Pular para o conteúdo principal

Mais de dez pessoas, sentadas, cada uma erguendo uma bola rosa entre as mãos, e uma mulher atrás, fazendo o mesmo movimento.
Foto: Divulgação PBH

PBH promove roda de conversa sobre direitos da pessoa idosa em centro de saúde

01/07/2019 | 20:46 | atualizado em 02/07/2019 | 14:59

O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial. No Brasil, há um número cada vez maior de pessoas idosas. São cidadãos usuários dos serviços sociais, de saúde, de proteção e que precisam ter seus direitos garantidos. Com o objetivo de refletir sobre os direitos da pessoa idosa e conscientizar sobre as formas de violência contra esse público, a Prefeitura de Belo Horizonte, realizou, no dia 11 de junho, no Centro de Saúde São José, na região da Pampulha, a roda de conversa sobre Violação de Direitos da Pessoa Idosa. Participaram 23 pessoas integrantes do grupo de mulheres do centro de saúde.

 

A roda de conversa foi conduzida pela assistente-administrativa Cláudia Pessoa. Os assuntos tratados foram os tipos de violência e maus-tratos contra a pessoa idosa, perfil dos idosos vítimas de violência, perfil do agressor, dados sobre a violência em Minas Gerais a partir de denúncias captadas pelo Disque 100, o que fazer e a quem recorrer nesses casos. “Foi um momento muito rico e esclarecedor porque uma grande maioria não percebia certas atitudes como violência”, esclareceu Luciana Lataliza, assistente social e uma das coordenadoras do grupo, que, ao final da atividade, ofereceu aos participantes uma aula de ginástica laboral.

 

Rosângela Maria Ramos, 63, gostou muito de participar. “Foi muito importante, porque não se deve maltratar os idosos. Eu também não sabia que podia denunciar e aonde ir nesses casos. Este tipo de atividade tem que acontecer mais vezes”, disse. Aos 68 anos, Maria Inez dos Santos Corgozinho aprendeu mais sobre seus direitos. “Eu tenho muito medo de ser mal tratada na minha velhice e, às vezes, eu até choro por isso. Agora eu já sei dos meus direitos e onde recorrer”, considerou.  

 

Para Maria Neuza Venâncio, 61, foi uma oportunidade de aprendizado: “Achei muito interessante. Já cuidei de muitos idosos e aprendi muita coisa. A gente sempre vê alguém praticando a violência, como vizinhos ou parentes. Agora, sabendo disso, vou tomar as providências, ligar para o Disque 100, chamar os órgãos públicos e denunciar”, disse.

 

“Para assegurar o envelhecimento da população de forma saudável, tranquila e com dignidade, é preciso trabalhar intensamente na prevenção da violência, na identificação do agressor e no encaminhamento correto destes casos, por isso a importância de conscientizar sobre o dia 15 de junho, Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa”, afirmou Cláudia Pessoa.

 

Gerente do Centro de Saúde São José, Renata Nunes ressaltou a importância de conscientizar sobre o tema. “É muito importante falarmos sobre violência, para que as pessoas não ignorem esses acontecimentos. Juntos, construiremos uma rede de ajuda, reflexão e busca pela erradicação de atos tão bárbaros contra a pessoa humana”, disse.   

 

 

Promoção da saúde para a pessoa idosa

Coordenado pela assistente social Luciana Lataliza e pela assistente-administrativa Cláudia Pessoa, o grupo de mulheres do Centro de Saúde São José é composto por cerca de 45 mulheres. O grupo de mulheres do Centro de Saúde São José se reúne todas as terças-feiras, às 14h, na sede da unidade, à rua Violeta de Melo, 655, Jardim São José.


Últimas Notícias

Informativo sobre o Coronavírus em Belo Horizonte Baixa de construção pode ser obtida utilizando drone e por meio digital

A Prefeitura construiu um procedimento para que a baixa de construção possa ser feita por fotos e vídeos obtidos por drone.

29/05/2020 | 17:37
Prestação de contas na Câmara Municipal de Belo Horizonte PBH intensifica ações na Saúde e Políticas Sociais, mesmo com queda nas receitas

Dados demonstram que o Município arrecadou R$ 4,7 bilhões de janeiro a abril, cerca de 34% do total previsto para o ano – R$ 13,7 bilhões.

29/05/2020 | 12:05