Pular para o conteúdo principal

Garis desfilam em passarela do Gari Fashion. Dois deles estão de frente e um de costas. Todos eles usam laranja.

Prefeitura realiza a quinta edição do Gari Fashion

31/07/2018 | 18:24 | atualizado em 05/11/2018 | 09:42

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), realiza a partir desta quarta-feira, dia 1º, a quinta edição do Projeto Gari Fashion intitulada “Gari Fashion – Coleção Pecados Intrínsecos”. A coleção 2018 apresenta looks e acessórios criados por alunas e ex-alunas do curso de moda da Sala Atelier, orientado pela professora de moda Paula de Oliveira Silva e pela designer de moda Jackeline Benfica. O desfile de abertura terá início às 20h, no Museu da Moda de Belo Horizonte (rua da Bahia, 1.149, Centro), com espaço sujeito a lotação.
 

Chefe do Departamento de Políticas Sociais e Mobilização da SLU, Ana Paula da Costa Assunção explica que a nova coleção explora a relação entre a moda e o futuro, associados aos pecados capitais (luxúria, gula, avareza, ira, vaidade, inveja e preguiça) e às virtudes (humildade, simplicidade, dignidade, respeito, fortaleza, humor e amor). “Os modelos foram confeccionados com tecidos de sobras da indústria da moda, além de materiais recicláveis coletados em galpões de catadores”, destaca. A ideia, segundo ela, “é evidenciar o desperdício na forma como as pessoas ainda cometem pecados sociais na destinação de resíduos e, é claro, incentivar a reutilização, de modo criativo e funcional, daquilo que poderia parar no lixo”, ressalta.
 

A exposição, uma das atividades em comemoração aos 45 anos da SLU, poderá ser visitada de 2 de agosto a 2 de setembro, de terça a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados e domingos, das 10h às 14h. A entrada é gratuita.

 

Trajetória

O Projeto Gari Fashion da SLU promove o debate sobre moda sustentável, incentiva e valoriza o trabalho do catador de materiais recicláveis e do gari, bem como apresenta coleções que remontam o dia a dia desse profissional, repensando o desperdício e apresentando soluções de reaproveitamento.
 

O primeiro desfile, “A moda agora é não sujar”, aconteceu no Museu Histórico Abílio Barreto, em 1999, e contou com peças assinadas pelos estilistas mineiros Ronaldo Fraga, Jotta Syballena, Martielo Toledo e Adalgisa Duque.
 

A segunda versão, “Gari Fashion 2012”, realizada no Centro Mineiro de Referência em Resíduos, promoveu um concurso, mobilizando estudantes de estilismo, moda e vestuário da capital mineira.
 

Em 2014, a iniciativa contou com duas atividades: o desfile “Gari Fashion” e a exposição “Gari Cult – Gari Fashion”, na Virada Cultural de BH. Os looks foram criados pelas estilistas Iara Mari e Jackeline Benfica, vencedoras do concurso de 2012.
 

Em 2017, nos 120 anos de Belo Horizonte, os modelos integraram a exposição “Stilo Limpeza Urbana – Gari Fashion, uma alternativa criativa para se repensar o desperdício”, no Museu da Moda de Belo Horizonte e no Boulevard Shopping.
 

As peças da coleção Gari Fashion são compostas por retalhos de tecidos, garrafas PET, telas de construção, banners, faixas de anúncios, tampinhas de garrafas, espelhos quebrados, arames e folhas usadas de caderno, papel reciclado, madeira, saco de linhagem, câmara de ar de pneus, filtros usados de café, lacres de latinhas, embalagens Tetra Pak, entre outros objetos.