Pular para o conteúdo principal

Mesa de abertura do Projeto Territórios, com cinco integrantes.
Foto: Sebastiao/PBH

Secretaria lança projeto para reduzir homicídios na Leste

12/12/2017 | 15:42 | atualizado em 26/12/2017 | 10:26

Adentrar em territórios com elevados índices de violência letal, mapear demandas de comunidades, compreender os hábitos da população, fortalecer a sensação de pertencimento e desenvolver redes para reduzir os números de mortes violentas em Belo Horizonte. Essa é a difícil tarefa desempenhada pela Diretoria de Prevenção Social ao Crime e à Violência, da Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção (SMSP).

Atuando sempre em caráter de prontidão, a diretoria apoia projetos, desenvolve estudos e realiza palestras e seminários com um objetivo único: reduzir o número de homicídios na capital. Empenhado no mapeamento de regiões, o gerente de Prevenção à Violência em Territórios, Sebastião Everton Oliveira, encara o trabalho com afinco e dedicação. Sua tarefa é complexa, já que demanda compreender o fenômeno da violência nas comunidades e produzir respostas efetivas para cada problema. 

Segundo o gerente, algumas regiões da capital necessitam de um olhar especial, por reunirem uma série de fatores, que somados, as tornam áreas propícias para conflitos. “Temos partes da cidade, onde existem concentrações de desvantagens, com poucos equipamentos públicos, crescimento desenfreado e a prática do tráfico de drogas, entre outros problemas. Notamos, por meio do cruzamento de dados, que tais regiões são mais suscetíveis à criminalidade e, consequentemente a mortes violentas”, explica Sebastião Oliveira.
 

Identificando problemas e apontando soluções

Membro da equipe de Gestão Integrada de Segurança e Prevenção (GISP), Sebastião participa da construção do projeto-piloto de combate à letalidade na Região Leste de Belo Horizonte. O trabalho traça um diagnóstico focado na incidência de violência letal, em escolas e imediações, de oito bairros da Regional Leste. Posteriormente, as demais regiões também serão contempladas.

Construído a partir de dados das secretarias Municipal e Estadual de Saúde, o estudo revela características específicas da população que vive nos bairro da Região Leste de BH, como faixa etária, cor, raça, sexo, nível de escolaridade, ocupação e acesso a serviços públicos. Foram utilizados, também, os registros de ocorrências da Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH) e da Polícia Militar.

O sucesso do projeto, na avaliação de Sebastião, dependerá de uma série de fatores, mas sem dúvida o grau de conhecimento que se tem da realidade de cada comunidade será a base de apoio para a conquista de resultados satisfatórios. “Cada região tem sua peculiaridade e é conhecê-la que nos permitirá entender quais os problemas locais Assim poderemos entrar mais fortemente com as contribuições do poder público para assegurar a proteção, evitar o alto índice de violência nestes territórios, além de construir junto às comunidades os caminhos para a superação das desigualdades que ali se concentram”, explica.
 

Ações práticas

A Diretoria de Prevenção Social ao Crime e à Violência também desenvolve e apoia ações voltadas para a prevenção à violência nas escolas e em territórios, além de campanhas para reverter a letalidade juvenil e de combate a violência contra mulher.

Essas iniciativas já fazem parte da vida dos cidadãos, como ocorre com a Patrulha Escolar da Guarda Municipal, que atua em parceria com a Secretaria Municipal de Educação na realização de palestras e de reuniões de grupos de trabalho temáticos. Outro projeto que tem o apoio da Diretoria é o Adote um Músico, que ensina teoria e prática de música para jovens de comunidades violentas e, nos últimos dois anos, já formou 40 novos músicos.

Como estratégia para combater a letalidade juvenil e a reincidência no crime, atualmente jovens que cumprem medidas socioeducativas podem participar do Projeto Jiu-jítsu, promovido pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer em parceria com a GMBH. A atividade é realizada no Centro de Referência da Juventude (rua dos Guaicurus, 50, no Centro) e tem como proposta promover a reinclusão social por meio do esporte.

No combate à violência contra a mulher, a Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção desenvolve uma parceria com Polícia Civil, por meio da Patrulha Especializada de Proteção à Mulher, que faz o acolhimento daquelas que estão sob ameaça, em centros de proteção e apoio da Prefeitura de Belo Horizonte.

Outra ação importante da Prefeitura de BH, por meio da SMSP, é a assinatura da carta de intenções junto a uma organização Internacional. Com essa ação,BH se juntou a outros seis países da América Latina (Colômbia, El Salvador, Guatemala, Honduras, México e Venezuela) em torno do compromisso de reduzir em 50% os índices de homicídios, num período de 10 anos.