Pular para o conteúdo principal

Informações da Prefeitura de Belo Horizonte sobre a Covid-19
Foto: Arte PBH

Vigilância intensifica fiscalizações na reabertura do comércio em BH

11/08/2020 | 16:21 | atualizado em 25/11/2020 | 09:54

Com a flexibilização e a retomada do comércio de rua e dos shoppings na capital, o trabalho dos fiscais sanitários da Secretaria Municipal de Saúde foi intensificado. Em caráter educativo, equipes da Vigilância Sanitária têm percorrido os estabelecimentos para verificar e orientar sobre o cumprimento das medidas preventivas e dos protocolos que devem ser adotados para evitar a infecção pela Covid-19.

Em algumas lojas, as equipes identificaram a ausência de demarcação para garantir o distanciamento entre os clientes, a falta de barreiras físicas e da disponibilização do álcool 70% para higienização das mãos. Nestes casos, os proprietários receberam as orientações para realizar as adequações necessárias.

Os fiscais também apreenderam alimentos vencidos em áreas de alimentação que, apesar de estarem fechadas para clientes, os restaurantes estão autorizados a fazer delivery e retirada no local.

Nas vistorias em shoppings, os técnicos verificam o controle de acesso, a observação da capacidade máxima de lotação, o ambiente, a higienização, as praças de alimentação e os estacionamentos. Apesar das irregularidades pontuais em lojas e restaurantes, de maneira geral, esses estabelecimentos estão cumprindo as exigências determinadas pelo decreto.

Nos primeiros dias de reabertura, foram vistoriadas 51 lojas em dois shoppings da capital mineira.

A Vigilância Sanitária, além das vistorias educativas, atende às denúncias que chegam por meio do 156, do aplicativo PBH APP, do Portal da PBH e da Ouvidoria. Dentre os estabelecimentos monitorados pela equipe da VISA-BH, estão os supermercados, padarias, farmácias, serviços de saúde, restaurantes (delivery), Instituições de Longa Permanência para Idosos, salões de beleza e shoppings.

De 24 de março a 1º de agosto deste ano foram realizadas 5.802 vistorias educativas. Além disso, foram atendidas 1.036 denúncias, sendo as principais reclamações relacionadas à ausência do uso de máscara e à ocorrência de aglomerações. No período, foram lavrados 105 autos de infração na categoria advertência e 26 autos de infração com multa, além da interdição de 1 estabelecimento.