de vacina.
 

Caso o acompanhamento seja por terceiros, é necessário apresentar o termo de autorização para vacinação, devidamente preenchido e assinado pelos pais ou responsáveis.
 

Seguindo as orientações do Ministério da Saúde, estão elegíveis para se vacinar as crianças com as comorbidades disponibilizadas neste link. Para a aplicação, a orientação é que apresente um comprovante, podendo ser utilizado: laudos, declarações, prescrições médicas ou relatórios médicos com descritivo ou CID da doença ou condição de saúde (emitidos em até 12 meses antes da data da vacinação), assinado e carimbado, em versão original.
 

REQUISITOS:
- Ter 3 e 4 anos completos até a data da vacinação.
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.
- Ser imunocomprometida, conforme definição do Ministério da Saúde.
 

Crianças de 5 a 11 anos, com e sem comorbidades 

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

Para se vacinar, as crianças com ou sem comorbidades devem estar acompanhadas de pais ou responsáveis e apresentar, preferencialmente, o documento de identificação com foto ou certidão de nascimento, CPF, comprovante de endereço e cartão de vacina. 

Caso o acompanhamento seja por terceiros, é necessário apresentar o termo de autorização de para vacinação, devidamente preenchido e assinado pelos pais ou responsáveis. 

Seguindo as orientações do Ministério da Saúde, estão elegíveis para se vacinar as crianças com as comorbidades disponibilizadas neste link. Para a aplicação, a orientação é que apresente um comprovante, podendo ser utilizado: laudos, declarações, prescrições médicas ou relatórios médicos com descritivo ou CID da doença ou condição de saúde (emitidos em até 12 meses antes da data da vacinação), assinado e carimbado, em versão original.

 

REQUISITOS:

- Ter 5 a 11 anos completos até a data da vacinação.
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

 

 

 

 

4ª DOSE

40 anos e mais 

 

- quarta dose para pessoas de 40 anos e mais, completos até esta data, com pelo menos quatro meses desde o recebimento da terceira dose.

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

Trabalhadores de saúde 18 anos e mais

 

- quarta dose para trabalhadores da saúde de 18 anos ou mais, completos até esta data, e com pelo menos 4 meses desde o recebimento da terceira dose

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

É preciso apresentar o cartão de vacina, documento de identidade, CPF e documento que comprove ser trabalhador em atividade em estabelecimentos de saúde de Belo Horizonte, como por exemplo, o registro no conselho profissional (para profissionais de saúde) ou documento que comprove a vinculação ativa do trabalhador com serviço de saúde localizado em Belo Horizonte por meio da apresentação de:
 
- Comprovante de pagamento (contracheque); ou
 - Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) com especificação da função; ou
 - Contrato de trabalho; ou
 - Relatório do CNES; ou
 - Declaração de Imposto sobre a Renda; ou
 - Declaração de vinculação ativa como trabalhador de saúde emitida pelo serviço de saúde.

 

Veja aqui os profissionais da saúde elegíveis para receber a dose,  de acordo com a NT 37/2022 do Ministério da Saúde

 

 

 

 

DOSE DE REFORÇO 

Adolescentes de 17 a 12 anos

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO
 

*Para receber a dose de reforço é necessário apresentar o cartão de vacinação e ter recebido a segunda dose no prazo de 4 meses.

*Para se imunizar, os adolescentes de 15 a 12 anos precisam estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais ou apresentar autorização por escrito dos pais ou responsáveis legais.

GESTANTES E PUÉRPERAS A PARTIR DE 12 ANOS

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO 

 

*Só poderão tomar a dose de reforço gestantes e puérperas a partir de 12 anos, cuja segunda dose tenha completado 4 meses. Para que os usuários possam tomar a dose de reforço é necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade e CPF.

 

No momento da vacinação as gestantes devem apresentar a prescrição médica para receberam a dose de reforço, conforme na Nota Técnica publicada pelo Ministério da Saúde

 

REQUISITOS:

- Ter a partir de 12 anos com a aplicação da dose de reforço;
- Ser cidadão residente de Belo Horizonte;    
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

 

18 anos e mais

As pessoas com idade de 18 a 39 anos que receberam a primeira dose da Janssen podem tomar o primeiro reforço dois meses após a primeira aplicação e uma segunda dose de reforço quatro meses após a aplicação da primeira dose de reforço. 

Já as pessoas a partir de 40 anos que receberam a primeira dose de Janssen, a orientação do Ministério da Saúde é receber uma dose de reforço dois meses após a primeira aplicação e ainda uma segunda dose de reforço quatro meses após o primeiro reforço, e uma terceira dose de reforço quatro meses após a segunda dose de reforço.

 

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

*Só poderão tomar a dose de reforço pessoas de 18 anos e mais vacinados com Coronavac, Pfizer ou Astrazeneca cuja segunda dose tenha completado 4 meses. Para que os usuários possam tomar a dose de reforço é necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade, CPF.

 

REQUISITOS:

- Ter 18 anos e mais com a aplicação da dose de reforço;
- Ser cidadão residente de Belo Horizonte;    
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

 

Pessoas que iniciaram o esquema vacinal com Janssen

Para as pessoas que iniciaram o esquema vacinal com Janssen, o Ministério da Saúde determinou as seguintes doses e prazos: 

 

Pessoas acima de 40 anos:

Dose única:

1ª dose de reforço – 2 meses após a dose única

2ª dose de reforço – 4 meses após a 1ª dose de reforço

3ª dose de reforço – 4 meses após a 2ª dose de reforço

 

Pessoas com idade entre 18 e 39 anos:

Dose única :

1ª dose de reforço – 2 meses após a dose única

2ª dose de reforço – 4 meses após a 1ª dose de reforço

 

Pessoas acamadas devem aguardar o contato das equipes da Secretaria Municipal de Saúde para o agendamento de horário.

 

 

 

 

PRIMEIRA OU SEGUNDA DOSE - POR IDADE

12 a 17 anos

 

Para tomar a vacina é necessário apresentar documento de identificação com foto e CPF.  Apenas os adolescentes de 12 a 15 anos precisam estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais, ou apresentar o TERMO DE AUTORIZAÇÃO PARA VACINAÇÃO devidamente preenchido.

