Pular para o conteúdo principal

Mulher dá aula para doze crianças.
Foto: Adão de Souza/PBH

No Dia Mundial da Voz, PBH destaca ações voltadas à saúde vocal dos servidores

16/04/2019 | 19:19 | atualizado em 16/04/2019 | 19:57

Na terça-feira, dia 16 de abril, é comemorado o Dia Mundial da Voz, data que marca a importância da conscientização das pessoas sobre os cuidados com a preservação da voz. A Prefeitura de Belo Horizonte mantém um programa que cuida especificamente dessa temática: o Saúde Vocal. Coordenado pela Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, o programa tem como proposta realizar ações de promoção e prevenção para os servidores que utilizam com frequência a voz, em especial os professores da Rede Municipal de Educação.

 

A fonoaudióloga da Gerência de Saúde do Servidor, Simone Patrocínio, explica que, por meio do programa, são realizadas avaliações vocais admissionais, quando o servidor ingressa na Prefeitura, e acompanhamentos periódicos, a cada dois anos. “Também realizamos palestras e oficinas nas regionais da Prefeitura para abordar o assunto, bem como visitas técnicas às escolas de Ensino Fundamental e de Educação Infantil e aos núcleos do programa Academia da Cidade, para observação da atuação dos profissionais, do ambiente e da organização do trabalho”, informou a fonoaudióloga.

 

Em 2018, o Programa de Saúde Vocal realizou cerca de seis mil acompanhamentos periódicos, orientou 454 recém-nomeados em palestras admissionais e fez o acompanhamento de 181 servidores nos grupos de prevenção. “Além dos professores, também são realizadas ações voltadas para os educadores físicos da Secretaria Municipal de Saúde”, destacou Simone.

 

A fonoaudióloga Mariana Valle, também da Gerência, conta que os encontros promovidos pelos grupos de prevenção são divididos em dois momentos: trabalhos compartilhados, para troca de experiências e informações, e atendimento individualizado, com duração de 30 minutos.

 

“Nos grupos, apresentamos aos servidores os cuidados com a voz e os exercícios de aquecimento e desaquecimento vocal, com o intuito de não deixar agravar os casos em que há alterações na voz. A segunda sessão é feita individualmente, porque fazemos a revisão dos exercícios”, disse.

 

Vânia Simões é professora de Educação Infantil e participou de um dos grupos. “Fiz uma revisão individual dos exercícios apresentados no primeiro encontro e verifiquei com a fonoaudióloga se há uma necessidade de outras orientações. Foi a primeira vez que participei e, com apenas uma semana de exercícios, já sinto minha voz mais tranquila e com mais conforto para falar”, relatou.

 

 

Local de trabalho

As demandas apresentadas pelas escolas ou professores são analisadas pela equipe de Fonoaudiologia da Gerência de Saúde do Servidor, que vão ao local verificar as condições de trabalho dos professores e como eles estão fazendo uso da voz nas salas de aulas. Em alguns casos, o uso de microfone é indicado para os professores que apresentam alguma alteração. “É bom ressaltar que os aparelhos são patrimônios das escolas e são disponibilizados para os professores que se enquadram dentro de critérios específicos de indicação estabelecidos em parceria com a Secretaria Municipal de Educação”, ressaltou Simone.

 

Na sexta-feira, dia 12, duas fonoaudiólogas da Secretaria de Planejamento visitaram a Escola Municipal Honorina de Barros, no bairro São Cristóvão, na região Noroeste, para acompanhar de perto a professora Solange Barcelos, que está utilizando o microfone durante as aulas. “Ela participou do grupo de prevenção no ano passado e teve a orientação para usar o equipamento em sala. Fomos, agora, à escola para verificar como está sendo o processo de adaptação, além de observar também o ambiente em relação a ruídos”, assinalou.

 

Vanessa é professora de Português, Matemática, Literatura e História no período da tarde e também faz uso do microfone. “Tive a recomendação de utilizar o microfone na sala de aula e a Prefeitura providenciou o aparelho para mim. Meu tom de voz é baixo e o aparelho ajuda a amplificar minha voz. Aliado a isso, faço exercícios vocais, além de relaxamento da voz”, contou.

 

 

Contatos

Qualquer servidor que queira realizar uma avaliação da voz e receber orientações preventivas quanto ao seu uso pode entrar em contato pelo telefone 3246-0478 ou e-mail: fonosaudevocal@pbh.gov.br.

 

 

Dicas para cuidar da voz

- Hidratação

- Evitar bebida alcoólica

- Evitar falar muito, alto, rápido ou gritar

- Comer maçã, salsão e beber sucos de frutas cítricas

- Evitar alimentos gordurosos e muito condimentados

- Manter uma postura correta

- Fazer repouso vocal relativo após o uso intensivo da voz

- Praticar esportes regularmente

- Dormir bem

- Realizar exercícios de aquecimento e desaquecimento vocal