Pular para o conteúdo principal

Cruzamento da avenida Afonso Pena com rua Tupinambás com as intervenções do Mobicentro.
Foto: Divulgação PBH

Mobicentro: intervenções no trânsito diminuem os atropelamentos no centro de BH

06/12/2018 | 14:56 | atualizado em 06/12/2018 | 15:59

A Operação Trânsito Melhor ou Mobicentro é um programa da Prefeitura de Belo Horizonte, realizado por meio da BHTrans, que está transformando o centro da capital numa área de convivência mais harmoniosa entre veículos e pedestres. Onde houve intervenção do Mobicentro, ocorreu também uma redução de 18% do número de atropelamentos, principal motivo de mortes em acidentes de trânsito.

 

O objetivo do programa é desenvolver soluções de engenharia de tráfego e de transportes para a melhoria da mobilidade urbana. O foco é o pedestre, o transporte público e um ambiente sustentável. Para o diretor de sistema viário da BHTrans, José Carlos Mendanha Ladeira, o Mobicentro é o exemplo de uma interferência na cidade com pequenas obras, com custo baixo, obtendo ótimos resultados.

 

Já foram realizadas 25 intervenções do Mobicentro em Belo Horizonte, como mudanças de circulação, nova sinalização, travessias, aumento do tempo de verde para os pedestres, semáforos sonoros para deficientes visuais, tratamento das calçadas com acessibilidade universal e criação de ilhas de refúgio para travessia das ruas. As mudanças ocorreram nas praças Sete e da Estação, nas avenidas Afonso Pena, Amazonas, Barbacena, Brasil, Carandaí, João Pinheiro, e nas ruas Rio de Janeiro, Curitiba, Tupinambás, Espírito Santo e Tupis, entre outros locais.

 

A diminuição no número de atropelamentos no centro da capital, a melhora do fluxo de veículos da saída do hipercentro e a redução do consumo de combustível e de emissão de gases poluentes estimularam a ampliação do Mobicentro. Atualmente as mudanças estão sendo realizadas na avenida Amazonas, entre ruas São Paulo e Tamoios e em outras nove interseções isoladas na área central e na área hospitalar.

 

Tereza Ferreira Raminho, 59 anos, trabalha no Centro e, todos os dias, precisa atravessar no cruzamento da avenida Amazonas com rua São Paulo. “Sempre atravesso correndo porque o sinal fecha rápido pra gente. Com essa obra, acredito que vai ficar melhor para os pedestres atravessarem, principalmente para os velhinhos e as crianças”, diz ela. Tereza frisa que os pedestres são muito vulneráveis no trânsito e priorizá-los é muito importante para a sua segurança.

 

 

Travessias mais seguras

Além das pequenas obras nas vias, a segurança nas travessias é obtida com um planejamento mais apurado da programação dos semáforos.

 

Nas regiões tratadas, o tempo do ciclo do semáforo foi modificado, aumentando em 33% a oportunidade de os pedestres atravessarem. Além disso, para calcular o tempo destinado ao pedestre, a BHTrans adotou o tempo de 0,9 metros por segundo, mais apropriado para os idosos. De acordo com a norma técnica, a velocidade de caminhada do pedestre de 1,2 metros por segundo.

 

Os bons resultados do programa já renderam ao Mobicentro dois prêmios internacionais. O concurso Governarte - Prêmio Eduardo Campos, na categoria “Segurança no Trânsito em Ação”, concedido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e o prêmio STA - Sustainable Transport Award, do ITDP – Institute for Transportation and Development Policy.

 

As intervenções do Trânsito Melhor - Mobicentro contam com o apoio do BDMG e da Agência Francesa de Desenvolvimento, que é uma instituição que ajuda a promover o crescimento econômico sustentável nos países em desenvolvimento.

 

De acordo com o presidente da BHTrans, Celio Freitas Bouzada, os resultados alcançados pelo programa do Mobicentro, especialmente os relacionados à situação histórica da vulnerabilidade do pedestre no trânsito,  estão transformando as condições de mobilidade na área central de Belo Horizonte. "Deixar a cidade mais harmoniosa é o reflexo de um projeto feito para as pessoas" assegura Celio Freitas.

 

Confira aqui mapas e dados sobre o Mobicentro.

 

Operação Mobicentro da av. Amazonas e rus Tamoios e São Paulo.

 

 

06/12/2018. Mobicentro - Divulgação/PBH