 

PRIMEIRA OU SEGUNDA DOSE:  

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

 

 

 

REQUISITOS:
 
- Ter de 12 a 15 anos completos até a data da vacinação;
- Ser cidadão residente de Belo Horizonte;
- Apresentar documento de identificação com foto e CPF;
- Não ter recebido vacina contra a Covid-19;
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

 

18 anos e mais

PRIMEIRA OU SEGUNDA DOSE:

CONSULTAR LOCAIS DE VACINAÇÃO

 

 

 

REQUISITOS:

- Pertencer ao grupo convocado;
- Ser cidadão residente de Belo Horizonte;  
- Apresentar documento de identificação com foto e CPF;    
- Não ter recebido vacina contra a Covid-19;
- Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

 

 

 

 

PESSOAS ACAMADAS OU COM MOBILIDADE REDUZIDA

CADASTRO PARA PESSOAS COM MAIS DE 18 ANOS 

A Prefeitura de Belo Horizonte está cadastrando pessoas acamadas ou com mobilidade reduzida, para receber a vacinação em casa. O cadastro é para o público maior de 18 anos, que ainda não tenha se cadastrado para receber a primeira dose.

 

Atenção: a vacinação obedecerá o mesmo cronograma por idade divulgado pela Prefeitura, não sendo realizada a imunização imediatamente após o cadastro, caso não esteja no momento de vacinação da faixa etária correspondente.

 

QUERO FAZER O CADASTRO

 

Após o cadastramento e ao chegar o momento de vacinação conforme a idade divulgada no cronograma, a Prefeitura de Belo Horizonte realizará contato por telefone para realizar o agendamento da data da vacinação em domicílio, sendo importante que se aguarde esse retorno. Nesse telefonema, o agente irá informar os dados registrados no cadastro (nome, nome da mãe, CPF, data de nascimento, endereço, telefone e, o mais importante, o local de opção para a vacina). Não serão realizadas perguntas para que a pessoa informe, pelo telefone, novamente, os dados pessoais.

 

Alerta sobre tentativa de golpe
 

A Prefeitura de Belo Horizonte informa que as visitas das equipes de vacinação contra a Covid-19 são agendadas via ligação telefônica, após a realização do cadastro. As equipes de vacinação já estão em campo, mas a Prefeitura alerta que os moradores da capital não devem abrir a porta ou receber nenhuma pessoa que diga ser da Prefeitura, sem o horário estar marcado e sem as devidas identificações.

 

Mensagens com um cronograma de datas e idades de pessoas a serem vacinadas que estão circulando pelas redes sociais são falsas. Qualquer informação sobre a campanha em Belo Horizonte pode ser acessada no Portal da Prefeitura. A Prefeitura não envia códigos para celulares ou aplicativos de mensagem solicitando confirmação ou senhas de qualquer natureza.

 

 

 

 

APLICAÇÃO DAS VACINAS: 29 DE SETEMBRO DE 2022

  

47(1)

 

7.238.544

56(2) 

 

5.975.806(3)

45(4) 

 

2.349.640

  

44(4)

 

2.162.885

49(4)

 

66.609

49(4)

APLICAÇÕES DE 1ª DOSE DE
REFORÇO OU ADICIONAL

1.816.160

49(4)

APLICAÇÕES DE 2ª DOSE
DE REFORÇO

465.520

 

COBERTURA VACINAL EM RELAÇÃO À POPULAÇÃO DE 3 E 4 ANOS DE BELO HORIZONTE

POPULAÇÃO RESIDENTE EM BH - 3 e 4 ANOS

51.203

% DE VACINADOS COM A PRIMEIRA DOSE (5)

17%

COBERTURA VACINAL EM RELAÇÃO À POPULAÇÃO DE 5 A 11 ANOS DE BELO HORIZONTE

POPULAÇÃO RESIDENTE DE BH DE 5 a 11 ANOS

193.192

% DE VACINADOS COM A 1ª DOSE (6)

86%

% DE VACINADOS COM A 2ª DOSE (6)

64,2%

COBERTURA VACINAL EM RELAÇÃO À POPULAÇÃO DE 12 OU MAIS ANOS DE BELO HORIZONTE

POPULAÇÃO RESIDENTE DE BH DE 12 ANOS OU MAIS

2.199.135

% DE VACINADOS COM A 1ª DOSE E DOSE ÚNICA (7)

109,9%

% DE VACINADOS COM A 2ª DOSE E DOSE ÚNICA (7)

101,4%

% DE VACINADOS COM 1ª DOSE DE REFORÇO OU ADICIONAL (8)

89,1%

% DE VACINADOS COM 2ª DOSE DE REFORÇO (9)

36,3%

COBERTURA VACINAL EM RELAÇÃO À POPULAÇÃO TOTAL DE BELO HORIZONTE

POPULAÇÃO TOTAL RESIDENTE EM BELO HORIZONTE

2.521.564

% DE VACINADOS COM A 1ª DOSE E DOSE ÚNICA 

95,8%

% DE VACINADOS COM A 2ª DOSE E DOSE ÚNICA 

88,4%

% DE VACINADOS COM 1ª DOSE DE REFORÇO OU ADICIONAL

72%

% DE VACINADOS COM 2ª DOSE DE REFORÇO

 

18,5%

 

 

Notas:
Os dados são dinâmicos, diariamente qualificados e, por essa razão, podem sofrer alterações.
(1) Quantidade de doses recebidas pelo município.
(2) Quantidade de doses repassadas aos postos de imunização.
(3) Inclui 6.882 doses (1a e 2a) distribuídas pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) diretamente ao Hospital Julia Kubitscheck, Hospital Eduardo de Menezes e Hospital da Polícia Militar. 1.153 doses retidas e aplicadas pela SES/MG em trabalhadores da saúde. Fonte: Registro Manual de Vacinados –DPSV/GIS/SMSA/PBH.
(4) Doses aplicadas conforme registros da base nacional do SI-PNI. Destaca-se que a disponibilização dos dados por esse sistema demanda um tempo de processamento, não sendo, assim, imediatamente disponibilizados na plataforma.
(5) A população estimada de 3 e 4 anos de idade residentes em BH é de 51.203, sendo que foram convocadas até o momento as crianças com 3 anos de idade imunocomprometidas e as com 4 anos com ou sem imunocomprometimento.
(6) Cobertura vacinal calculada a partir das doses aplicadas em Belo Horizonte, segundo registros da base nacional do SI-PNI em relação à população de Belo Horizonte (5 a 11 anos).
(7) Cobertura vacinal calculada a partir das doses aplicadas em Belo Horizonte, segundo registros da base nacional do SI-PNI em relação à população de Belo Horizonte (12 anos ou mais).
(8) Cobertura vacinal calculada a partir da população de 18 anos ou mais vacinada com a 1a dose de reforço ou dose adicional, considerando o público elegível de 2.037.913 pessoas.
(9) Cobertura vacinal calculada a partir da população de 40 anos ou mais vacinada com a 2a dose de reforço, considerando o público elegível de 1.194.693 pessoas.
Fontes: População de BH - Estimativas a partir da PNAD-C 2020 (IBGE).
Devido a problemas técnicos no âmbito do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), os dados relativos ao número de vacinados são complementados pelos registros de vacinação do SIGRAH – DPVS/GIS/SMSA/PBH para cálculo das cobertura vacinais. Os dados do SI-PNI estão atualizados até o dia 8/6/2022 e os dados do SIGRAH estão atualizados até o dia 29/9/2022.

