Pular para o conteúdo principal

Seis pessoas participam de curso de lançamento de cordas em pontos de alagamento.
Foto: Divulgação/PBH

PBH e Bombeiros realizam treinamento em pontos de alagamento

15/02/2018 | 14:12 | atualizado em 16/05/2018 | 13:43
A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel) e da Subsecretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil, em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, está promovendo o treinamento de voluntários para amarração e lançamento de cordas em diversos pontos de alagamento nas avenidas Teresa Cristina, Francisco Sá, Prudente de Morais, Bernardo Vasconcelos e Vilarinho. As atividades fazem parte do conjunto de ações preventivas para o período chuvoso e têm o objetivo de capacitar não só os integrantes dos Núcleos de Alerta de Chuva (NAC), mas também outras pessoas que moram ou trabalham em áreas suscetíveis a enchentes e inundações. 

De acordo com a diretora de Risco e Assistência Técnica da Urbel, Isabel Volponi, o  treinamento desses moradores e comerciantes é fundamental para reduzir os riscos em casos de enchentes. "Em parceria com o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil, foram selecionados 34 pontos em cinco áreas que possuem histórico de inundação, além de NAC já constituído e localizado em pontos estratégicos. Com a capacitação, os voluntários serão capazes de salvar pessoas sem colocar a própria vida em risco. Muitos já fizeram salvamentos anteriormente, mas com este trabalho, eles têm a oportunidade de prestar socorro com mais segurança", avaliou.
 
Durante as capacitações, o agente de Proteção da Defesa Civil, Roque Silva, ensina os vários tipos de nós e arremessos de cordas e ainda reforça a necessidade da autoproteção. "Pode parecer simples, mas esse aprendizado é importantíssimo. Muitas dessas técnicas são utilizadas no esporte radical e prezam pela segurança dos praticantes. E é sempre bom lembrar que esses recursos só devem ser utilizados por quem tem esse tipo de conhecimento. Numa inundação, quando a água atinge mais de 15 ou 20 centímetros, já é o suficiente para arrastar uma pessoa", explicou. 

Adalberto Dias, pastor auxiliar de uma igreja no Prado, participou do treinamento e conhece bem essa realidade. Isso porque a avenida Francisco Sá é considerada uma área crítica de alagamento, onde a água represada pode chegar a 80 centímetros de altura devido à sua posição geográfica. "Várias vezes eu presenciei carros e pessoas sendo arrastadas por aqui e até me arrisquei para ajudar. Mas hoje é diferente, pois recebi orientações e aprendi a maneira correta, como a amarração de cordas e a análise mais técnica da situação. Acho essa iniciativa da Prefeitura muito interessante pra gente se sentir mais seguro e confiante", elogiou.