Pular para o conteúdo principal

Virada Cultural de Belo Horizonte 2022 reúne cerca de 300 atrações gratuitas
Foto: Arte/PBH

Virada Cultural de Belo Horizonte 2022 reúne cerca de 300 atrações gratuitas

criado em 31/08/2022 - atualizado em 01/09/2022 | 16:49

Com o tema “É Virada e Misturada, a gente junto é mais feliz”, a Virada Cultural de Belo Horizonte 2022 convida o público a redescobrir a cidade e vivenciar novas  experiências no espaço urbano a partir de atrações variadas, pensadas para atender à diversidade de público e manifestações artísticas e culturais. 

Realizada pela Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com o Instituto Periférico, a 7ª edição da Virada Cultural será nos dias 3 e 4 de setembro, das 19h às 19h, e é o primeiro grande Festival de rua presencial, realizado pela PBH desde o início da pandemia de Covid-19. São cerca de 300 atrações gratuitas, reunindo nomes como: Fernanda Takai, Lamparina, Clara X Sofia, Nath Rodrigues, Pedro Morais, Flávio Renegado convida Sandra de Sá, Malaca, Kaê Guajajara, Coladera, Monge MC, Isabel Casimiro, entre muitos outros. 

Além da música, será possível vivenciar a cultura em suas diversas manifestações, como cinema, dança, teatro, atividades esportivas, gastronomia e muito mais. A programação diversa e plural abrange o perímetro do Centro da cidade, com atividades no Parque Municipal, Praça da Estação, Viaduto Santa Tereza, Avenida dos Andradas, Rua Guaicurus, Aarão Reis e Praça Sete. O trajeto entre eles, espaço chamado “No Percurso”, tem programação extensa de atividades e intervenções urbanas. E o Viradão Gastronômico e a Rota Gastro Cervejeira vêm complementar as ações, em um circuito de bares e restaurantes apresentando pratos especiais.

A Virada Cultural 2022 é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, com parceria cultural do Sesc Minas, da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH) e apoio da Uni-BH. 

Para a secretária Municipal de Cultura, Eliane Parreiras, a Virada Cultural expressa o compromisso da Prefeitura com a cultura, os artistas e o público da cidade. “Acreditamos que a Virada Cultural representa a potência e a diversidade da arte e da cultura. Com a edição de 2022, a arte volta às ruas e aos palcos de Belo Horizonte, movimentando as energias criativas, a alegria e fortalecendo ainda mais a retomada da economia da cultura. É um momento de celebração, de reencontrarmos com a cidade e seus espaços públicos e também com vivência coletiva. Convidamos a todos a vivenciar essa multiplicidade de atrações e fruir arte e cultura durante 24 horas”, celebra Eliane Parreiras. 

A presidente da Fundação Municipal de Cultura, Luciana Féres, ressalta a importância da Virada Cultural para a cidade. “Estamos bastante felizes com a realização de mais uma edição da Virada Cultural, que muito contribui para o fortalecimento da cultura de Belo Horizonte. A seleção das atrações e o aumento das atividades nos percursos entre os palcos e, ainda, os circuitos gastronômicos dão uma mostra da diversidade cultural da nossa cidade. Certamente, as 24 horas de arte e cultura deixarão a cidade mais lúdica e acessível, além de garantir o sucesso desse que é um evento dos mais relevantes para Belo Horizonte”, comemora Luciana Féres.  

Confira a programação completa da Virada Cultural 2022.
 


Programação Palcos  

Palco Estação 

No palco da Praça da Estação, várias festas e shows ganham os holofotes e prometem mobilizar um grande público. No sábado, apresentam-se “Orquesta Atípica de Lhamas”, a banda “Lamparina”, que vem despontando no cenário musical; e o duo “Clara X Sofia”, que apresenta músicas do primeiro álbum, falando sobre autoconfiança e as dores e delícias de ser quem se é. A festa “Eleganza” marca o início da noitada. 