 

 

 
 

A vacina não dispensa a adoção das medidas de proteção.

 

NORMAS SOBRE A VACINAÇÃO

 

MINISTÉRIO DA SAÚDE

. 2021-08-21 40º Informe Técnico

 

. 2021-08-20 39º Informe Técnico

 

. 2021-08-13 38º Informe Técnico

 

. 2021-08-13 37º Informe Técnico

 

. 2021-08-13 36º Informe Técnico

 

. 2021-08-11 35º Informe Técnico

 

. 2021-08-09 34º Informe Técnico

 

. 2021-08-06 33º Informe Técnico

 

. 2021-08-05 32º Informe Técnico

 

. 2021-07-30 31º Informe Técnico

 

. 2021-07-26 30º Informe Técnico

 

. 2021_07_20 29º Informe Técnico

 

. 2021_07_14 28º Informe Técnico

 

. 2021_07_09 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 8 edição

 

. 2021_07_08 27º Informe Técnico

 

. 2021_07_02 26º Informe Técnico

 

. 2021_06_23 25º Informe Técnico

 

. 2021_06_19 24º Informe Técnico

 

. 2021_06_17 23º Informe Técnico

 

. 2021_06_08 22º Informe Técnico

 

. 2021_06_06 21º Informe Técnico

 

. 2021_06_01 20º Informe Técnico

 

.  2021_05_28 Nota Técnica nº 717-2021-CGPNI-DEIDT-SVS-MS (grupos priorit e pop geral 18-59 anos)

 

.  2021_05_25 19º Informe Técnico (retificação)

 

. 2021_05_16 18º Informe Técnico

 

. 2021_05_17 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 7 edição

 

. 2021_05_13 17º Informe Técnico

 

. 2021_05_07 16º Informe Técnico

 

. 2021_05_05 Ofício-Circular 115-2021-SVS-MS (docs comprob comorbidades, gestantes, pessoas c defic)

 

. 2021_05_02 15º Informe Técnico

 

. 2021_04_30 14º Informe Técnico

 

. 2021_04_28 13º Informe Técnico

 

. 2021_04_27 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 6 edição

 

. 2021_03_12 Ofício Circular 57-2021-SVS

 

. 2021_04_21 12º Informe Técnico

 

. 2021_04_14 11º Informe Técnico

 

. 2021_04_07 10º Informe Técnico

 

. 2021_03_31 Nota Técnica 297-CGPNI

 

. 2021_03_31 9º Informe Técnico

 

. 2021_03_25 8º Informe Técnico

 

. 2021_03_16 7º Informe Técnico

 

. 2021_03_16 6° Informe Técnico

 

. 2021_03_15 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 5 edição

 

. 2021_03_11 Ofício 234-CGPNI

 

. 2021_03_05 Nota Técnica 155-CGPNI

 

. 2021_03_02 5° Informe Técnico

 

. 2021_03_02 4° Informe Técnico

 

. 2021_02_23 3° Informe Técnico

 

. 2021_02_19 Nota Informativa 17-CGPNI

 

. 2021_02_15 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 4 edição

 

. 2021_02_08 Ofício 33-SVS

 

. 2021_02_05 Nota Informativa 13-CGPNI

 

. 2021_01_29 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 3 edição

 

. 2021_01_25 Nota Informativa 6-CGPNI

 

. 2021_01_25 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 2 edição

 

. 2021_01_23 2° Informe Técnico

 

. 2021_01_19 1° Informe Técnico

 

. 2020_12_16 Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação - 1 edição

 

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS

. 2021_08_21 Nota Informativa 40ª versão SES MG

 

. 2021_08_20 Nota Informativa 39ª versão SES MG

 

. 2021_08_13 Nota Informativa 38ª versão SES MG

 

. 2021_08_13 Nota Informativa 37ª versão SES MG

 

. 2021_08_13 Nota Informativa 36ª versão SES MG

 

. 2021_08_11 Nota Informativa 35ª versão SES MG

 

. 2021_08_09 Nota Informativa 34ª versão SES MG

 

. 2021_08_06 Nota Informativa 33ª versão SES MG

 

. 2021_08_03 Nota Informativa 32ª versão SES MG

 

. 2021_07_28 Nota Informativa 31ª versão SES MG

 

. 2021_07_21 Nota Informativa 30ª versão SES MG

 

. 2021_07_16 Nota Informativa 29ª versão SES MG

 

. 2021_07_09 Nota Informativa 28ª versão SES MG

 

. 2021_07_06 Nota Informativa 27ª versão SES MG

 

.  2021_07_02 Nota Informativa 26ª versão SES MG

 

. 2021_06_25 Nota Informativa 25ª versão SES MG

 

.  2021_06_23 Nota Informativa 24ª versão SES MG

 

. 2021_06_22 Nota Informativa 23ª versão SES MG (retifica)

 

. 2021_06_14 Del 3440 - SUBVS_SVE_DVAT_CI - Gestantes sem comorbidades

 

. 2021_06_11 Nota Informativa 22ª versão SES MG (Retifica)

 

. 2021_06_11 Nota Informativa 21ª versão SES MG

 

. Nota SES-MG - Eslcarecimentos sobre vacinação segundo local de residência ou de trabalho

 

. 2021_06_06 Nota Informativa 20ª versão

 

. 2021_05_31 Nota Informativa 19ª versão

 

. 2021_06_04 Nota - Trabalhadores dos grupos prioritários

 

. 2021_05_21 Nota Informativa 18ª versão SES MG

 

. 2021_05_14 Nota Informativa 17ª versão SES MG

 

. 2021_05_08 Nota Informativa 16ª versão SES MG

 

. 2021_05_03 Nota Informativa 15ª versão SES MG

 

.  2021_05_03 Nota Informativa 14ª versão SES MG (Retifica)

 

.  2021_05_03 Nota Informativa 13ª versão SES MG (Retifica)

 

. 2021_04_25 Nota Informativa 12a versão SES MG

 

. 2021_04_18 Nota Informativa 11a versão SES MG

 

.  2021_04_09 Nota Informativa 10a versão SES MG

 

.  2021_04_09 Vacinacao forcas salvamento SES MG

 

. 2021_04_02 Nota Informativa 9a versão SES MG

 

. 2021_03_27 Nota Informativa SES MG 8a versão

 

. 2021_03_26 Deliberação CIB-SUS-MG nº 3364

 

. 2021_03_15 Deliberação CIB-SUS-MG nº 3346

 

. 2021_03_11 Nota Informativa 5ª versão - SESMG

 

. 2021_02_15 Nota Informativa 02-SUBVS

 

. 2021_02_09 Deliberação CIB-SUS-MG nº 3319

 

. 2021_01_29 Deliberação CIB-SUS-MG nº 3314

 

. 2021_01_27 Nota Informativa - Vacinação Covid-19

 

. 2021_01_20 Nota Técnica 1-SUBVS

 

 

PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ)

 

Por que a mudança dos locais de vacinação de um público para o outro?

