Pular para o conteúdo principal

Mais de dez pessoas fazem parte de sarau com dança e violão em sala com cadeiras.
Foto: Divulgação PBH

Oficina Lúdica proporciona momentos de descontração na regional Noroeste

27/04/2018 | 17:37 | atualizado em 27/04/2018 | 17:57
Com foco na qualidade de vida, exercício de cidadania e inclusão na vida social, e com caráter preventivo, o Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência (SPSPD) da Prefeitura de Belo Horizonte utiliza como uma das estratégias as intervenções desenvolvidas pelo programa Mala de Recursos Lúdicos, como a Oficina Lúdica.  Previamente organizados, os encontros da Oficina Lúdica têm seus objetivos definidos pela equipe do Serviço de Proteção a partir de questões ou situações vivenciadas pelo público atendido e são marcados por descontração, alegria, prazer, espontaneidade, criatividade e muito aprendizado. 


No último mês de março, a Oficina Lúdica foi realizada na Coordenadoria de Atendimento Regional Noroeste em forma de um sarau, no qual os participantes puderam apresentar suas aptidões artísticas, trabalhos realizados durante o acompanhamento e, principalmente, expressarem-se a respeito das experiências vividas. 


De acordo com a psicóloga do SPSPD/NO, Flávia Maria Alves, a atividade teve como objetivo finalizar um ciclo de maneira lúdica. “Incentivamos os participantes a contribuir para a oficina com o aprendizado que tiveram, ocorrendo uma troca de experiências e avaliação do processo de acompanhamento das famílias, além de uma exposição com os trabalhos desenvolvidos durante as visitas em domicílio”, explica. 


A psicóloga destaca que o programa Mala de Recursos Lúdicos contribui para o fortalecimento de vínculos proporcionando vivências lúdicas e prazerosas. Ela ressalta que, dessa forma, atua-se na prevenção da exclusão e do isolamento social da pessoa com deficiência e suas famílias, além de possibilitar o desenvolvimento de potencialidades e habilidades. 


“As famílias são acompanhadas em seus domicílios, recebendo visitas periódicas da equipe do Serviço de Proteção Social, formada por uma assistente social e uma psicóloga. Após avaliação, a família é incluída para acompanhamento do programa, que conta com dois educadores sociais lúdicos”, afirma a psicóloga. 


Os projetos coletivos são muito importantes para a proposta do programa, que incentiva também atividades externas, como visitas a museus, parques, praças e cinemas. O trabalho da autoestima se tornou um tema central para esse público, de acordo com os coordenadores, o que também inclui conhecer seus direitos, conviver com pessoas que enfrentam os mesmos desafios e trocar experiências.


O irmão de Júlio Cesar Cerqueira apresenta deficiência múltipla é atendido pelo Serviço de Proteção e está inserido no Programa. Para ele, o Mala de Recursos Lúdicos é um trabalho muito importante as pessoas com deficiência e suas famílias. “É de grande ajuda para pessoas deficientes, como no caso do meu irmão e outros participantes. Os usuários normalmente não têm outra forma de divertimento e levar isto é muito gratificante para todos. Só temos a agradecer”, afirma. 



O que é o Programa Mala de Recursos Lúdicos?

O programa consiste em uma tecnologia social que utiliza o lúdico como uma ferramenta de possibilidades: momentos de prazer, entrega e integração dos envolvidos. Na atividade lúdica, o que importa não é apenas o produto da atividade, o que dela resulta, mas a própria ação, o momento vivido. Possibilita a quem a vivencia, momentos de encontro consigo e com o outro. A tecnologia pretende qualificar o Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência na medida em que potencializa as ações do processo de acompanhamento sociofamiliar na direção do fortalecimento de vínculos familiares, sociais e comunitários, com vistas à inclusão social.


São atividades lúdicas ofertadas no âmbito domiciliar, na comunidade e na cidade, possibilitando o acesso a espaços públicos de cultura, esporte, lazer, entre outros. O instrumento de trabalho é composto por uma mala customizada, que contém materiais diversos (fantoches, jogos, brinquedos, livros, entre outros objetos), o que abre a possibilidade da novidade, da magia e do convite ao lúdico, por meio das relações de afeto e do envolvimento da família em torno da pessoa com deficiência.



Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência

O Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência atua nas nove coordenadorias regionais da cidade, sendo composto por um assistente social, um psicólogo e dois educadores sociais lúdicos do programa Mala de Recursos Lúdicos, em cada coordenadoria. Tem o objetivo de desenvolver ações de prevenção a situações de exclusão e isolamento social de pessoas com deficiência e suas famílias, por meio da interação social e fortalecimento de vínculos familiares e comunitários visando a igualdade, equiparação de oportunidades e participação pelo desenvolvimento da autonomia. As famílias são inseridas no serviço a partir da identificação da situação de vulnerabilidade social. A forma de acesso se dá mediante indicações e encaminhamentos da rede de serviços e comunidade. Atualmente, cerca de 1.100 famílias estão vinculadas ao Serviço de Proteção.

 

 

27/04/2018. Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência comemora resultados positivos na regional Noroeste. Fotos: Divulgação/PBH


Últimas Notícias

#Vá de ônibus: Cruzeiro x Boa Esporte, 22/1, 21h30 Operação de trânsito e transporte para o jogo Cruzeiro x Boa Esporte, dia 22

Será disponibilizada a linha 55 – MOVE Mineirão, saindo da Estação Rio de Janeiro (Plataforma 1B – avenida Santos Dumont).

21/01/2020 | 15:20
Pessoa com o braço esticado fazendo o teste de hanseníase Prefeitura promove ações para alertar sobre sinais e sintomas da Hanseníase

As atividades vão se estender até 20 de fevereiro e têm objetivo de alertar a sociedade civil sobre os sinais e sintomas da doença.

17/01/2020 | 17:28