Pular para o conteúdo principal

Guarda Municipal realiza competição com grupos de escotismo, neste sábado (27)
Foto: Nelson Martins

Guarda Municipal realiza competição com grupos de escotismo, neste sábado (27)

criado em 26/08/2022 - atualizado em 26/08/2022 | 17:21

O Parque Municipal Américo Renné Giannetti, no Centro, será palco de um grande encontro de grupos de escoteiros coordenados pela Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte (GCMBH) neste sábado (27). A partir das 9h, os escoteiros participarão do Grande Jogo Sérgio Vieira de Melo, com gincanas, brincadeiras e atividades que irão desafiar crianças e adolescentes, incentivando-os a trabalhar em grupo. A novidade da competição será uma torre de escalada, que será montada no local, além de diversos jogos interativos.

O Projeto Escotismo da Guarda Municipal é uma ação preventiva da Prefeitura de Belo Horizonte reconhecida pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente como Programa de Educação para a Cidadania e atualmente atende cerca de 400 crianças e adolescentes. De acordo com o subinspetor Glauco de Almeida, coordenador do projeto, a proposta das atividades no parque é mostrar aos jovens que é possível se divertir sem o uso de tecnologia. “As brincadeiras em grupo e ao ar livre são importantes para nossa saúde. Percebemos que muitas crianças estão desaprendendo a brincar. Nossa proposta, então, é mostrar que o mundo real pode ser mais divertido que o entretenimento oferecido na internet”, explica. 

Os interessados em participar do Projeto Escotismo da Guarda Municipal devem encaminhar os dados para o e-mail: escotismo.gcmbh@pbh.gov.br, ou pessoalmente, na sede da Guarda, na avenida dos Andradas, 915, no Centro. 

 Patrono da Guarda  

O Grande Jogo Sérgio Vieira de Melo recebeu este nome em homenagem ao patrono da Guarda Municipal de Belo Horizonte.  Ele nasceu no Rio de Janeiro e mudou-se para a França, no início dos anos 60, para estudar Filosofia. Com apenas 21 anos de idade, iniciou sua trajetória no trabalho humanitário. Sua carreira começou na Agência da ONU para Refugiados, que tem a missão de proteger pessoas que foram forçadas a escapar de guerras, conflitos e perseguições. Entre 1999 e 2002, Sérgio liderou a missão da ONU que acompanhou a transição do Timor Leste para a independência.  

O compromisso do brasileiro com as causas humanitárias o levou ao cargo de Alto Comissário das Nações Unidas para Direitos Humanos em 2002. Em 2003, enquanto atuava como representante oficial do Secretário-geral das Nações Unidas para o Iraque, buscando solucionar o violento conflito que assolava o país, Sérgio foi vítima de um ataque fatal à sede da ONU em Bagdá, morrendo com 55 anos.