Devido às questões de logística relacionadas aos tipos de vacinas que estão sendo utilizadas, além do quantitativo de pessoas convocadas para a imunização, é necessário alterar os locais frequentemente para garantir a segurança da aplicação e o distanciamento entre as pessoas.

 

Se o cidadão perguntar em qual posto deve ir para tomar determinada vacina?

O usuário deve verificar de qual público faz parte e se a convocação foi feita por idade, comorbidade ou por grupos prioritários. Depois, basta conferir no portal da Prefeitura o local da vacinação.
 

Se o cidadão perguntar qual vacina está sendo aplicada em determinado posto?

A vacina é específica para o grupo contemplado, não sendo possível a escolha. A eficácia dos imunizantes que atualmente estão autorizados para uso no país oferece alta proteção quando aplicadas corretamente. 

 

Se o cidadão pretende viajar ou realizar uma viagem de urgência, e quer antecipar a segunda dose da vacina?

O usuário deverá enviar e-mail para imunizacao@pbh.gov.br com a justificativa do pedido, nome completo, CPF, local de aplicação da primeira dose, telefone de contato, cópia da passagem e do cartão de vacina. Além disso, será necessário aguardar avaliação e orientações da equipe de imunização, que serão encaminhadas para o e-mail do solicitante.
 

Se o cidadão não encontrar a vacina em determinada Regional ou posto indicado no site?

As vacinas estão disponíveis nos locais de imunização de acordo com a faixa etária ou grupo específicos.

 

Se o cidadão perder o prazo da chamada para receber a 1ª ou 2ª dose da vacina, qual o procedimento?

Caso o cidadão tenha perdido a convocação para a primeira dose da vacina, basta comparecer ao local específico para a faixa etária ou grupo prioritário para se imunizar. Já as pessoas convocadas para a aplicação da segunda dose têm o prazo máximo de uma semana, após a data agendada no cartão, para ir até um dos locais. Sendo assim, os usuários que perderam o prazo, sem uma justificativa válida, deverão esperar a chegada de novas remessas do Ministério da Saúde e novo chamamento da Prefeitura.

 

Cidadãos acamados que não receberam a 2ª dose e não tiveram agendamento do centro de saúde?

O usuário ou seu familiar deverá entrar em contato com a unidade de saúde de referência do cidadão para agendar a vacinação domiciliar. Acesse a lista de centros de saúde disponíveis

 

A vacina possui algum efeito colateral?

As vacinas podem provocar reações adversas,  geralmente leves e que resolvem espontaneamente. Em caso de aparecimento de efeitos colaterais moderados ou graves, procure o Centro de Saúde ou a Unidade de Pronto-Atendimento para receber orientação da equipe de saúde.

 

Pessoas que estejam com febre podem se vacinar?

Em caso de febre, a vacinação deverá ser adiada até a melhora do sintoma. Se a febre for devido à COVID-19, o ideal é que a vacina seja adiada até a recuperação clínica total e pelo menos 30 dias após o início dos sintomas ou 30 dias a partir do primeiro exame positivo (no caso de pessoas sem sintomas)

 

Gestantes podem receber a vacina contra COVID-19?

As gestantes podem ser vacinadas preferencialmente com a vacina Pfizer, mas podem também receber a vacina Coronavac. Neste momento, não deve ser administrada nesse público as vacinas de vetor viral (vacina AstraZeneca/Fiocruz e a vacina Janssen)

 

Pessoas que usam anticoagulante podem receber a vacina contra COVID-19?

O uso de anticoagulantes deve ser mantido e não impede a vacinação. O uso de injeção intramuscular em pacientes sob uso crônico de antiagregantes plaquetários é prática corrente, portanto considerado seguro. Não há relatos de interação entre os anticoagulantes em uso no Brasil (varfarina, apixabana, dabigatrana, edoxabana e rivaroxabana) com vacinas.

 

Pessoas que tem doença auto-imune (inclusive doenças reumatológicas), estão em tratamento de câncer ou já foram transplantados podem receber a vacina contra COVID-19?

As vacinas contra COVID-19 são seguras neste grupo da população e não há contraindicação para receber nenhuma das vacinas atualmente disponíveis

Pessoas que tem doenças auto-imune devem ser vacinados preferencialmente com a doença sob controle.

 

Sou alérgico a ovo. Posso me vacinar?

Pode. As vacinas contra COVID-19 atualmente disponíveis no Brasil não contêm proteína do ovo.

 

Já tive Covid-19; preciso me vacinar?

Sim, mesmo quem já teve a doença precisa ser vacinado. Caso a pessoa não tenha se vacinado ou tenha um esquema vacinal incompleto, deve receber a vacina 30 dias após o início dos sintomas (ou do teste positivo, em caso de infecção assintomática).

 

Qual o documento que preciso apresentar para ser vacinado?

Para se vacinar é necessário apresentar um documento de identificação com foto e CPF. Para cada grupo prioritário, estão sendo descritos os documentos específicos. Para a vacinação por faixa etária, o cidadão também deve apresentar comprovante de residência em Belo Horizonte, para a primeira dose. Em caso de crianças que não estejam acompanhadas dos pais ou responsável, é necessário também apresentar o termo de autorização para vacinação, disponibilizado no portal da Prefeitura, devidamente preenchido e assinado pelos pais ou responsáveis.  

 

Depois que eu me vacinar posso sair ou convidar minha família toda para finalmente termos uma reunião?

Não, a vacina não dispensa as medidas de proteção. É preciso manter o distanciamento social, uso de máscara e a higienização correta das mãos. Importante ressaltar que a vacina só apresenta a máxima eficácia comprovada alguns dias após a segunda dose.

