Pular para o conteúdo principal

Três estudantes apresentam cartaz com cuidados para o combate ao mosquito mosquito Aedes aegypti.
Foto: Naara Dias/PBH

Escola municipal realiza ação lúdica de combate à dengue

07/11/2017 | 14:05 | atualizado em 20/11/2017 | 12:22

Zefinha aprendeu com Zeca que não se pode deixar as vasilhas abertas e expostas ao tempo. Juntos, eles chamaram a atenção dos alunos sobre os riscos do acúmulo de água em objetos. Tudo tem de estar limpo e tampado para não acumular água parada. 

 

Os personagens Zeca e Zefinha fazem parte do Mobiliza SUS, grupo de mobilização da Secretaria Municipal de Saúde. 

 

A convite da Escola Municipal Professor Lourenço de Oliveira, no bairro Santa Tereza, região Leste de Belo Horizonte, o grupo participou de projeto voltado à sensibilização e conscientização dos alunos quanto à importância da prevenção e do combate ao mosquito Aedes Aegypti. A iniciativa foi em parceria com a equipe volante do Programa Saúde na Escola (PSE).


Além da apresentação, foi realizada na escola uma semana de jogos interativos com as turmas do ensino regular, com o objetivo de testar o conhecimento dos alunos acerca do tema e de transmitir a eles outras informações, explicando o que é mito e o que é verdade sobre o assunto. 


Já na atividade batizada de “Momento Criativo”, cada grupo de alunos elaborou uma rima, poesia, música, cartaz ou esquete de teatro, a fim de compartilhar com todos os colegas da escola o que foi assimilado. 


Segundo Jakeline Angélica de Almeida, enfermeira da equipe volante 2 do PSE Leste, com essas atividades os alunos são colocados em contato com questões importantes relacionadas à prevenção e ao combate às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, tornando-se, assim, um canal de disseminação de informações para que novos hábitos e medidas possam ser adotados fora e dentro da escola.


De acordo com a diretora Dulcinalva Campos, a ação serviu para colocar os alunos em contato com mobilizações sociais e incentivá-los a serem propagadores de informações sobre a adoção de novos hábitos para a cidade, já que na escola há alunos de várias regiões de BH. “A escola está sempre aberta às frentes de atuação que garantem a formação do cidadão para um modo de vida mais sustentável.”


Jeferson Soares Souza, de 14 anos, foi um dos alunos que participaram ativamente da ação, produzindo material para a exposição e participando do teatro “A batalha PSE x Aedes”. Para ele, é importante levar a informação para combater o transmissor. “Quando não há cuidado, podem ocorrer doenças graves, como a microcefalia, que pode causar danos permanentes. Eu espero que, através das ações, a informação seja passada, principalmente, para as crianças menores, que conseguem chamar mais atenção para a ação.”


Maria Clara Alves, 12, concorda e completa enfatizando a necessidade de envolvimento da população. “Eu estou participando porque é importante levar a conscientização para a população e gerar mobilização para a causa. O mosquito traz doenças graves e quanto mais nós combatermos menos probabilidade de disseminação terá”. 



 Saúde na Escola

O Programa Saúde na Escola é uma política intersetorial direcionada para a promoção de saúde e educação integral às crianças, adolescentes, jovens e adultos da Rede Pública de Educação Básica. Atualmente, o PSE funciona com o trabalho conjunto dos monitores de apoio da Secretaria Municipal de Educação, que promovem ações educativas para os estudantes, e das equipes volantes da Secretaria Municipal de Saúde (enfermeiros e técnicos de enfermagem), que apoiam os centros de saúde avaliando os estudantes dentro das escolas. 


“Quando há a identificação de algum problema com a saúde do estudante ou alguma recomendação específica, como a atualização vacinal, por exemplo, ele é encaminhado, por meio de um comunicado aos pais ou responsável, para atendimento no centro de saúde”, explica Sandra Freitas, enfermeira referência técnica do Programa Saúde na Escola da Regional Leste.


As ações do programa de promoção à saúde são realizadas regularmente ao longo de cada ano e orientadas pelas secretarias de Saúde e  de Educação. 


 

07/11/2017. Ação Aedes. Fotos: Naara Dias/PBH