Pular para o conteúdo principal

PBH consegue liminar que garante proteção provisória da Serra do Curral
Foto: Adão de Souza/PBH

PBH consegue liminar que garante proteção provisória da Serra do Curral

criado em 15/07/2022 - atualizado em 15/07/2022 | 19:25

A Procuradoria-Geral do Município de Belo Horizonte conseguiu, nesta sexta-feira (15), reverter a decisão anterior do juiz Rogério Santos Araújo Abreu, da 5º Vara de Fazenda Pública e Autarquias, que suspende os efeitos da portaria do Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) que previa a proteção provisória da Serra do Curral nas áreas de limite da capital com Nova Lima e Sabará. A liminar foi concedida pelo desembargador José Arthur de Carvalho Pereira Filho, presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. A decisão também reverte a suspensão das discussões sobre o tombamento da Serra do Curral em reunião entre o Iepha e o Conselho Estadual de Patrimônio Cultural (Conep).

 

No recurso, apresentado contra a decisão anterior que beneficiava a Tamisa no empreendimento Complexo Minerário Serra do Taquaril (CMST), localizado na Serra do Curral, a Prefeitura de Belo Horizonte argumenta que  a decisão anterior pode “causar grave ameaça à ordem pública, impedindo a efetivação da tutela do patrimônio cultural, além da colisão frontal com as normas constitucionais”.

 

Em sua decisão o desembargador argumenta que, diante dos fatos apresentados, fica demonstrado “de modo suficiente” o risco de “grave lesão”.  “No entanto, sob a ótica da grave lesão, é cristalino que permitir tal exploração representa um potencial seriamente lesivo à ordem pública, “impedindo a efetivação da tutela do patrimônio cultural, além da colisão frontal com as normas constitucionais”.

 

Com a decisão, fica retomada a proteção provisória da Serra do Curral pelo Iepha, até o posicionamento definitivo do Conep. Evitando, assim, que os danos ao patrimônio cultural, ao meio ambiente e ao bem-estar da população de Belo Horizonte seriam irreversíveis.

 

Clique AQUI para consultar a decisão liminar.

Clique AQUI e confira a íntegra do pedido apresentado pela PGM.

 

Ação

 

No início de julho, a Procuradoria-Geral do Município ingressou com Ação Civil Pública. contra o licenciamento ambiental concedido pelo Estado de Minas Gerais à Tamisa no empreendimento Complexo Minerário Serra do Taquaril (CMST), localizado na Serra do Curral. A ação dá prosseguimento ao pedido de tutela cautelar antecipada ajuizada pela PGM em 3 de maio – ainda não julgada pela Justiça.

 

A nova ação consolida profundas análises técnicas realizadas por diversos órgãos ao longo dos meses de maio e junho, que permitiram uma melhor compreensão dos graves riscos a Belo Horizonte decorrentes das atividades minerárias na Serra do Curral, e faz o pedido definitivo para não ser permitida a exploração minerária na área.

 

Na ação, ainda foram apontados vícios formais relativos à alteração, pelos órgãos estaduais, da modalidade do Processo de Licenciamento Ambiental do empreendimento. Também foi reafirmada a inconstitucionalidade do Decreto Estadual 47.383/2018, que excluiu a participação do Município de Belo Horizonte do processo de licenciamento da Serra do Curral.

 

A ação recebeu o n. 5141024-50.2022.8.13.0024 e foi distribuída à 5ª Vara de Fazenda Pública Estadual de Belo Horizonte.