Pular para o conteúdo principal

Representantes do Centro de Agroecologia visitam biofábrica de joaninhas
Foto: Divulgação PBH

Representantes do Centro de Agroecologia visitam biofábrica de joaninhas

criado em 29/03/2022 - atualizado em 29/03/2022 | 12:26

Um intercâmbio de ações entre a Secretaria de Meio Ambiente e o Centro Municipal de Agroecologia e Educação Ambiental para Resíduos Orgânicos (CEMAR) foi tema de encontro no último final de semana na Casa Amarela, onde funciona a biofábrica de Joaninhas.  As atividades ali desenvolvidas têm uma relação direta para uma agricultura saudável.

 

“A visita foi importante para o conhecimento dos insetos, uma vez que eles auxiliam na produção agroecológica das oficinas de compostagem que existem ali. Essa é uma estratégia que trouxe muitos resultados positivos, capaz de ser reproduzido em outras esferas e para outras pessoas”, explica o diretor de gestão ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, Dany Amaral.

 

Durante a visita, representantes do CEMAR aprenderam sobre controle biológico, manejo ecológico de insetos dentro de lavouras, hortas e pequenos espaços, bem como toda a tecnologia sustentável que envolve o projeto. Também conheceram todas as etapas de produção e distribuição dos insetos.

 

As joaninhas e crisopídeos são insetos que podem combater, de forma natural, populações de organismos indesejáveis em hortas, jardins, pomares e arborizações. A Prefeitura de Belo Horizonte criou, em 2018, um espaço para produção em massa desses antiparasitas naturais, fundamentais para combater as pragas em áreas verdes e hortas urbanas sem o uso de agrotóxicos ou pesticidas.

 

Atualmente, a biofábrica conta com quatro profissionais, sendo dois servidores e duas estagiárias que, todos os dias, fazem a manutenção da criação das joaninhas, separando as diversas fases de crescimento dos insetos, trocando alimentos e preparando kits para doação de organismos. Quem se interessar por adquirir os kits pode se inscrever, por meio do Portal de Serviços, no site da PBH.