Pular para o conteúdo principal

Informativo sobre o Cornavírus em Belo Horizonte
Foto: Arte PBH

Óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave em BH são testados para Covid-19

10/06/2020 | 19:00 | atualizado em 15/06/2020 | 16:46

Belo Horizonte conta com sistema de vigilância epidemiológica estruturado, que monitora e investiga os óbitos por doenças transmissíveis. Todos os casos de mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) são notificados e a Secretaria Municipal de Saúde monitora e orienta para a coleta de material para identificação de qual o vírus respiratório. Em 2020, devido à pandemia do novo Coronavírus todos os óbitos por Srag são prioritariamente testados para Covid-19, por método RT PCR.

A Secretaria Municipal de Saúde faz um trabalho constante para sensibilizar os profissionais de saúde sobre a importância da notificação dos casos de Srag. Em conseqüência, a identificação das causas dos óbitos e quais os vírus respiratórios estão circulando em maior incidência.

“Esse aumento é natural. Sempre que há uma maior incidência de uma determinada doença, identificamos aumento na notificação. Isso é importante, pois além da vigilância epidemiológica, o paciente já recebe orientações e tratamento, antes mesmo do diagnóstico final, com resultado do exame”, explica o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto.

Dados de 6 de junho apontam que, em Belo Horizonte, a relação de Srag para Covid-19 era de 5 casos de Srag para 1 um caso de Covid-19.