 

O esquema vacinal básico contra COVID é composto por quantas doses? Já vai ficar agendada a outra dose?

São necessárias duas doses para completar o esquema básico das vacinas contra COVID-19 mais utilizadas no município – a vacina Coronavac (Sinovac/Butantan); a vacina desenvolvida pela AstraZeneca/Fiocruz e vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNtech.

Após a aplicação, o agendamento da segunda dose já é informado no próprio cartão de vacinação, considerando o prazo entre as doses previstas para cada imunizante.

 

É necessário receber reforço após o esquema vacinal básico inicial?

Após o esquema inicial, pacientes adultos devem receber uma dose adicional (booster), aplicada 4 meses após a conclusão do esquema inicial com Coronavac, AstraZeneca ou Pfizer.  Para indivíduos que concluíram o esquema primário com vacina Janssen, o reforço (neste caso, a 2a dose), pode ser feito a partir de 2 meses após a data da 1a dose. 

A vacina a ser utilizada para a dose adicional deverá ser, preferencialmente, da plataforma de RNA mensageiro (Pfizer/Wyeth) ou, de maneira alternativa, vacina de vetor viral (Janssen ou Astrazeneca). Para que as pessoas possam receber a dose de reforço é necessário apresentar o documento de identidade, cartão de vacinação e ter recebido a segunda dose no prazo de pelo menos 4 meses. Se uma pessoa, independentemente da idade, já completou esse prazo, pode procurar um dos pontos de vacinação para tomar o reforço. 

 

Quem deve receber quatro doses da vacina?

A quarta dose da vacina está indicada para pessoas de 18 anos de idade ou mais, com alto grau de imunossupressão, cuja dose adicional tenha sido há pelo menos 4 meses. As condições clínicas atualmente contempladas parareceber a 4a dose da vacina são:

 - Pessoas com imunodeficiência primária grave;

- Indivíduos em quimioterapia para câncer (uso atual ou nos últimos 6 meses);

- Pessoas vivendo com HIV/Aids;

- Pacientes em hemodiálise;

- Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;

- Indivíduos com doenças intestinais inflamatórias;

- Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

- Indivíduos em uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona (ou equivalente), por ≥14 dias ou uso de drogas modificadoras da resposta imune, como metotrexato, leflunomida, micofenolato de mofetila, azatioprina,ciclofosfamida, ciclosporina, tacrolimus, 6-mercaptopurina, infliximabe,etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, canakinumabe, golimumabe,certolizumabe, abatacepte, secukinumabe, ustekinumabe) Inibidores da JAK(tofacitinibe, baracitinibe e upadacitinibe).

 

Qual o intervalo entre as doses?

O aprazamento da segunda dose deve ser feito no intervalo mínimo de 21 dias para a vacina Pfizer, 4 semanas para a Coronavac e 8 semanas para a vacina AstraZeneca.

 

Posso receber uma dose de vacina de um fabricante/desenvolvedor e a segunda dose de outro?

De maneira geral não se recomenda a intercambialidade de vacinas covid-19, ou seja, o(a) usuário(a) deve completar o esquema com vacinas do mesmo fabricante.  Entretanto, em situações excepcionais, onde não seja possível administrar a segunda dose com uma vacina do mesmo fabricante, seja por contraindicações específicas ou por ausência daquele imunizante, poderá ser administrada uma vacina covid-19 de outro fabricante. A segunda dose deverá ser administrada no intervalo previamente aprazado, respeitando o intervalo adotado para o imunizante utilizado na primeira dose.

 

Remessas de vacinas
Primeira Remessa Coronavac - 135.270 doses

Belo Horizonte recebeu um total de 135.270 doses da vacina do Instituto Butantan e do laboratório Sinovac/Biotech. A remessa inclui 1ª e 2ª dose. Com este quantitativo foi definido como público-alvo da primeira fase: 
 

• Equipe volante responsável pela vacinação;
•Trabalhadores em atividade de 49 hospitais, públicos, filantrópicos e privados;
•Trabalhadores das nove UPAs e do SAMU.

A maioria destas instituições conta com leitos de internação para atendimento a pacientes com a Covid-19 e outras doenças. Estes trabalhadores estão mais expostos ao vírus e por isso estão sendo priorizados. Consequentemente, após a vacinação desses profissionais, espera-se a continuidade no atendimento das equipes multiprofissionais de trabalho, garantindo o atendimento da população de Belo Horizonte e dos pacientes das cidades do interior.

Segunda Remessa Coronavac e Primeira Remessa AstraZeneca - 58.100 doses 
Belo Horizonte recebeu a segunda remessa de vacinas contra Covid-19. Foram entregues pelo Governo do Estado cerca de 58.100 mil doses de imunizantes, sendo 17.6 mil doses do laboratório Oxford/AstraZeneca. A segunda fase da imunização teve início no dia 1° de fevereiro.
 
Em concordância com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 do Ministério da Saúde os grupos definidos nesta fase são:

 

• Trabalhadores lotados nos 152 Centros de Saúde do município;
•Moradores e profissionais (cuidadores, equipe de enfermagem, auxiliar de serviços gerais e quem realiza a manipulação dos alimentos) que atuam em todas as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs);
• Trabalhadores lotados nos 16 Centros de Referência em Saúde Mental-CERSAM (Adulto, Álcool e outras drogas e infantil);
•Moradores e Profissionais (cuidadores, equipe de enfermagem, auxiliar de serviços gerais e quem realiza a manipulação dos alimentos) dos Serviços de Residência Terapêutica- SRT;
•Moradores e Profissionais (cuidadores, equipe de enfermagem, auxiliar de serviços gerais e quem realiza a manipulação dos alimentos) das Residências Inclusivas (para pessoas com deficiência institucionalizadas)*
•Idosos com 89 anos ou mais 
•Trabalhadores que atuam em laboratórios, clínicas oncológicas e hematológicas, serviços de hemodiálise, clínicas de imagem, serviços da atenção secundária, atenção domiciliar e de especialidades do SUS-BH, equipamentos da saúde mental e hospital dia

* A vacinação contempla os moradores acima de 18 anos.

Terceira Remessa Coronavac - 48.400 doses

A Prefeitura recebeu uma nova remessa de doses da Coronavac. A expectativa é imunizar até 24 mil pessoas, garantindo a 1ª e a 2ª dose, que precisa ser ministrada entre duas e quatro semanas. Com o quantitativo 48.400 doses, foi definido como público-alvo da terceira fase:

 

• Idosos entre 86 anos (completos até 28/2/2021) a 88 anos residentes de Belo Horizonte. 
 

A vacinação teve início no dia 13 de fevereiro. 

