Pular para o conteúdo principal

Taxista ao lado de táxi em rua arborizada, durante o dia.
Foto: Divulgação PBH

Objetos esquecidos em táxis podem ser recuperados

21/12/2017 | 16:50 | atualizado em 29/12/2017 | 15:45
Com a correria do dia a dia, não é raro as pessoas entrarem no táxi e, ao desembarcarem, deixar algum objeto no veículo. Normalmente, os itens esquecidos devem ser entregues no setor de achados e perdidos da Rodoviária Central, mas a BHTrans também faz a sua parte para ajudar os donos a encontrarem aquilo que perderam. 

 

De acordo com José Edward Leão Coelho, técnico de Transportes e Trânsito da Gerência de Atendimento ao Usuário da BHTrans, os taxistas, muitas vezes, devolvem os objetos na Gerência. Quando isso acontece, a empresa faz o registro no sistema, com nome do taxista, placa do veículo e emite um recibo à pessoa que fez a devolução. 


Em seguida, o objeto é enviado ao posto da Rodoviária, onde pode ser procurado pelos passageiros. O setor de achados e perdidos fica na área de desembarque e o atendimento ao público é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h.


“Quando conseguimos identificar o usuário que esqueceu o objeto, entramos em contato com ele. Já aconteceu de descobrirmos pelo Facebook uma usuária de uma cidade do interior que tinha esquecido uma carteira com todo o seu salário do mês. Entramos em contato com ela e providenciamos a devolução”, relata Edward, que salienta, no entanto, que é sempre importante anotar a placa e o nome do condutor para facilitar a identificação do táxi e recuperar os objetos.   



Honestidade 

A devolução do objeto é registrada no prontuário do taxista e ele recebe uma correspondência elogiando a sua conduta. Esse reconhecimento é importante, pois muitas vezes os taxistas facilitam o trabalho, como conta a passageira Nacyra Linhares.


Ao voltar do casamento do filho, no interior, Nacyra esqueceu uma sacola no táxi. Após duas semanas, o taxista foi até o seu prédio para devolver. “Ele lembrou onde eu morava e foi pessoalmente me entregar. Fiquei muito feliz e agradecida pela honestidade dele”, disse Nacyra. 

 

Taxista há 40 anos, Rui Gomes dos Santos já perdeu a conta de quantos usuários esqueceram objetos no seu táxi. Foram vários telefones celulares, carteiras com dinheiro e até pasta com documentos. Em todos os casos, ele fez questão de devolver. Quando não consegue identificar o cliente, ele entrega no setor de achados e perdidos da rodoviária. 

 

“Nesse mundo em que vivemos, com tanta pressa, é importante que o cliente procure sempre mentalizar a placa do táxi porque, caso esqueça algum objeto no veículo, fica mais fácil entrar em contato com o taxista”, orienta. 

 

 

21/12/2017. Achados e perdidos. Fotos: Divulgação/PBH