Pular para o conteúdo principal

Onze pessoas sentadas em uma mesa de reunião. Entre elas, funcionários da Prodabel, alunos do Cotemig e representantes da BHTrans.
Foto: Divulgação/PBH

Hackathon começa a render bons frutos

21/05/2018 | 14:52 | atualizado em 21/05/2018 | 14:59
Uma competição na qual a maior beneficiada é a população de Belo Horizonte e em que todas as ideias podem render bons frutos, independentemente da colocação. Esta é a principal característica da maratona de programação conhecida como Hackathon. Realizada no fim do mês passado pela Prefeitura, por meio da Prodabel, a atividade já começou a apresentar boas novas. 

Isto porque duas das equipes que participaram do evento e ficaram na terceira posição se uniram para criar um aplicativo que vai beneficiar motoristas e usuários (alunos, pais e responsáveis) do transporte escolar. A ideia é que o App mostre o trajeto realizado pelo motorista, a previsão de chegada do aluno em casa, entre outras informações. A intenção é que o aplicativo seja criado ainda neste ano e entre em operação em 2019.  
 
Os dois grupos, sendo um formado por funcionários da Prodabel e outro por alunos do Cotemig, se uniram e fizeram, na última semana, a primeira de uma série de reuniões. O encontro contou ainda com a participação de representantes da BHTrans, empresa responsável pelo serviço de transporte escolar na cidade e que acompanha de perto todo o processo, e da Prodabel. “Ficamos muito satisfeitos com o resultado da competição e decidimos apoiar a junção das ideias para criar um único produto. 
Isto vai trazer benefícios reais para o cidadão”, afirmou Fernando Luiz Chiarini, assessor da presidência da BHTrans. Ele destacou que a base de dados existente vai auxiliar na criação do aplicativo. “Temos o cadastro dos motoristas, os itinerários de cada um e um controle importante do sistema, que é bem organizado. Acredito que estas informações serão muito importantes para o grupo e o desenvolvimento do projeto”. 
 
Para o estudante do 2º ano do Ensino Médio do Cotemig e integrante da equipe, Pedro Henrique Martins Lara, a possibilidade de contribuir para a melhoria do serviço prestado é o principal motivador. “Nesta primeira reunião definimos alguns pontos cruciais para executar este projeto. Espero que, em breve, ele esteja disponível no mercado”, afirmou. Com apenas 16 anos, ele se sente feliz por fazer a diferença. “É uma oportunidade incrível que surgiu graças ao trabalho apresentado no Hackathon. Sinto-me privilegiado por ter a chance de desenvolver este projeto com a equipe, a BHTrans e a Prodabel”.  
 

Hackathon

Hackathon significa maratona de programação. O termo resulta de uma combinação das palavras inglesas “hack” (programar de forma excepcional) e “marathon” (maratona). O evento reúne pessoas das mais diversas áreas, em especial programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares para uma verdadeira jornada de programação. O objetivo é que as equipes desenvolvam ações ligadas à tecnologia que atendam aos problemas apresentados. 
 
 

Hackathon começa a render bons frutos


Últimas Notícias

Equipe de Vôlei sem Limites, acompanhada de dois membros da equipe técnica, em quadra poliesportiva. Equipe de vôlei composta por pessoas com deficiência disputa Campeonato

Campeonato Brasileiro será disputado, em São Paulo, por equipe de vôlei composta por pessoas com deficiência, com apoio da Prefeitura. 

17/09/2019 | 20:22
Jovem pinta favela em módulos quadrados no chão. PBH contribui com formação de jovens de áreas vulneráveis

Educação, arte e cultura fazem parte da formação de jovens moradores de áreas vulneráveis, por meio do Projovem. 

17/09/2019 | 19:05