Quarta Remessa Coronavac e Segunda Remessa Astrazeneca - 51.300 doses

A Prefeitura recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19. A expectativa é imunizar 42 mil pessoas. Foram destinadas à capital 51.300 mil doses, sendo 33.500 doses da Oxford/Astrazeneca e 17.800 da Coronavac. Com o quantitativo, foi definido como público-alvo da quarta fase: 

• Idosos de 85 a 79 anos residentes em Belo Horizonte.

A vacinação terá início no dia 3 de março. 

Quinta Remessa Coronavac - 37.000 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 8 de março de 2021, sendo destinadas à capital 37.000 doses da Coronavac. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, o público residual de idosos de 79 a 81 anos residentes em Belo Horizonte será vacinado.
Sexta Remessa Coronavac - 21.850 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 15 de março de 2021, sendo destinadas à capital 21.850 doses da Coronavac. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 77 e 78 anos residentes em Belo Horizonte serão vacinados.
Sétima Remessa Coronavac - 59.550 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 19 de março de 2021, sendo destinadas à capital 59.550 doses da Coronavac. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 75 e 76 anos residentes em Belo Horizonte serão vacinados.
Oitava remessa Coronavac -  37.700 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 22 de março de 2021, sendo destinadas à capital 37.700 doses da Coronavac. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 72 a 74 anos residentes em Belo Horizonte serão vacinados.
 
Nona remessa Coronavac e Terceira remessa Atrazeneca -  103.050 doses

A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 25 de março de 2021, sendo destinadas à capital 99.300 doses da Coronavac e 3.750 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 69 a 71 anos residentes em Belo Horizonte serão vacinados, além dos trabalhadores da saúde com idade igual ou superior a 60 anos.

Décima remessa Coronavac e Quarta remessa Atrazeneca - 63.600 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 30 de março de 2021, sendo destinadas à capital 49.600 doses da Coronavac e 14.000 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 66 a 68 anos residentes em Belo Horizonte foram vacinados, além dos trabalhadores da saúde com idade igual ou superior a 50 anos. A vacinação teve início em 1º de abril de 2021.
 
Décima Primeira remessa Coronavac e Quinta remessa Atrazeneca - 143.400 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 5 de abril de 2021, sendo destinadas à capital 134.000 doses da Coronavac e 9.400 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 64 a 66 anos residentes em Belo Horizonte foram vacinados, além dos trabalhadores da saúde com idade igual ou superior a 50 anos. A vacinação teve início em 6 de abril de 2021. Além disso, está prevista aplicação de segunda dose de 75 e 76 anos, e de trabalhadores da saúde.
 
Décima Segunda remessa Coronavac e Sexta remessa Atrazeneca - 74.590 doses

A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 12 de abril de 2021, sendo destinadas à capital 30.840 doses da Coronavac e 43.750 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 63 a 66 anos residentes em Belo Horizonte foram vacinados, além dos trabalhadores da saúde com idade igual ou superior a 50 anos. A vacinação teve início em 6 de abril de 2021. Além disso, está prevista a aplicação de segunda dose de 73 a 76 anos.

Décima Terceira remessa Coronavac e Sétima remessa Atrazeneca - 52.425 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 19 de abril de 2021, sendo destinadas à capital 39.600 doses da Coronavac e 65.250 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 61 e 62 anos residentes em Belo Horizonte foram vacinados, além dos trabalhadores da saúde com idade igual ou superior a 39 anos e parte do contingente das forças armadas, de segurança e salvamento e trabalhadores do sistema de privação de liberdade. A vacinação teve início em 21 de abril de 2021. Além disso, está prevista a aplicação de segunda dose de 72 e 71 anos.
 
Décima Quarta remessa Coronavac e Oitava remessa Atrazeneca - 49.600 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 26 de abril de 2021, sendo destinadas à capital 9.600 doses da Coronavac e 40.000 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os idosos de 60 anos residentes em Belo Horizonte foram vacinados, além de parte do contingente das forças armadas, de segurança e salvamento e trabalhadores do sistema de privação de liberdade. Além disso, foi realizada a aplicação de segunda dose de 68 a 70 anos, e de 89 anos ou mais, bem como de trabalhadores da saúde, residentes em ILPIs e residências inclusivas. A vacinação teve início em 27 de abril de 2021.
Décima Quinta remessa Coronavac e Nona remessa Atrazeneca - 69.088 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 30 de abril de 2021, sendo destinadas à capital 1.838 doses da Coronavac e 67.250 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os trabalhadores da saúde com idade igual ou superior a 18 anos foram vacinados e parte do contingente das forças armadas, de segurança e salvamento e trabalhadores do sistema de privação de liberdade. Também teve continuidade a vacinação de segunda dose dos trabalhadores da saúde, idosos de 89 ou mais anos, residentes em ILPIs e residências inclusivas. A vacinação teve início em 5 de maio de 2021.
Primeira remessa Pfizer - 50.310 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 2 de maio de 2021, sendo destinadas à capital 50.310 doses da Pfizer. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, as pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos, as gestantes e puérperas com comorbidades, as pessoas com deficiência permanente beneficiários do BPC de 55 a 59 anos, as pessoas com doença renal crônica em tratamento regular com diálise e as pessoas com síndrome de Down. A vacinação teve início em 7 de maio de 2021.
Décima Sexta remessa Coronavac e Décima remessa Atrazeneca - 77.180 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 4 de maio de 2021, sendo destinadas à capital 5.680 doses da Coronavac e 71.500 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, os trabalhadores da saúde com idade igual ou superior a 18 anos foram vacinados e parte do contingente das forças armadas, de segurança e salvamento e trabalhadores do sistema de privação de liberdade. Além disso, foi realizada a imunização de segunda dose dos trabalhadores da saúde, idosos de 89 ou mais anos, residentes em ILPIs e residências inclusivas. A vacinação teve início em 5 de maio de 2021.
Décima Sétima remessa Coronavac e Décima Primeira remessa Atrazeneca - 77.450 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 10 de maio de 2021, sendo destinadas à capital 16.400 doses da Coronavac e 61.050 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, foi realizada a imunização de segunda dose dos idosos de 89 anos ou mais, de 67 anos, trabalhadores da saúde, residentes em ILPIs e residências inclusivas. A vacinação teve início em 11 de maio de 2021.
Segunda remessa Pfizer - 112.434 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 11 de maio de 2021, sendo destinadas à capital 112.434 doses da Pfizer. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, as pessoas com comorbidades de 18 a 54 anos, as gestantes e puérperas com comorbidades, as pessoas com deficiência permanente beneficiários do BPC de 18 a 54 anos. A vacinação teve início em 11 de maio de 2021.
Décima Oitava e Décima Nona remessas Coronavac e Décima Segunda remessa Atrazeneca - 113.200 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 17 de maio de 2021, sendo destinadas à capital 77.200 doses da Coronavac e 36.000 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, foi realizada a imunização de segunda dose dos idosos de 65 e 66 anos e trabalhadores da saúde. A vacinação teve início em 18 de maio de 2021.
Vigésima remessa Coronavac e Décima Terceira remessa Atrazeneca - 65.160 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 19 de maio de 2021, sendo destinadas à capital 5.680 doses da Coronavac e 59.480 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, foi contemplada a imunização dos trabalhadores da educação do ensino básico, população em situação de rua, trabalhadores do sistema de privação de liberdade e da população privada de liberdade. Também teve continuidade a vacinação de segunda dose dos idosos de 64 anos, de 80 a 85 anos e trabalhadores da saúde. A vacinação teve início em 20 de maio de 2021.
Décima Quarta remessa Atrazeneca - 41.250 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 28 de maio de 2021, sendo destinadas à capital 41.250 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, foi contemplada a imunização das pessoas com deficiência permanente sem BPC, os trabalhadores de educação do ensino superior e os trabalhadores do transporte aéreo. Também teve continuidade a vacinação de segunda dose dos idosos de 82 a 85 anos e de trabalhadores da saúde. A vacinação teve início em 2 de junho de 2021.
Décima Quinta remessa Atrazeneca - 113.750 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 4 de junho de 2021, sendo destinadas à capital 113.750 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, foi contemplada a imunização dos trabalhadores do transporte rodoviário, ferroviário, metroviário, além dos trabalhadores da limpeza urbana e dos caminhoneiros. Também foi iniciada a vacinação da população em geral, a começar pela faixa etária de 56 a 59 anos. Por fim, teve continuidade a vacinação de segunda dose dos idosos de 82 a 85 anos e de trabalhadores da saúde. A vacinação teve início em 7 de junho de 2021. 
Décima Sexta remessa Atrazeneca e Terceira remessa Pfizer - 19.360  doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 10 de junho de 2021, sendo destinadas à capital 10.000 doses de Astrazeneca e 9.360 doses de Pfizer. Pela baixa quantidade de doses recebidas nessas duas remessas não foi possível ampliar o público atendido com a vacinação contra a Covid-19 em Belo Horizonte.
Vigésima Primeira e Vigésima Segunda remessas Coronavac e Quarta e Quinta remessas Pfizer - 50.042 doses

