Pular para o conteúdo principal

Mão de técnico da Vigilância Sanitéria com artefato plástico que verificaa qualidade da água; ao fundo, piscina com pessoas brincando dentro dela.
Foto: Divulgação PBH

Vigilância Sanitária investe em prevenção para garantir a saúde da população

06/04/2018 | 16:44 | atualizado em 06/04/2018 | 16:46
A Vigilância Sanitária de Belo Horizonte trabalha com prevenção, de forma a diminuir os riscos de danos à saúde da população. Além das fiscalizações, promove treinamentos e cursos para proprietários de estabelecimentos do setor de alimentos, drogarias, medicamentos, estética, escolas e diversas atividades de interesse da saúde. Essas ações têm como objetivo reforçar as normas sanitárias para cada tipo de estabelecimento, visando à segurança da saúde da população. 


Muitos treinamentos são realizados em datas e períodos onde há grande consumo de um tipo de alimento, ou ainda próximo a grandes eventos, como é o caso do carnaval. Em janeiro, por exemplo, a Vigilância Sanitária treinou cerca de 70 proprietários de food trucks já cadastrados e que trabalharam no Carnaval. 


Já em março, próximo à Semana Santa, foram realizadas ações específicas para estabelecimentos que comercializam pescados Há ainda uma ação no estádio Mineirão nos dias de jogos ou eventos que reúnem mais de mil pessoas. O trabalho é para verificar as condições sanitárias dos bares e restaurantes do estádio. 


Esse tipo de ação ocorre também nas nove regionais. Em Venda Nova, a Gerência de Vigilância Sanitária (GEVIS) da Coordenadoria de Atendimento Regional (CARE-VN), promoveu várias ações preventivas em restaurantes e faculdades localizadas na região, com objetivo de garantir o cumprimento dos cuidados necessários para a saúde da população.

 
As ações incluíram cursos sobre cuidados na manipulação de alimentos, voltados para os funcionários e donos de restaurantes localizados na Cidade Administrativa. De acordo com a gerente de Vigilância Sanitária da Regional Venda Nova, Brígida Vieira, os restaurantes da Cidade Administrativa foram escolhidos devido ao grande volume de refeições servidas por dia em um mesmo espaço. 


“A parceria surgiu da necessidade de aprimorar o cuidado com o alimento que é servido, principalmente as saladas, que são as vilãs do self-service. A lavagem das mãos foi enfatizada, assim como o armazenamento dos alimentos, temperatura de acondicionamento, disposição dos utensílios, expositores e anteparo contra perdigotos, entre outros cuidados”, afirma Brígida.


Na palestra foi explicado que a contaminação nem sempre é perceptível a olho nu e que o trabalho da Vigilância Sanitária vai além de fiscalizar o ambiente. “A Vigilância Sanitária trabalha não somente advertindo e multando, mas principalmente prevenindo agravos e doenças”, salienta. 

 


Palestra para estudantes

No fim de março, a equipe da GEVIS fez uma palestra para os estudantes do 5º e 6º períodos do curso de Nutrição da Faculdade Faminas. A palestra resultou de um convite da professora Cristiane de Oliveira Lopes, com o objetivo de compartilhar a vivência de profissionais da área de vigilância sanitária. 


Segundo Cristiane, neste semestre os alunos estão tendo disciplinas que contemplam a legislação sobre  controle higiênico sanitário em estabelecimentos processadores de alimentos. “Desta maneira, com a explanação e ilustração da parte prática por parte do  profissional de vigilância sanitária, acredito que conseguiremos transformar  as informações transmitidas em sala de aula em conhecimento, contribuindo assim para  a formação de profissionais mais capacitados e comprometidos”, avaliou. 

 

 

06/03/2018. Vigilância Sanitária de Venda Nova investe na ação preventiva. Fotos: PBH/Divulgação