Pular para o conteúdo principal

Dois profissionais da saúde vacinando crianças da Rede Municipal de Ensino
Foto: Divulgação/PBH

Estudantes de Venda Nova são imunizados contra HPV

31/07/2018 | 15:49 | atualizado em 31/07/2018 | 15:49
Alunos das escolas municipais localizadas na área de abrangência do Centro de Saúde Paraúnas, em Venda Nova, participaram de ação de conscientização realizadas pelas enfermeiras do Programa Saúde Escola (PSE), nas escolas municipais Professor Pedro Guerra, Deputado Renato Azeredo, Cônego Raimundo Trindade, Elisa Buzelin. A ação teve como objetivo motivar os estudantes a se vacinarem contra o Papilomavírus Humano (HPV), numa iniciativa promovida pela Subsecretaria de Promoção e Vigilância em Saúde e coordenada pela Coordenação de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA).
 
A vacina contra o HPV é aplicada em meninas, na faixa etária de 9 a 14 anos e em meninos de 11 a 14 anos. A vacina é uma das principais formas de prevenção a alguns tipos de câncer, como o de colo de útero, órgãos genitais femininos, masculinos e boca e está disponível durante todo o ano nos centros de saúde.
 
Na ação realizada nas escolas, as enfermeiras fizeram uma intervenção baseada na charada “o que tem a ver a couve-flor com a calcinha?” Apesar da aparente falta de lógica da relação, elas mostraram como o HPV se manifesta em verrugas com aspecto de couve-flor e argumentaram que o vírus pode ser veiculado em peças contaminadas e indevidamente compartilhadas.
 
A enfermeira Lidiane Sales, do PSE Paraúnas, explica que a sensibilização foi primordial para que o próprio adolescente tivesse interesse em se vacinar. “A sensibilização coopera com os processos de vacinação previstos para a escola e tende a tornar os estudantes agentes mais ativos na ação e menos resistentes ao procedimento, muitas vezes interpretado como doloroso e desnecessário”, salientou.
 

Multiplicadores

Nas escolas a aplicação da vacina contra o Papiloma Vírus Humana (HPV) ocorreu entre os dias 25 de junho e 13 de julho. Foram imunizados 480 meninas e 492 meninos, contra o HPV. Na Escola Municipal Professor Pedro Guerra, a intervenção foi feita em quatro turmas do 6º ao 9º ano. “Combinamos com os participantes para que se tornassem agentes disseminadores das informações recebidas. Percebemos como o esclarecimento da doença HPV preocuparam as turmas envolvidas. Alguns alunos que completaram 15 anos, recentemente, manifestaram a vontade de receber as vacinas e reconheceram que perderam a oportunidade de se vacinar em outra ocasião por desconhecerem a gravidade das doenças”, explicou Lidiane Sales.
 

Parceria pela saúde

Foram atendidos os adolescentes que não receberam as vacinas ou que estavam com alguma em atraso. Ao receberem a vacina, os homens, além de se protegerem contra os cânceres do aparelho genital e boca, também colaboram para a redução do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres.
 
A ação da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) envolveu as equipes dos centros de saúde, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, o Programa Saúde na Escola (PSE) e a equipe de enfermeiros contratados. Segundo Roseli de Paiva Reis, referência de imunização da Diretoria Regional de Saúde (DRES) de Venda Nova, para que os adolescentes estejam devidamente protegidos contra o HPV é necessário receber duas doses da vacina, num intervalo de seis meses entre a primeira e a segunda dose. “A vacina contra HPV é segura e os efeitos colaterais são leves, pouco frequentes, entre 10 a 20%, e podem incluir dor e vermelhidão no local da aplicação e febre baixa”, explicou.
 

31/07/2018. Prefeitura intensifica vacinação contra HPV e meningocócica C nas escolas de Venda Nova. Fotos: PBH/Divulgação