Pular para o conteúdo principal

Dois garis retiram lixo acumulado ao lado de muro da Região Nordeste.
Foto: Mara Damasceno/PBH

Região Nordeste recebe ações de combate ao Aedes aegypti

31/01/2018 | 14:56 | atualizado em 09/02/2018 | 16:06
“Cada morador precisa fazer a sua parte mantendo o ambiente onde vive sempre limpo e sem objetos que possam acumular água. Muitas pessoas não têm essa consciência e isso precisa mudar, porque enquanto o mosquito encontrar guarita na casa de alguém, todos correm perigo de morte”. O alerta é de Bruno Cássio Cordeiro Prates, morador do bairro União, cuja região recebeu o mutirão de limpeza nesta semana, dia 29 de janeiro. 


A preocupação de Bruno Cássio é a mesma da Prefeitura de Belo Horizonte, que não tem medido esforços para ampliar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. Diversas frentes de trabalho estão sendo desenvolvidas, inclusive as atividades de conscientização da população. 


Na região Nordeste, os mutirões de limpeza foram retomados em outubro do ano passado e vários locais já foram beneficiados com os serviços. Foram realizados mutirões de limpeza nas áreas de abrangência dos centros de saúde Padre Fernando de Mello, Alcides Lins, Cachoeirinha, Goiânia, São Marcos, Maria Goretti e Leopoldo Chrisóstomo de Castro. Mais de 10 mil imóveis receberam a visita de agentes de combate a endemias, que orientaram os moradores sobre os materiais inservíveis que deveriam ser descartados nos dias dos mutirões.

  
As famílias também são alertadas sobre os cuidados diários que devem ser adotados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Essa mobilização visa conscientizar a população para o perigo das doenças transmitidas por esse mosquito e sobre o papel fundamental do cidadão no processo de eliminação dos focos.


Outra importante frente de trabalho na luta contra o mosquito Aedes aegypti na região Nordeste, é a parceria entre as diretorias regionais de Saúde e Educação. A partir de março, as escolas municipais da região irão intensificar as ações educativas de combate ao mosquito. A ideia é que os alunos sejam, em suas comunidades, os grandes multiplicadores da luta contra o Aedes Aegypti. 



Aplicativo também é ferramenta contra o mosquito 

Lançado no dia 27 de dezembro de 2017, o aplicativo “BH sem Mosquito” é uma importante ferramenta no combate ao Aedes aegypti. Por meio dele, o usuário pode escolher o dia e horário em que deseja ser lembrado para fazer uma pequena ronda em sua casa ou no seu ambiente de trabalho, a fim de verificar se há acúmulo de água em algum lugar.


O aplicativo disponibiliza o mapa de ações, no qual é possível verificar a localização, por regional, e o número de pessoas que estão utilizando o App.. O “BH sem Mosquito” conta, ainda, com informações sobre o Aedes aegypti, como o ciclo de vida, características, a forma de contágio, os sintomas e tratamentos das doenças que podem ser transmitidas. 

 

31/01/2018. Mutirão de combate ao Aedes aegypti. Fotos: Mara Damasceno/PBH