Pular para o conteúdo principal

Mais de dez pessoas fazem parte de sarau com dança e violão em sala com cadeiras.
Foto: Divulgação PBH

Oficina Lúdica proporciona momentos de descontração na regional Noroeste

27/04/2018 | 17:37 | atualizado em 27/04/2018 | 17:57
Com foco na qualidade de vida, exercício de cidadania e inclusão na vida social, e com caráter preventivo, o Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência (SPSPD) da Prefeitura de Belo Horizonte utiliza como uma das estratégias as intervenções desenvolvidas pelo programa Mala de Recursos Lúdicos, como a Oficina Lúdica.  Previamente organizados, os encontros da Oficina Lúdica têm seus objetivos definidos pela equipe do Serviço de Proteção a partir de questões ou situações vivenciadas pelo público atendido e são marcados por descontração, alegria, prazer, espontaneidade, criatividade e muito aprendizado. 


No último mês de março, a Oficina Lúdica foi realizada na Coordenadoria de Atendimento Regional Noroeste em forma de um sarau, no qual os participantes puderam apresentar suas aptidões artísticas, trabalhos realizados durante o acompanhamento e, principalmente, expressarem-se a respeito das experiências vividas. 


De acordo com a psicóloga do SPSPD/NO, Flávia Maria Alves, a atividade teve como objetivo finalizar um ciclo de maneira lúdica. “Incentivamos os participantes a contribuir para a oficina com o aprendizado que tiveram, ocorrendo uma troca de experiências e avaliação do processo de acompanhamento das famílias, além de uma exposição com os trabalhos desenvolvidos durante as visitas em domicílio”, explica. 


A psicóloga destaca que o programa Mala de Recursos Lúdicos contribui para o fortalecimento de vínculos proporcionando vivências lúdicas e prazerosas. Ela ressalta que, dessa forma, atua-se na prevenção da exclusão e do isolamento social da pessoa com deficiência e suas famílias, além de possibilitar o desenvolvimento de potencialidades e habilidades. 


“As famílias são acompanhadas em seus domicílios, recebendo visitas periódicas da equipe do Serviço de Proteção Social, formada por uma assistente social e uma psicóloga. Após avaliação, a família é incluída para acompanhamento do programa, que conta com dois educadores sociais lúdicos”, afirma a psicóloga. 


Os projetos coletivos são muito importantes para a proposta do programa, que incentiva também atividades externas, como visitas a museus, parques, praças e cinemas. O trabalho da autoestima se tornou um tema central para esse público, de acordo com os coordenadores, o que também inclui conhecer seus direitos, conviver com pessoas que enfrentam os mesmos desafios e trocar experiências.


O irmão de Júlio Cesar Cerqueira apresenta deficiência múltipla é atendido pelo Serviço de Proteção e está inserido no Programa. Para ele, o Mala de Recursos Lúdicos é um trabalho muito importante as pessoas com deficiência e suas famílias. “É de grande ajuda para pessoas deficientes, como no caso do meu irmão e outros participantes. Os usuários normalmente não têm outra forma de divertimento e levar isto é muito gratificante para todos. Só temos a agradecer”, afirma. 



O que é o Programa Mala de Recursos Lúdicos?

O programa consiste em uma tecnologia social que utiliza o lúdico como uma ferramenta de possibilidades: momentos de prazer, entrega e integração dos envolvidos. Na atividade lúdica, o que importa não é apenas o produto da atividade, o que dela resulta, mas a própria ação, o momento vivido. Possibilita a quem a vivencia, momentos de encontro consigo e com o outro. A tecnologia pretende qualificar o Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência na medida em que potencializa as ações do processo de acompanhamento sociofamiliar na direção do fortalecimento de vínculos familiares, sociais e comunitários, com vistas à inclusão social.


São atividades lúdicas ofertadas no âmbito domiciliar, na comunidade e na cidade, possibilitando o acesso a espaços públicos de cultura, esporte, lazer, entre outros. O instrumento de trabalho é composto por uma mala customizada, que contém materiais diversos (fantoches, jogos, brinquedos, livros, entre outros objetos), o que abre a possibilidade da novidade, da magia e do convite ao lúdico, por meio das relações de afeto e do envolvimento da família em torno da pessoa com deficiência.



Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência

O Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência atua nas nove coordenadorias regionais da cidade, sendo composto por um assistente social, um psicólogo e dois educadores sociais lúdicos do programa Mala de Recursos Lúdicos, em cada coordenadoria. Tem o objetivo de desenvolver ações de prevenção a situações de exclusão e isolamento social de pessoas com deficiência e suas famílias, por meio da interação social e fortalecimento de vínculos familiares e comunitários visando a igualdade, equiparação de oportunidades e participação pelo desenvolvimento da autonomia. As famílias são inseridas no serviço a partir da identificação da situação de vulnerabilidade social. A forma de acesso se dá mediante indicações e encaminhamentos da rede de serviços e comunidade. Atualmente, cerca de 1.100 famílias estão vinculadas ao Serviço de Proteção.

 

 

27/04/2018. Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência comemora resultados positivos na regional Noroeste. Fotos: Divulgação/PBH


Últimas Notícias

Prédio da Prefeitura é iluminado em sinal de luto pelas vítimas da Covid-19 Prédio da Prefeitura é iluminado em sinal de luto pelas vítimas da Covid-19

No sábado, o prefeito Alexandre Kalil decretou luto oficial de três dias no município, por meio do Decreto 17.409/2020.

10/08/2020 | 18:29
Imagens da hidrossemeadura realizada no bairro Paulo VI Obra de contenção de encosta no Paulo VI está em fase final

Antes da conclusão do empreendimento, será preciso fazer apenas um complemento de obra, que inclui a construção de dois muros de arrimo.

10/08/2020 | 16:52