Pular para o conteúdo principal

Dois atletas de judô lutam no tatame.
Foto: Vilma Tomaz/PBH

Conquista de medalhas turbinam treinamento dos participantes dos Jogos Escolares

25/04/2018 | 16:38 | atualizado em 13/06/2018 | 17:05

Para tornar realidade o sonho de conquistar medalhas em competições esportivas, centenas de crianças e adolescentes estão suando as camisas nos equipamentos esportivos instalados nos pontos de ensino da capital. Isso se deve à intensificação dos treinos para as disputas dos Jogos Escolares de Belo Horizonte (JEBH), que têm início na segunda semana de maio.
 

Se depender do esforço dos alunos e professores de Educação Física, a Escola Municipal Professora Eleonora Pierucetti, no bairro Cachoeirinha, vai aumentar sua galeria de troféus e medalhas conquistadas no JEBH. Os atletas de judô e futsal, selecionados para disputarem o torneio, estão treinando três vezes por semana.
 

Segundo o professor de futsal Renato Ribeiro, os treinos foram intensificados às vésperas do início dos Jogos Escolares. “As atividades passaram a ser realizadas três vezes por semana, fora do horário das aulas. Os alunos estão se esforçando para trazer novas medalhas para o futsal da escola que vão se juntar às de bicampeão e vice”. 
 

O professor destaca que o JEBH é uma importante iniciativa de esporte educacional promovida pela Prefeitura de Belo Horizonte, uma vez que sua realização é fonte de incentivo para a prática esportiva dos alunos. “Para nós, professores, é uma oportunidade de aferir o resultado do nosso trabalho pelo nível de atuação competitiva das delegações da nossa escola em comparação com outras instituições de ensino”, conta. 
 

Cláudia Conceição Moreira, balconista, leva sua neta, Maria Eduarda, para os treinos de futsal, que são realizados às 17h30. Da arquibancada da quadra ela acompanha os dribles da jogadora que cursa a sétima série. A jovem diz que participar dos jogos escolares e conquistar medalhas faz parte do seu projeto de se tornar jogadora profissional de futebol. “Sei dos desafios que enfrentarei nesta modalidade esportiva que ainda não é valorizada pela imprensa e pelas confederações do setor”, relata.
 

Já o judoca Arthur Luiz de Assis Saldanha, de 14 anos, participa dos Jogos Escolares há quatro anos. “Às vésperas do JEBH, pego leve na alimentação  para melhorar meu desempenho nos treinos e nas disputas”, diz o judoca que pretende estudar Educação Física. Arthur informa, todo orgulhoso, que na sua trajetória esportista consta um troféu conquistado no torneio promovido pela UFMG.
 

Já Thais Martins de Almeida, 13 anos, confessa que está se desdobrando nos treinos para ganhar a medalha que lhe escapou das mãos no JEBH do ano passado, quando obteve a quarta colocação. “O judô é tudo na minha vida, não troco esse esporte por nenhuma outra atividade”, conta. 

 

Jogos Escolares

O calendário dos jogos será aberto oficialmente no dia 5 de maio, no Ginásio do Mackenzie Esporte Clube, com a participação de cerca de 1.200 representantes da comunidade escolar das redes de ensino da capital (municipal, estadual e particular), de centros socioeducativos, além de  instituições de práticas de paradesportos.
 

O JEBH, realizado pelo segundo ano consecutivo pela Prefeitura de Belo Horizonte, tem o objetivo de valorizar a prática esportiva e a construção da cidadania na comunidade escolar. As inscrições totalizaram 125 instituições escolares que irão disputar, nos meses de maio e junho, as modalidades: atletismo, atletismo PCD (Pessoas com Deficiência), badminton, basquetebol, bocha, ciclismo, futsal, futebol de 5 (masculino), futebol de 7 (masculino), ginástica rítmica (feminino), goalball, handebol, judô, judô PCD, luta olímpica, natação, natação PCD, peteca, tênis de mesa, tênis de mesa PCD, tênis em cadeira de rodas, voleibol, voleibol de praia, voleibol sentado e xadrez, nos naipes masculino e feminino.
 

A competição é uma seletiva para os Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG), cujos medalhistas estão aptos para Belo Horizonte nos Jogos Escolares da Juventude, organizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) e pelo Ministério do Esporte.