Pular para o conteúdo principal

Médico e assistente em sala de cirurgia.
Foto: Divulgação PBH

Hospital Dr. Célio de Castro incorpora nova tecnologia para cirurgias cerebrais

02/07/2019 | 17:43 | atualizado em 03/07/2019 | 09:49

O Serviço de Neurocirurgia do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (HMDCC), da Prefeitura de Belo Horizonte, incorporou uma nova tecnologia para o tratamento de tumores cerebrais de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS): o aspirador ultrassônico. Agora, ao lado do Hospital Metropolitano Odilon Behrens, também da Prefeitura, e o Hospital Santa Casa BH, o hospital, localizado na região do Barreiro, é o terceiro da Rede SUS-BH a oferecer essa alternativa inovadora de tratamento.

 

Os pacientes com tumor cerebral atendidos pela equipe de neurocirurgia do Hospital Dr. Célio de Castro são encaminhados pela Central de Internação de Belo Horizonte ou são do próprio Hospital, após a constatação da doença pela equipe da Unidade de AVC e a nova tecnologia garante mais segurança e rapidez.  “Trata-se de um equipamento que permite o tratamento de tumores cerebrais de maneira muito mais rápida e segura para o paciente. Através de sua vibração, desfaz o tecido tumoral sem tracionar o cérebro do paciente, evitando lesão neurológica e diminuindo o risco de sequelas”, explica o neurocirurgião Artur Adolfo Nicolato.

 

De acordo com o responsável técnico pelo Serviço de Neurocirurgia do Hospital Dr. Célio de Castro, Orlandil Donato Rocha, essa tecnologia é resultado da evolução na área de neurocirurgia que já chegou ao Hospital Dr. Célio de Castro. “Nas duas últimas décadas, a neurocirurgia evoluiu significativamente no que se refere à tecnologia envolvida nos procedimentos cirúrgicos. Até alguns anos atrás, o cirurgião entrava numa operação para retirar um tumor cerebral sem a certeza da extensão da ressecção da lesão. Hoje, a realidade é outra”, explica.

 

A cirurgia de ressecção de tumor cerebral pode ser realizada para a retirada de uma amostra do tumor para diagnóstico (biópsia), remoção da maior quantidade possível do tumor ou para ajudar a prevenir ou tratar possíveis complicações do tumor. Segundo Orlandil, a utilização do aspirador ultrassônico nesse tipo de cirurgia propicia grande segurança, otimiza o tempo das operações sem causar qualquer dano no tecido cerebral em torno do tumor, evita sequelas, morbidades, melhora as condições do pós-operatório e a qualidade de vida dos pacientes com uma alta hospitalar mais segura.

 

 

Mais benefícios

Os benefícios são muitos. Que o diga a aposentada Iracema Alves Santana, de 79 anos. Ela foi a primeira paciente do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro a ser submetida à cirurgia de ressecção de tumor cerebral com o aspirador ultrassônico.

 

O procedimento cirúrgico ocorreu em 3 de abril e no dia 15 a paciente teve alta e pode ir para casa. Com retorno marcado para retirada dos pontos para o final daquele mês, relembra o período de internação no hospital: “Eu já saí conversando”, contou. O neurocirurigião Bernardo Aramuni foi um dos especialistas que integrou a equipe de cirurgia de Iracema. “A operação foi um sucesso, com retirada rápida e precisa do tumor”, relatou.

 

Neta de Iracema, a bacharel em direito Larissa de Lima Santana mora com a avó e relata a tranquilidade do pós-operatório. “Não poderia ter sido melhor. Não temos nada do que reclamar, das menores coisas às maiores tudo correu bem”, disse.

 

 

Serviço de Neurocirurgia

O Serviço de Neurocirurgia do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro iniciou suas atividades no primeiro trimestre de 2018 e é composto por sete neurocirurgiões e uma sala de cirurgia própria, de grande porte, equipada com microscópio de uso intraoperatório de alta tecnologia e com sistema de videocirurgia integrado.

 

Em abril de 2019, concluiu mais uma fase de expansão com a aquisição do sistema de aspiração ultrassônico, utilizado para remoção de tumores encefálicos ou cerebrais. “O aspirador ultrassônico faz a diferença na vida de muitos pacientes submetidos à cirurgia de tumor cerebral. Observamos importante redução no tempo de cirurgia, menor risco de infecção hospitalar, menor tempo de internação, redução de lesão do tecido cerebral, menor sangramento no ato cirúrgico e a ressecção completa de tumores malignos com impacto direto no prognóstico desses pacientes”, afirma o neurocirurgião Artur Adolfo Nicolato.

 

A gerente da Linha de Cuidado ao Paciente Cirúrgico do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, Lorenna Paulinelli afirma que toda a equipe trabalha para agilizar o atendimento dos usuários do SUS que necessitam dessa cirurgia, com o objetivo de propiciar um atendimento rápido, seguro e eficaz no que diz respeito à melhoria contínua na qualidade de vida dos pacientes. “O Hospital acredita que, com a utilização do aspirador ultrassônico, o tempo da cirurgia pode ser reduzido em 50% quando comparado a uma técnica convencional. Assim, conseguiremos atender mais pacientes do SUS com uma tecnologia que é predominantemente utilizada na medicina suplementar”, avalia.

 

 

02/07/2019. Hospital Metropolitano Dr.Célio de Castro. Fotos: Divulgação/PBH


Últimas Notícias

Visão do centro de BH Confira o funcionamento da Prefeitura no feriado de 15 de novembro

O dia 15/11 é feriado nacional em comemoração ao Dia da Proclamação da República (Lei Federal 662, de 1949).

14/11/2019 | 10:41
Mapa da operação de trânsito Operação especial na Rodoviária em função do feriado de 15/11

A BHTrans realiza, de 13 a 18/11, intervenções operacionais no trânsito na região da Rodoviária organizar e garantir a fluidez de veículos.

12/11/2019 | 16:06