Pular para o conteúdo principal

Elefante atrás de local com grades é observado por mais de 20 pessoas, em zoológico, durante o dia.
Foto: Herlandes Tinoco

Manejo é tema do 43º Congresso da Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil

23/05/2019 | 18:18 | atualizado em 24/05/2019 | 09:31

O 43º Congresso da Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil está reunindo, em Belo Horizonte, cerca de 350 participantes, entre estudantes, pesquisadores, palestrantes, voluntários e profissionais de Zoológicos de todo o mundo. O evento teve início na terça-feira, dia 22 de maio, e vai até o próximo sábado, dia 25. Essa edição, sediada pela Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica da Prefeitura de Belo Horizonte, também marca os 60 anos do Jardim Zoológico, comemorados em 25 de janeiro.

 

Para quinta-feira, dia 23, estão programadas apresentações sobre os projetos “Tatu-canastra” e “Bandeiras e Rodovias” e a palestra “Febre Amarela: novas lições de uma antiga doença (dra. Betânia Drumond, da UFMG). Estão ainda na programação debates sobre medicina veterinária de peixes (Dr. Renato Leonardo Leite, UMESP/SP); sobre gestão e bem-estar em aquários (Henrique Lins, do Aquário de Ubatuba e Dra. Cristiane Pizzuto, da USP) e também sobre a conservação e bem-estar de elefantes: zoos e santuários (Margaret Wittaker, da Creative Behavior Solutions).

 

A estudante Natália Campos, 26 anos, elogiou as palestras e o alto nível técnico do congresso, avaliando que as pessoas estão cada vez mais resistentes aos zoológicos, à medida que cresce a preocupação com os direitos dos animais. “Essa preocupação é muito boa, mas as pessoas de maneira geral focam isso nos pets, sem pensar no que os zoológicos fazem de fato pela conservação da fauna em geral. Preocupação com os direitos dos animais tem que ir muito além”, salientou Natália.

 

No sábado, dia 25, todos os minicursos programados serão finalizados com a parte prática realizada dentro do Jardim Zoológico de BH.  Já o curso de “Taxidermia: preparação de peles para pesquisa e exposição museológica”, será ministrada no Museu de Ciências Naturais da PUC Minas.

 

 

O Congresso até agora 

Na abertura oficial do Congresso, ocorrida na noite da última terça-feira, os participantes assistiram à palestra “Academia, Bem-Estar e Conservação”, de Robert Young, da Universidade de Salford. O palestrante falou sobre as práticas e as pesquisas em enriquecimento ambiental que contribuem para o bem-estar animal nos zoológicos.

 

Nos últimos dois dias, já passaram pelo palco do Teatro Francisco Nunes sete palestrantes de diversas instituições voltadas para o manejo e conservação da fauna silvestre. Gonzalo Rostan (Projeto Tamar) e Yara Barros (Projeto Onças do Iguaçu) falaram sobre as ações de conservação desenvolvidas.

 

O desenvolvimento dos planos de populações e o uso da ferramenta ZIMS (um banco de dados online sobre indivíduos de diversas espécies animais sob cuidados humanos) foi o tema da segunda palestra da quarta-feira, proferida por Mara Marques, bióloga da Fundação Parque Zoológico de São Paulo. 

 

Finalizando as palestras de quarta-feira, três professores das principais escolas de medicina veterinária de universidades de Minas Gerais, debateram sobre a importância das parcerias entre universidades para a conservação ex-situ (fora do ambiente natural). Cristiano Schetini (UFOP), Angélica Vasconcelos (PUC-MG) e Renato Lima (UFMG) trouxeram relatos importantes sobre as ações conjuntas de pesquisa e manejo ambientais realizados por meio de parcerias.

 

Cristiano Schetini, ex-estagiário do Zoo de BH e hoje professor da UFOP, relatou cases de sucesso em sua própria trajetória – seis estudos desenvolvidos na seção de aves do Zoo de BH e, hoje, uma parceria entre este e a UFOP. “Parcerias aumentam o conhecimento sobre a biologia e manejo das espécies mantidas em cativeiro. Só assim é possível melhorar o bem-estar dos animais para que eles se tornem mais aptos a programas de conservação e educação, dois dos pilares dos zoológicos modernos”, afirmou Cristiano.

 

 

Programação

A programação do evento está distribuída em dois locais da capital. No Zoológico de BH, ocorrem visitas técnicas e, nos próximos dias, a parte prática de alguns minicursos.  No Centro de Belo Horizonte está sendo ministrada pela manhã a parte teórica dos minicursos (nos prédios sede da Prefeitura) e, à tarde, as palestras, que acontecem no Teatro Francisco Nunes, dentro do Parque Municipal. No local também estão montados, das 9h às 19h, vários stands temáticos, onde o público do congresso e também visitantes do parque podem conhecer as ações de conservação da fauna silvestre desenvolvidas por diversas organizações e até comprar produtos temáticos e/ou sustentáveis, como camisetas ecológicas feitas, em parte, de poliéster reciclado de garrafas pet, além de semijoias e outros produtos como cadernos, botons e livros.

