Pular para o conteúdo principal

Elenco da peça Auto da Barca da Cidadania após apresentação no dia 19 de março no teatro Bradesco. Ao fundo, público formado por professores e estudantes da Rede Municipal de Educação e convidados.
Foto: Magi Mappa/PBH

Prefeitura lança projetos de protagonismo juvenil em escolas

21/03/2018 | 10:45 | atualizado em 21/03/2018 | 17:13

A Prefeitura de Belo Horizonte lançou, na segunda-feira, dia 19 de março, a edição 2018 dos Projetos de Protagonismo Juvenil para a Formação da Cidadania, desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Educação (Smed), em conjunto com a Controladoria-Geral do Município, Subcontroladoria de Ouvidoria do Município, Subsecretaria de Participação Popular, Câmara Municipal de Belo Horizonte e a Controladoria-Geral da União. A edição deste ano engloba cinco propostas que se articulam em torno do eixo cidadania, envolvendo estudantes do ensino fundamental de 73 escolas da Rede Municipal de Educação. Os projetos desenvolvidos são: Aluno Auditor, Câmara Mirim (Camir), Orçamento Participativo da Criança e do Adolescente (OPCA), Ouvidor Jovem e, a novidade para este ano será o projeto "Um por Todos e Todos por Um" em fase de articulação.

 

Segundo o controlador-Geral do Município, Leonardo Ferraz, projetos que buscam sensibilizar os estudantes e a comunidade sobre a importância do exercício da cidadania ativa são fundamentais para a construção e consolidação da nossa democracia. “Esses alunos são a esperança de um futuro melhor. Eles são atores fundamentais no processo de mudança e na difusão dos preceitos éticos e de uma moral adequada para uma sociedade verdadeiramente democrática”, avaliou.

 

A assessora de Programa e Projetos Educacionais da Smed, Marina Nogueira, também enfatizou a importância dos projetos no dia a dia dos estudantes. “Esses cinco projetos estão entrelaçados e nosso papel é de articular todos com outras atividades e projetos da escola. A grande importância é exatamente isso, formar alunos cidadãos que tenham visão crítica, comprometimento com a escola, consigo mesmo, com a família e com a comunidade”, disse.

 

Para a subsecretária de Governo, Ana Paula Siqueira, as propostas apresentadas para o ano de 2018 são fundamentais para estimular a participação das crianças e adolescentes nos processos da escola e do município. “Os projetos tratam desse protagonismo juvenil e, em sua grande maioria, tem ligação com o processo de participação democrática. Acho que os alunos têm muito a ganhar com a realização desses projetos, uma vez que eles serão introduzidos, não só na teoria como na prática, nos processos participativos que todo estado democrático deve ofertar à sociedade de forma geral."

 

Estudantes mais atuantes

As propostas apresentadas para 2018 comprovam que dinamismo é a palavra que define a rotina das escolas da Rede Municipal de Educação (RME) de Belo Horizonte. O currículo é concretizado por uma série de ações que contribuem para o protagonismo juvenil e a formação cidadã dos estudantes municipais.

 

Maria Vitoria da Costa, 13 anos, estudante da Escola Municipal Zilda Arns, acredita que esses projetos trazem a oportunidade dos jovens manifestarem suas opiniões e refletirem sobre o seu papel na sociedade. “Os alunos têm que ter voz para falar dos problemas e apontar o que precisa ser melhorado na escola, eles estão ali diariamente e sabem mais do que ninguém o que precisa e o que pode ser melhorado. Abrir esses espaços de atuação mais efetiva dos alunos aumenta a contribuição, a participação e o interesse pela escola”, ponderou a estudante.

 

O evento de lançamento, no Teatro Bradesco, reuniu cerca de mil pessoas, entre alunos, professores, convidados e autoridades. Após a apresentação da proposta de trabalho para 2018, foi encenada a peça teatral ‘O Auto da Barca da Cidadania’, inspirada na obra ‘O Auto da Barca do Inferno’ de Gil Vicente, que se tornou um clássico da literatura, que retrata sociedade portuguesa do século XVI e, ao mesmo tempo, possui temas atuais, com uma boa sátira à sociedade. A adaptação encenada por servidores da Prefeitura de Belo Horizonte traz a realidade vivenciada em nosso cotiano e faz parte das ações do projeto ‘Aluno Auditor’.