Pular para o conteúdo principal

Cerca de vinte pessoas, trajando roupas leves e flexíveis, erguendo pequenos pesos acima da cabeça.
Foto: Naara Dias/PBH

Lian Gong oferecido pela PBH auxilia no combate a dores articulares e musculares

criado em 07/05/2018 - atualizado em 01/06/2021 | 15:51
O Lian Gong em 18 Terapias é uma ginástica terapêutica que tem como objetivo a prevenção e o tratamento das dores. A prática corporal melhora o funcionamento dos órgãos internos e a mobilidade, além de estimular a percepção dos sentidos e de trabalhar as emoções. A atividade é oferecida nas nove regionais de Belo Horizonte, desde 2007, em 179 locais: dentro das unidades de saúde ou no seu entorno, como praças, quadras, igrejas, escolas e parques, conduzida por 248 trabalhadores/instrutores.
 
Na região Leste, a ginástica é realizada em 10 espaços, sendo um deles a Praça Comendador Negrão de Lima, no bairro Floresta. Segundo a instrutora Andreia Cioglia, a atividade faz bem para o corpo e a mente. “É um momento de concentração que traz uma sensação de relaxamento. A prática corporal é opção para todos os públicos, e existe uma grande adesão da terceira idade. Não têm contraindicação e os benefícios são inúmeros, como a melhora do condicionamento físico e a promoção da autoestima”.
 
Para Nádia Gorete, que frequenta a ginástica nessa Praça há três anos, a prática permitiu que ela desenvolvesse uma consciência corporal. “Obtive um conhecimento maior sobre o meu corpo; consegui identificar a minha condição física e saber quais eram as minhas limitações. Com isso, ganhei mais disposição, equilíbrio, flexibilidade e qualidade no sono”.
 
No bairro Santa Tereza, outro grupo de Lian Gong se reúne duas vezes por semana. Elvilmar Alves Trindade, que sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há um ano, seguiu a indicação de sua vizinha e procurou o grupo para ajudar na reabilitação. “Eu entrei no último dia 17. Ainda é cedo para falar em melhorias físicas, mas já sinto uma disposição maior. A atividade ajuda com as dores, e esse é um dos meus objetivos, sanar as dores nas pernas e nas articulações”.
 
Segundo Luciana de Carvalho, enfermeira do Centro de Saúde Horto e instrutora desse grupo que se reúne no salão de uma igreja no bairro Santa Tereza, a ginástica é uma ação preventiva. “Entre os benefícios podemos citar: a melhora da qualidade de vida, diminuição da procura pelo atendimento nas Unidades de Saúde e redução do uso de remédios; aumento do equilíbrio e da flexibilidade e atenuação das dores articulares e musculares”. 
 
De acordo com a médica Luzia Toyoko Hanashiro, coordenadora do Programa Lian Gong em 18 Terapias no SUS/BH, os movimentos do Lian Gong são suaves e firmes. “Dissolve as tensões musculares, alonga os tendões e trabalha os espaços articulares, a coordenação e a percepção dos sentidos, além de promover a reeducação postural”. 
 

Ginástica terapêutica

A prática corporal é composta por 54 movimentos divididos em três partes: anterior, posterior e I Qi Gong. Com 18 movimentos cada série trabalha determinada área do corpo. Na primeira, os exercícios são direcionados para o tratamento das dores crônicas no pescoço, ombros, costas, lombar e pernas. A segunda previne dores nas articulações, tendões e desordens funcionais dos órgãos internos, e na terceira parte, os exercícios são direcionados para o fortalecimento das funções do coração e pulmão e a organização e fortalecimento do Qi, o sopro vital do corpo. A atividade tem duração de 30 a 60 minutos. Para obter resultados é preciso que seja feita pelo menos duas vezes por semana.
 
Para participar do Lian Gong oferecido pela Prefeitura de Belo Horizonte não é necessário passar por uma avaliação ou ter um encaminhamento. As pessoas que o frequentam em geral são usuários dos centros de saúde ou moradores dos bairros onde a atividade ocorre.
 
 

07/05/2018. Lian Gong Leste. Fotos: Naara Dias/PBH