Pular para o conteúdo principal

Mapa de intervenção na rua Simão Tamm, no bairro Cachoeirinha, entre os dias 26 e 29/4.
Arte: Divulgação

Intervenção no Cachoeirinha apresenta modelo de rua mais segura para pedestres

24/04/2019 | 20:37 | atualizado em 24/05/2019 | 15:07

A partir de sexta-feira, dia 26 de abril, até a segunda-feira, dia 29, a rua Simão Tamm, entre ruas Cônego Santana e Conde Santa Marinha, no bairro Cachoeirinha, será redesenhada e pensada temporariamente no modelo de planejamento Zona 30. O projeto prevê o estabelecimento de vias locais com velocidade máxima de 30km/h para veículos, priorizando quem anda a pé, de bicicleta ou quem tem mobilidade reduzida, principalmente os idosos.

 

A intervenção na rua Simão Tamm inclui nova pintura, plantas, guarda-sóis, bancos e outros elementos temporários, que irão redistribuir o espaço da rua com o objetivo de tornar a convivência entre os pedestres, ciclistas e motoristas mais pacífica. Nos locais em que foi adotado, o projeto resultou na redução significativa do número de acidentes nessas vias, transformando-as em locais mais seguros, com maior espaço para convivência e melhor acesso a serviços.

 

A ação é uma parceria da Prefeitura, por meio da BHTrans, e do Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento, com o apoio da Citi Foundation. O planejamento da Zona 30 na região já contou com oficinas e ações envolvendo organizações internacionais e locais.

 

 

Zona 30

O conceito principal do Zona 30 é garantir que a velocidade dos veículos se mantenha baixa, invertendo as prioridades no uso da via. A coordenadora de Sustentabilidade e Meio Ambiente da BHTrans, Eveline Trevisan, explica, entretanto, que não basta apenas regulamentar a velocidade, mas adotar medidas combinadas, como a revisão do desenho e a ocupação das vias,  acréscimos de calçadas nas esquinas, variação das modalidades de estacionamento, instalação rotatórias e travessias elevadas e a ocupação dos espaços com bancos, plantas e praças.

 

“Precisamos desses artifícios urbanos para que os condutores compreendam que estão trafegando em um lugar diferenciado, em que a intenção é preservar a vida das pessoas e oferecer mais qualidade de vida para aqueles que caminham pelas ruas da cidade. E, por isso, a identidade visual também é muito importante”, assinala.

 

A instalação de Zonas 30 é uma medida contemporânea e vem sendo aplicada em diversos países, como Inglaterra, Holanda, França, Áustria, Espanha, Canadá, México, dentre outros. No Brasil, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba já contam com áreas que tiveram as velocidades dos automóveis limitadas para o uso seguro da circulação de pedestres e dos ciclistas.

 

 

Em Belo Horizonte

Em agosto de 2018, duas áreas de Belo Horizonte foram objeto de estudos para a implantação do Zona 30, por apresentarem características potencialmente favoráveis para o projeto: a região hospitalar e o entorno da rua Simão Tamm. Esses estudos fizeram parte das atividades do Workshop Internacional “Connective Cities: discutindo as Zonas 30 e uma cidade viável para todas e todos”, ocorrido em Belo Horizonte entre os dias 20 e 23 de agosto de 2018.

 

O evento trouxe à cidade especialistas internacionais, representantes do Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento, do WRI BRASIL, de diversas áreas da Prefeitura, da sociedade civil, de comunidades e da BHTrans para discutirem as bases necessárias ao desenvolvimento de projetos Zona 30 em Belo Horizonte, os desafios para sua viabilização e a apresentação de casos bem-sucedidos.


Últimas Notícias

Equipe de Vôlei sem Limites, acompanhada de dois membros da equipe técnica, em quadra poliesportiva. Equipe de vôlei composta por pessoas com deficiência disputa Campeonato

Campeonato Brasileiro será disputado, em São Paulo, por equipe de vôlei composta por pessoas com deficiência, com apoio da Prefeitura. 

17/09/2019 | 20:22
Jovem pinta favela em módulos quadrados no chão. PBH contribui com formação de jovens de áreas vulneráveis

Educação, arte e cultura fazem parte da formação de jovens moradores de áreas vulneráveis, por meio do Projovem. 

17/09/2019 | 19:05