A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 21 de junho de 2021, sendo destinadas à capital 41.240 doses de Pfizer e 8.802 doses de Pfizer. Pela baixa quantidade de doses recebidas nessas duas remessas não foi possível ampliar o público atendido com a vacinação contra a Covid-19 em Belo Horizonte. Nessa oportunidade, em 22 de junho foi retomada a vacinação de gestantes e puérperas sem comorbidades, após autorização expressa da Comissão Intergestores Bipartite de Minas Gerais. Além disso, foi feita campanha de "repescagem" para busca de cidadãos sem a segunda dose de Coronavac administrada, a partir de 22 de junho.

Décima Sétima e Décima Oitava remessas Atrazeneca  - 112.870 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 23 de junho de 2021, sendo destinadas à capital 112.870 doses de Astrazeneca. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, foi contemplada a imunização da população em geral, na faixa etária de 53 a 55 anos. A vacinação teve início em 24 de junho de 2021.
Vigésima Terceira remessa Coronavac, Sexta remessa Pfizer e Primeira remessa Janssen - 86.100 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 25 de junho de 2021, sendo destinadas à capital 22.160 doses de Coronavac, 40.890 doses de Pfizer e 23.050 doses de Janssen. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa, foi contemplada a imunização da população em geral na faixa etária de 49 a 52 anos. Além disso, foi ampliada a vacinação da população em situação de rua. A vacinação teve início em 28 de junho de 2021. 
Décima Nona remessa Astrazeneca e Sétima remessa Pfizer - 113.750 doses

A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 2 de julho de 2021, sendo destinadas à capital 100.250 doses de Astrazeneca e 13.500 doses de Pfizer. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa foi contemplada a imunização da população em geral na faixa etária de 45 a 48 anos, bem como a segunda dose para os idosos de 63 anos. A vacinação teve início em 5 de julho de 2021.

Vigésima remessa Astrazeneca, Oitava remessa Pfizer e Segunda remessa Janssen - 115.940 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 6 de julho de 2021, sendo destinadas à capital 53.250 doses de Astrazeneca, 23.640 doses de Pfizer e 39.050 doses de Janssen. Conforme orientações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, nessa nova remessa foi contemplada a imunização da população em geral na faixa etária de 42 a 44 anos, bem como a segunda dose para os idosos de 61 e 62 anos. A vacinação terá início em 10 de julho de 2021.
Vigésima Quarta remessa Coronavac e Nona remessa Pfizer - 42.640 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 9 de julho de 2021, sendo destinadas à capital 34.200 doses de Pfizer e 8.440 doses de Coronavac.
Vigésima Primeira remessa Astrazeneca - 36.000 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 16 de julho de 2021, sendo destinadas à capital 36.000 doses de Astrazeneca.
Vigésima Quinta remessa Coronavac, vigésima Segunda remessa Astrazeneca e Décima remessa Pfizer - 154.200 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 21 de julho de 2021, sendo destinadas à capital 58.590 doses de Pfizer, 22.680 doses de Coronavac e 72.750 doses de Astrazeneca.
Vigésima Sexta remessa Coronavac, Vigésima Terceira remessa Astrazeneca e Décima Primeira remessa Pfizer - 217.880 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 28 de julho de 2021, sendo destinadas à capital 124.170 doses de Pfizer, 38.660 doses de Coronavac e 55.050 doses de Astrazeneca.
Vigésima Sétima remessa Coronavac, Vigésima Quarta remessa Astrazeneca e Décima Segunda remessa Pfizer - 84.440 doses
A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 em 2 de agosto de 2021, sendo destinadas à capital 42.360 doses de Pfizer, 37.080 doses de Coronavac e 5.050 doses de Astrazeneca.
Contratação de profissionais de saúde 

A Prefeitura contratou 468 profissionais de enfermagem para reforçar as equipes de saúde durante a Campanha de Vacinação contra a Covid-19. Os profissionais deverão atuar com os servidores responsáveis pela imunização no município.