“Masterplano” convida o público para ver o sol nascer em pleno Centro, fazendo da rua a sua pista de dança. Na sequência, a “@bsurda” entra em cena com toda a sua pluralidade. Mais tarde, a “Festa Transa!”, dedicada unicamente à música brasileira, sem se prender a um só estilo musical, chega para dar o tom. E para encerrar a programação do Palco Estação na Virada Cultural de Belo Horizonte, já no dia seguinte, um dos destaques da programação é: Flávio Renegado convida Sandra de Sá! 

Os shows do grupo “Lamparina” e de Flávio Renegado com Sandra de Sá são oferecidos pelo Sesc Minas, parceiro da 7ª Virada Cultural de Belo Horizonte. 



Ocupação da Estação 
A Praça da Estação é um marco no histórico da Virada Cultural e, reinventar e ampliar a sua ocupação, é um desafio desta edição. Como uma grande vitrine de  movimentos culturais e comportamentais da cidade, a Virada Cultural 2022 convidou os agentes que já promovem essa ocupação no local: a “Praia da Estação” ganhará mobiliário de praia e redes de descanso; a obra “Entidades”, do artista Jaider Eisbel em parceria com o CURA – Circuito Urbano de Arte, e o coletivo “Homem Gaiola 1MPAR” com mapping, laser e projeção estarão no prédio do Museu de Artes e Ofícios, que completa 100 anos em 2022. Esportes urbanos, futebol de sabão, totó humano, bike anjo e outras intervenções complementam as atividades no espaço. 


Parque Municipal 

Palco Parque 

No palco em frente ao Teatro Francisco Nunes, não faltam opções nas 24 horas de programação. Os mundos do Brasil, da África e da Península Ibérica se fundem em um diálogo baseado em violões, percussão e vozes, formando um ambiente sonoro rico. Isabel Casimiro, Rainha Conga da Guarda de Moçambique, apresenta “Toadas de reinado na voz da rainha”; “Coladera Show”, anima o início da noite, que segue com o “Monstra”, festival de dança de salão contemporânea. De madrugada, o “Cabaré das Divinas Tetas” apresenta o espetáculo que também é um corpo coletivo em manifesto. Logo depois, é a vez de “Vogue Fever”, com o “Baile da Meia Noite”. 

De manhã, as sutilezas e os encantos do Teatro ganham o palco. A “Cia Candongas e outras firulas” apresenta o espetáculo “O Monstro do Lixo”, com linguagem poética e músicas animadas. “O Menino Sabino”, um espetáculo narrativo lítero-musical, revela a obra “O Menino no Espelho” e outras crônicas de Fernando Sabino; além do espetáculo de marionetes de Catin Nardi. A música toma conta do parque, com o musical “Samba do Arnesto”, “Os Baianinhas” e o “Show Agora”, de Pedro Morais. 

Em parceria com os Festivais Rolé e Verbo Gentileza, a Virada Cultural 2022 traz os shows de Gabriela Viegas, Luiza Brina e a DJ Aída. 
 

 

Palco Gramado 
Localizado próximo ao Palácio das Artes, as atrações do Palco Gramado começam com o sexteto de Silas Prado; Jannifer Souza apresenta o show “Pacífica Pedra Branca”; Júlia Tizumba traz “Minêra”, e “Duo Mitre” encerra o dia. Mas a noite começa em seguida com “Tutu com Tacacá”, o carimbó paraense com jeitinho mineiro; o bloco “Seu Vizinho” e o “Funk You”; Keryroga e a “Banda Kalimba”, entre outras atrações. 

Após a virada da noite, o Palco Gramado, em parceria com o “Dia da Amazônia”, traz importantes nomes como: Nath Rodrigues, Kdu dos Anjos com Teffy DJ e “Favelinha Dance”, Kaê Guajajara, Marcelo Veronez convidando Sérgio Pererê, Swing Safado e Fernanda Takai, que encerra a programação do espaço em grande estilo, com canções de seu repertório solo. 