 

• Dia 23/5, quinta-feira

 8h30-12h30: Minicursos (diversos locais)

 

14h-14h15 (Teatro Francisco Nunes) - Projeto Bandeiras e Rodovias e Tatu Canastra – “Integrando ações de conservação in-situ e ex-situ pela educação ambiental: a experiência do instituto de conservação de animais silvestres” 

 

14h15-15h15 (Teatro Francisco Nunes) – Palestra: Febre amarela: novas lições de uma antiga doença | Dra. Betânia Drumond – UFMG

 

15h15-16h (Teatro Francisco Nunes) - Palestra: Medicina veterinária de peixes | Dr. Renato Leite Leonardo

 

16h30-17h45 (Teatro Francisco Nunes) - Palestras: Gestão e bem-estar em aquários | Oceanólogo Henrique Luis de Almeida – Aquário de Ubatuba e Dra. Cristiane Pizzutto – USP

 

17h45- 18h30 (Teatro Francisco Nunes) - Palestra: Conservação e bem-estar de elefantes: zoos e santuários | Consultora Margaret Wittaker – Creative Animal Behavior Solutions

 

 

• Dia 24/5, sexta-feira

8h30-12h30: Minicursos (diversos locais)

 

14h-15h15 (Teatro Francisco Nunes) - Palestras: Parcerias e concessões | Dr. Fernando Souza – Grupo Cataratas, Victor Hugo Costa (Instituto Semeias) e Maurício Bruns (Fundação Hermann Weege)

 

15h15-16h (Teatro Francisco Nunes) - Palestra: Genética da conservação | Dr. Fabrício R. Santos – UFMG

 

16h -16h30 (Teatro Francisco Nunes): Foto oficial

 

16h30 -17h45 (Teatro Francisco Nunes) – Mesa Redonda “Educação: práticas, desafios e possibilidades” | Bióloga Natália Maruscak – International Zoo Educators e Especialista Igino Mercuri – ALPZA

 

17h45 - 18h30 (Teatro Francisco Nunes) - Ato: Entrega solene de proposta de alteração da lei federal nº 7.173, de 14 de dezembro de 1983 | Biólogo Claudio Hermes Maas – Presidente da AZAB e Dep. Federal Rodrigo Antônio de Agostinho Mendonça – Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados

 

19h- 20h (Teatro Francisco Nunes) - Sessão Solene: 60 ANOS ZOO BH

 

 

• Dia 25/5, sábado

8h30-12h30: Minicursos (Jardim Zoológico de BH e Museu de Ciências Naturais da PUC Minas)

 

14h-15h (Teatro Francisco Nunes) - Prêmio Hilda Tresz Melhores trabalhos e ZCOG Best Practices in Animal Keeping AZA 2019

 

15h-16h (Teatro Francisco Nunes) - Palestra: Desafios na nutrição de animais de zoológicos | Dr. Marcus Clauss – Universidade de Zurich

 

16h30-18h (Teatro Francisco Nunes) - AZAB: programas de manejo ex situ de espécies ameaçadas AZAB/ICMBIO/MMA | Zootecnista MSc. Ana Raquel Gomes Faria – Diretora de Conservação da AZAB

 

Programa de certificação em bem-estar animal em zoológicos e aquários da AZAB | Dave Morgan – ONG Wild Welfare e Médica Veterinária MSC. Claudia Almeida Igayara de Souza – AZAB

 

Resultados da campanha “Levante esta bandeira” | Dra. Flávia Miranda – Projeto Tamanduá

 

Resultados da campanha “Pode ir deixando o cavalinho no mar” - Bióloga MSc. Dayse Campista – Comitê de Educação AZAB


Últimas Notícias

Pátio de veículos da BHTrans, com mais de 20 veículos, durante o dia. BHTrans realiza, nos dias 2 e 3 de outubro, leilão de veículos apreendidos 

O edital e a lista de veículos do leilão foram publicados no último sábado, dia 13/9, no Diário Oficial do Município.

17/09/2019 | 00:10
Rua semi-interditada com sinalização da BHTrans e um cartaz com os dizeres: "30 km. Área com redução de velocidade". Prefeitura leva projeto Zona 30 ao bairro Confisco esta semana

O bairro Confisco recebe, a partir desta semana, o projeto Zona 30, que limita a velocidade para veículo em vias locais, a 30km/h.

16/09/2019 | 19:19