Pular para o conteúdo principal

Três pessoas entram no ônibus 8551 em plataforma do MOVE
Foto: Divulgação PBH

Prefeitura cria dez novas linhas de ônibus e amplia alternativas de deslocamento

22/04/2019 | 19:01 | atualizado em 24/05/2019 | 14:54

Dez novas linhas de ônibus do transporte coletivo foram criadas pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTrans, nos últimos meses, para ampliar as alternativas de deslocamento para os moradores de diversas regiões da capital. Aprovadas pelas comunidades envolvidas, as medidas tomadas aumentaram a rede de destinos do sistema Move, beneficiando principalmente os moradores de áreas com maior vulnerabilidade social.

 

Entre as linhas criadas estão a 740 (Tupi/Mirante), 826 (Montes Claros/São Rômulo), 902 (Taquaril/Castanheiras); 208 (Betânia/Barreiro via Novo das Indústrias); 5033 (Santa Terezinha/Praça da Liberdade via Tancredo Neves), linha radial; 5203 (Castelo/Estrela do Oriente – via Manacás); 5107 (Estação Pampulha/Savassi); e 8551 (Estação São Gabriel/Estação UFMG via Anel Rodoviário). Além dessas, foram implantadas ainda a 5104 (Suzana/Cruzeiro via Universitário) e a 9415 (Nossa Senhora de Fátima/Bonfim.

 

A ampliação foi discutida com as comunidades em inúmeras reuniões, como assinala a chefe da Assessoria de Mobilização Social da BHTrans, Suzana Belo, em que foram recebidas as demandas e debatidas as melhorias nas regiões envolvidas. São diversos tipos de linhas: as sociais (vilas e favelas, com tarifa de R$1,00), alimentadoras (vão do bairro a uma estação de integração ou às proximidades da estação), radiais (vão do bairro ao Centro e voltam para o mesmo bairro), diametrais (vão de um bairro a outro, passando pela Área Central) e também linhas novas no MOVE.

 

A importância desses encontros foi salientada pelo diretor de transporte público da BHTrans, Daniel Marx Couto. “É gratificante perceber que o esforço despendido nas análises e discussões para viabilizar essas novas linhas contribuiu para melhorar a qualidade de vida das pessoas”, considera.

 

 

Mais conforto e economia 

Morador do bairro Tupi A há 43 anos e membro da Comissão Regional de Transportes e Trânsito (CRTT) da região Norte, Isaltino de Oliveira Castro foi um dos beneficiados com a criação da linha 740 (Tupi/Mirante), de vilas e favelas. “Eu andava quase dois quilômetros para pegar um ônibus. Agora, na rua onde eu moro, há um ponto da linha 740 e ainda podemos fazer a integração com várias outras linhas pagando uma tarifa mais barata”, relata.

 

Além da 740, foram implantadas mais duas novas linhas da rede de vilas e favelas: a 826 (Montes Claros/Rua São Rômulo) e a linha 902 (Taquaril/Castanheiras) para atender as solicitações de moradores das regiões, melhorando o acesso ao transporte coletivo. 

 

Todos os dias, a enfermeira e moradora do bairro Castelo, Letícia Maria Pena, ia até o bairro Ouro Preto de carro para, depois, pegar o ônibus que a deixava próximo ao trabalho. Agora, utiliza a nova linha 5033 (Santa Terezinha/Praça da Liberdade via Tancredo Neves), que tem ponto próximo à sua residência. “A 5033 trouxe um ganho enorme pra mim e para os moradores do bairro e o tempo de viagem ficou bem menor”, diz. 

 

Os moradores do bairro Castelo também passaram a contar com a linha 5203 (Castelo/Estrela do Oriente – via Manacás), que permitiu à funcionária pública Adriana Mendes Rezende chegar mais rápido ao seu destino, já que essa linha também utiliza a faixa exclusiva de ônibus da Pedro II.

 

 

Qualidade de vida          

Para fazer a ligação do bairro Betânia ao centro do Barreiro (via Novo das Indústrias), foi implantada a linha 208 (Betânia/Barreiro via Novo das Indústrias). Com o cartão BHBus, quando o usuário embarca na 208 e pega outra linha alimentadora do Barreiro, a segunda viagem é de graça.

 

Já a nova linha MOVE 8551 (Estação São Gabriel/Estação UFMG via Anel Rodoviário) fez a ligação dos corredores Cristiano Machado e Antônio Carlos, passando pelo Anel Rodoviário e permitindo novas integrações com o sistema MOVE. Coordenador da associação do bairro Universitário, Célio Tavares conta que a 8551 possibilitou aos moradores irem até à estação UFMG, na avenida Antônio Carlos, e fazer a integração com o MOVE, ampliando a possibilidade de irem a outros lugares da cidade.

 

Em fevereiro deste ano, foi implantada a linha 5107 (Estação Pampulha/Savassi), que fez a conexão do corredor MOVE Antônio Carlos com a Savassi, melhorando o atendimento dos usuários das Estações Pampulha, Vilarinho e Venda Nova. “Foi sensacional a implantação dessa linha”, comemora Tatiane Scarlet Silva, de Venda Nova. “Pego a 5107 no meu bairro e vou direto para a faculdade, na Savassi”, conta.

 

Já nos bairros Suzana, Universitário e Cruzeiro, o transporte coletivo passou por uma reestruturação e as linhas 5101 (Suzana/Cruzeiro) e 5031 (Suzana/Savassi via Universitário) foram substituídas pela nova linha 5104 (Suzana/Cruzeiro via Universitário). O objetivo foi ampliar as opções de deslocamento, aumentar o número de viagens e diminuir o tempo de espera nos pontos.

 

A nova linha 9415 (Nossa Senhora de Fátima/Bonfim) permitiu aos moradores do Bonfim acesso à Área Hospitalar e região Leste (rua Niquelina e Hospital da Baleia) e ao Mercado Central (avenida Augusto de Lima). Já os moradores do Nossa Senhora de Fátima passaram a ter ligação direta com o bairro Bonfim (Cemitério do Bonfim).

 

 Cartão BHBUS - Com o Cartão BHBus, o usuário, além de evitar filas nas bilheterias das estações, economiza todos os dias: tem desconto na integração com o segundo ônibus ou metrô. E aos domingos e feriados, pega um segundo ônibus ou faz a integração com o metrô pagando, no máximo, a tarifa de R$ 4,50. A integração é válida no intervalo de uma hora e meia. 

 

 

22/04/2019. BHTrans cria novas linhas de ônibus. Fotos: BHTrans/Divulgação