 

Ocupação Parque Municipal 
Além do Palco Parque e do Palco Gramado, o Parque Municipal tem, ainda, uma programação em suas instalações que abrange todas as idades. O coletivo “Duas ideias” criou anéis de LED e letreiros luminosos com frases emblemáticas para as árvores e jardins, criando uma instalação onírica. O “Cine Parque” tem atrações audiovisuais; “Natureza Viva” é um trabalho autoral da artista Deise Oliveira. O grupo “The Flow” apresenta danças urbanas; o “Banquete Botânico” é uma proposta de alimentar a alma e se nutrir por meio das plantas; a “Cia. de Dança Palácio das Artes” leva ao público as performances “Uma perda súbita de Flores” e (In)Tensões. Além de atrações na pista de patinação dançante, capoeira, oficinas de malabares e muito mais.

 

Palco Guaicurus 
O Palco Guaicurus abre sua programação com a atração indígena Kainná Tawá e o show “Por trás das Palavras”. Em seguida, atrações do “Festival Azeda” se unem à programação da Virada deixando-a ainda mais plural. “Elisa de Sena” se apresenta, seguida de “Brandu”, que convida a “Banda Nerê”, ambos trazendo em suas vertentes a junção do poder da cultura negra com o impacto do potente Sound System. 

De madrugada o espaço se transforma na festa “Bronka”. E enquanto vira o dia, é possível conferir atrações como Pajé a Nave, Malaca, Lua Zanella, Laura Sette, Mac Julia, Doralyce e muito mais. A artista Breezy apresenta o show “Number One”, que transpassa força, garra e a disposição de uma jovem negra que ganhou espaço dentro da cultura Hip-Hop. Paige, que há quase uma década figura na cena independente de Belo Horizonte, também ocupa seu lugar no palco, encerrando a  programação. 

 

Viaduto Santa Tereza 

Palco Arcos 

Sobre o Viaduto Santa Tereza, o público encontra o Palco Arcos, onde há uma programação diversa. Bruno Cupertino interpreta Paulinho da Viola; o “Samba da Meia-noite” leva o “Samba de Caboclo”. A manhã se inicia com o grupo de forró “Cabra Cega”. 

Tem o “Grupo Axtral”, que vem com tudo, cantando grandes sucessos do samba e pagode; o rapper Imane Rane; o coletivo “ruadois” de rap e música eletrônica, formado pelos artistas Mirral ONE e Well; muito sertanejo com a cantora Juliana Araújo, com hits que contabilizam 2 milhões de streams, e muito mais. A programação se encerra com a “Banda Unión Latina” e o show “Juntos a Bailar”, misturando diferentes ritmos latinos como salsa, cumbia, maracatu, samba, latin jazz, dentre outros. 

 

Arcos do Viaduto 
Ponto de encontro da cultura em Belo Horizonte, o baixio do Viaduto Santa Tereza também acontecerão diversas atrações. Ali estão concentradas as programações do coletivo “BH Stone”: Azula Queen Quartet, PlanoB, Tiocapone, Pepous People, Grama Hero, Trem Doido, Meggera, Tribal Legacy, Desistência Zero, Morto e Fresh Blood. E também do “Festival Fora de Cena”: Sérgio Diaz e Banda; Bronx; Coallizzão; MC Nenê; Guima do Zilah; DJ Vitin do PC; DJ Nattan, Oreia e WS da Igrejinha. A programação do Viaduto se encerra com Monge MC e o show de 10 anos do EP CaminhoDeZaion Vol. I. 