 

Treinamento de profissionais

 

Os profissionais que irão atuar na vacinação em Belo Horizonte passaram por treinamento para uso do sistema de informações do Ministério da Saúde. Realizado de forma remota, o treinamento contempla várias etapas da vacinação, como registro de vacinados, controle de distribuição das vacinas, monitoramento de eventos adversos pós-vacinação e informações para gestores, técnicos e público em geral.

 

Na Rede SUS-BH, serão treinados servidores de Unidades de Saúde, Diretorias Regionais de Saúde e também as equipes de reforço que serão contratadas para a campanha. Profissionais de saúde de hospitais da rede suplementar e privada também receberão treinamento.

 

 Vacinas 

 

A vacinação contra a COVID-19 é uma das medidas mais fundamentais para o controle da doença. Além de promover inicialmente a redução de internações e óbitos pela doença, poderiam também contribuir para a interrupção da transmissão do SARS-CoV-2 na comunidade.

 

No cenário atual de intensa circulação do novo coronavírus no Brasil, é importante esclarecer que os benefícios inerentes à vacinação com as vacinas atualmente licenciadas para uso no país – CoronaVac (Instituto Butantan/Sinovac), COVISHIELD (Fiocruz/Universidade de Oxford/AstraZeneca), Comirnaty (BioNTech/Pfizer) e a vacina Janssen-Cilag superam em muito qualquer potencial evento adverso relacionado a elas.

 

Estas vacinas oferecem alta proteção contra as formas graves da doença quando são aplicadas duas doses, considerando o intervalo entre as doses de 12 semanas para a vacina COVISHIELD, de 14 a 28 dias para a CoronaVac e no mínimo 21 dias para a Comirnaty. A vacina Janssen-Cilag é aplicada em dose única.
 

A maior parte dos eventos adversos com comprovada associação causal com as vacinas Covid-19 são eventos leves e transitórios. Nos dados de notificações do e-SUS notifica os eventos mais comumente relatados foram: dor (4,39 por 1.000 doses aplicadas), cefaleia (4,22 por 1.000 doses aplicadas), pirexia (2,66 por 1.000 doses aplicadas), mialgia (2,59 por 1.000 doses aplicadas), calafrios (1,13 por 1.000 doses aplicadas).
 

A trombose associada à vacina AstraZeneca/Oxford (Covishield) é um evento raro (1 a cada 150.000 pessoas vacinadas; com óbito ocorrendo em 1 para cada 1.500.000 vacinados) e está associada a fenômenos imunomediados (trombocitopenia trombótica imunomediada). Esta condição, que acomete mais frequentemente o seio venoso cavernoso cerebral, foi descrita com maior frequência entre mulheres com menos de 50 anos.
 

Raros casos de eventos adversos com formação de trombo foram reportados na literatura mundial, sendo que o perfil de risco benefício da vacina é ainda favorável. Nos dados de notificação de eventos adversos pós vacinação do e-SUS notifica foram identificados 0,89 eventos tromboembólicos para cada 100.000 doses aplicadas, sendo que essas taxas são inferiores às taxas basais esperadas na população, de tal forma que não há indícios evidentes de risco aumentado para ocorrência destes eventos e não há comprovação de associação causal com a vacinação.
 

No entanto recomenda-se que os profissionais de saúde fiquem atentos a sinais e sintomas de trombose ou tromboembolismo associados à plaquetopenia para o tratamento adequado de acordo com as recomendações disponíveis. Além disso, devem orientar os indivíduos sobre os sinais e sintomas que indicam a necessidade de atendimento médico imediato (dispneia, dor torácica, edema de membro inferior, dor abdominal persistente, cefaleia intensa e persistente, turvação visual e petéquias em outros locais fora o sítio de aplicação da vacina).
 

ATENÇÃO: (1) Gestantes e puérperas devem receber a vacina Covid-19 Coronavac ou Pfizer. (2) A vacina AstraZeneca/Oxford não deve ser aplicada em indivíduos que receberam a primeira dose desta vacina e apresentaram em seguida um episódio de trombose venosa ou arterial, associada à plaquetopenia.

 

Neste momento em que é possível ampliar novas faixas de idade e novos grupos prioritários da população para a vacinação contra COVID-19, faz-se necessário ressaltar uma relevante questão: quando houver a necessidade de apresentação de relatório médico, a fim de se comprovar condição clínica contemplada para recebimento da vacina, tal relatório deverá determinar indicação ou não da aplicação do imunobiológico, mas não é prerrogativa do profissional médico a indicação de uma ou outra vacina. Isto não se aplica, no entanto, quando houver contraindicação formal à vacinação, ou seja, a ocorrência de alergia grave - do tipo anafilático - a um dos componentes/excipientes de cada uma das vacinas.

 

PRECAUÇÕES

 

As vacinas podem provocar reações adversas. Diante disso, algumas atenções são necessárias:

 

• Em caso de febre, a vacinação deverá ser adiada até a melhora para que a doença que ocasionou a febre não seja relacionada à vacina.

 

• Não foi identificado efeito prejudicial em pessoas assintomáticas com Sars-Cov-2 em período de incubação. Pessoas que já tiveram a doença podem ser vacinadas. Entretanto, recomenda-se também o adiamento em casos detectados.

 

• Como a piora clínica pode ocorrer até duas semanas após a infecção, o ideal é que a vacina seja adiada até a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas.

 

• Gestantes, lactantes e puérperas: não foram feitos testes nestes grupos. As mulheres que estavam grávidas no momento da imunização, mas que não sabiam da gravidez, devem ser encaminhadas para o pré-natal, embora exista baixa probabilidade de risco.

 

• Pacientes que fazem uso de anticoagulante: o uso desses remédios deve ser mantido e não impede a vacinação. O uso de injeção intramuscular em pacientes sob uso crônico de antiagregantes plaquetários é prática corrente, portanto considerado seguro. Não há relatos de interação entre os anticoagulantes em uso no Brasil (varfarina, apixabana, dabigatrana, edoxabana e rivaroxabana) com vacinas.

 

• Pacientes que vivem com doenças reumáticas: preferencialmente devem ser vacinados com a doença sob controle.

 

• Pacientes oncológicos, transplantados e demais pacientes imunossuprimidos: não foram realizados testes neste grupo. No entanto, considerando o vetor viral não replicante e o vírus inativado, é improvável que exista risco aumentado. Entretanto, a vacinação somente deverá ser realizada mediante prescrição médica.

 

• Contraindicações: hipersensibilidade ao princípio ativo ou a qualquer dos excipientes da vacina para aquelas pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmada a uma dose anterior de uma vacina COVID-19.

 

Dúvidas, reclamações ou sugestões sobre a vacinação?

Fale com a Ouvidoria