Pular para o conteúdo principal

Apresentação de dança equipe Superar
Foto: Naara de Souza

Setembro marca luta pela inclusão de pessoas com deficiência

06/10/2017 | 11:55 | atualizado em 06/10/2017 | 12:53

O dia 21 de setembro marcou o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Para celebrar a data, ações e atividades de conscientização e de divulgação foram realizadas ao longo de todo o mês. Chamado de setembro verde, ele é considerado o mês de luta pela inclusão das pessoas com deficiência. Na Regional Leste, além da apresentação do filme “Divertida Mente” no Cine Santa Tereza, também fez parte da programação o evento Superar, realizado no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Granja de Freitas.

 

Natália Cândido de Jesus, de 26 anos,  é deficiente física, mora em Ribeirão Neves, e apresentou várias danças durante o evento. Utilizando uma cadeira de rodas para se locomover, ela diz que nada a impede de levar uma vida normal. “Nós queremos incentivar as pessoas e mostrar para todo mundo que não é a deficiência que vai nos impedir de fazer alguma coisa. Todo mundo é igual. Acho que esse tipo de evento poderia ser incentivado cada vez mais, porque ajuda a mostrar para a sociedade o nosso trabalho, o que nós fazemos, porque muitas vezes as pessoas não sabem”, ressalta.

 

Segundo Marcelo de Melo Mendes, professor e gerente do Centro de Referência da Pessoa com Deficiência do Superar, o programa foi planejado pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer com o objetivo de elaborar, coordenar, executar e supervisionar políticas públicas de esportes e lazer destinadas às pessoas com deficiência. “É uma política pública que possibilita que as pessoas com deficiência física, visual, auditiva, intelectual e com autismo evidenciem todas as suas potencialidades, garantindo um atendimento inclusivo em sua plenitude, seja no esporte educacional ou de rendimento. Também nos preocupamos com a formação de profissionais, que serão os multiplicadores do conhecimento sobre lazer e esporte para as pessoas com deficiência”.

 

De acordo com Marcelo, o programa Superar desenvolve várias ações, eventos e atividades para pessoas com deficiência nesse Centro de Referência. No espaço são trabalhadas 14 modalidades paraolímpicas, sendo uma delas a dança. O programa existe desde 1994, e o Centro desde 2003. Atualmente, ele possui cerca de 600 alunos e funciona das 8h às 22h na Avenida Nossa Senhora de Fátima, 2.228, Lagoinha.

 

Setembro verde

Durante o setembro verde, todos têm a oportunidade de conhecer e entender as possibilidades e potencialidades das pessoas com deficiência. “Eu penso que já está no momento de não ficarmos pensando só na acessibilidade. Acessibilidade é algo que já está ultrapassado, inclusive, hoje, se fala em desenho universal, que é oferecer a oportunidade de ir e vir para todas as pessoas”, completa o gerente do Centro.

 

Outros órgãos da Prefeitura de Belo Horizonte e entidades apoiadas pela administração municipal também promoveram atividades, como palestras, workshops, oficinas e seminários, além de apresentações paraesportivas, em comemoração à data. Dentre os temas abordados, se destacam: aposentadoria e Benefício de Prestação Continuada (PBC), autismo, libras para as famílias e tecnologia assistiva.

 

Em Belo Horizonte, a Coordenadoria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que integra a Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, é a responsável pela gestão das políticas públicas para pessoas com deficiência, por meio da Subsecretaria de Direito e Cidadania, atuando prioritariamente como órgão articulador junto aos movimentos, entidades, associações e ONG’s.