 

Mundialito de rolimã e outras linguagens  
O tradicional “Mundialito de Rolimã” continua na Av. Assis Chateaubriand, mas, desta vez, acompanhado da “Corrida Maluca”, um campeonato alegórico de rolimãs. O projeto “Cine Quintal” propõe 10 horas de programação de cinema tendo a arte e a cultura como foco, com os documentários “Duelo de MCs”, “Encontro de Pajés”, “Filme de Rua”, entre outros. “As ruas falam” leva projeções de Silvi Clapp, a partir do registro de arte urbana pela cidade. O grupo Viela dispõe de balanços em plena avenida dos Andradas, embaixo do Viaduto de Santa Tereza. 

 

Para pets e tutores 
Nem os pets ficam de fora da Virada 2022. No espaço “Arcos Vira Lata”, o público encontra diversas ONGs com projetos para adoção de animais e presença de veterinários para dicas aos tutores; espaço Petiscos Pets; além do encontro “Cão de Rodinhas BH”, com pets para lá de Especiais. 

 

Na escada do Cine Brasil  
Na Praça Sete, o entorno do Cine Theatro Brasil Vallourec - prédio ícone da cidade que completou 90 anos, recebe uma programação especial, privilegiando a pluralidade arquitetônica da região. A programação é aberta com o “Bloco Saúde”, uma parceria com o Instituto Unimed-BH. O “Baile Black” reúne a comunidade ao som do soul, promovendo a alegria e a confraternização dos amantes da Black Music. 

Já o “Trio Ouvirá” apresenta um repertório que transita pelo mais puro rock and roll dos anos 60 e 70. O show “Rap da Paz” e o “Trio Ouvirá” complementam a programação. E a música instrumental também tem seu lugar com “Chorosas”, que irá interpretar composições feitas por mulheres de várias gerações, desde Chiquinha Gonzaga até a atualidade. 

 

Ações "no percurso" 
No perímetro entre os palcos da Virada Cultural 2022, esportes urbanos, artes visuais, intervenções, instalações, performances e mobiliários vão transformar o Centro em um grande espaço de convivência. O projeto “Librário” oferece uma oficina de Libras e uma intervenção de lambe-lambes com mensagens informativas e conteúdo inclusivo. Já “Ao pé do ouvido” é uma caminhada audiodescritiva com profissionais acompanhando portadores de deficiência visual pela programação da Virada e pelos espaços do centro.

Outra opção é o “Baile Uai Sound System”, festa estilo jamaicano onde a equipe de som monta o seu sistema do som em qualquer espaço público e todos curtem a música reggae e suas vertentes. Há, ainda, desfile do “Bloco Fúnebre” em comemoração aos 10 anos de sua fundação; o projeto “Agô, Agô” com tapetes de serragem nas ruas, da dupla de artistas Joacélio Batista e Marcel Diogo; a “Travessia Iluminada”, um projeto cultural do folguedo Boi Rosado; Maracatu com o grupo “Lua Nova”; “Edifício Pixel” com recursos de arquitetura e animação 2D em pixel-arte. Entre outras atrações. 

 

Viradão gastronômico e rota gastro cervejeira 
Belo Horizonte, Cidade Criativa da Gastronomia, título instituído pela Unesco, tem este setor como seu patrimônio e será importante pilar da Virada Cultural 2022. O Viradão Gastronômico, com curadoria da jornalista Lorena Martins, e a Rota Gastro Cervejeira, uma ação em parceria com o Projeto Zona Cultural Praça da Estação (ZCPE), mapearam mais de 30 estabelecimentos com pratos especiais e um circuito cervejeiro para quem quer vivenciar a Virada em todos os sentidos.

Toda essa programação foi cuidadosamente elaborada para que o público possa desfrutar, conhecer ou reconhecer a cidade sob vários ângulos. A Virada Cultural 2022 é um convite para que a população crie seu próprio percurso, encontre amigos e tenha 24 horas de intensa vivência cultural. 

 

Mais informações


Virada Cultural de Belo Horizonte 2022
De 3 de setembro, às 19h, até 4 de setembro, às 19h.
Participação gratuita.
https://www.instagram.com/viradaculturalbh/
http://portalbelohorizonte.com.br/virada