Pular para o conteúdo principal

Comunidade de Belo Horizonte
Foto: Divulgação GDECOM

Comunidades de BH e Cine Clube são destaques do Circuito Municipal de Cultura

18/01/2021 | 16:47 | atualizado em 29/01/2021 | 10:11

O Circuito Municipal de Cultura contará com três grandes ações, integralmente virtuais, na segunda quinzena de janeiro. Nos dias 18, 20, 22 e 25 acontecem apresentações do Mapeando Minha Quebrada, projeto que visa fortalecer o vínculo de jovens da capital com as comunidades periféricas onde vivem. Além disso, o Circuito Cine Clube, realizado ao longo de 2020, volta este ano no dia 27, com a sessão comentada do curta “Amor em Migalhas”. Serão exibidos ainda, nos dias 14 e 21 de fevereiro, episódios do documentário “Serrão Berço da Cultura”, dirigido por artistas do Aglomerado da Serra.


Realizado desde 2015, Mapeando Minha Quebrada é uma iniciativa de Thales do Amaral Santos, aprovada no edital “Descentra 2018” (0489/2018) – realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, que propõe a criação de mapeamentos que trazem novos olhares para comunidades periféricas da cidade. Por meio do projeto, jovens são convidados a traçar mapas afetivos das “quebradas” onde vivem – ou seja, mapas que valorizam as atividades artísticas, os sentimentos, as relações e os encontros. 


Em quatro diferentes datas, sempre às 12h, serão apresentados na programação do Circuito Municipal de Cultura mapas de quatro comunidades: no dia 18, será mostrado o mapa da Pedreira Prado Lopes; no dia 20, do Morro das Pedras; no dia 22, do Pindorama; e, no dia 25, da Granja de Freitas e Alto Vera Cruz. Os mapeamentos, que trazem fotografias e textos feitos pelos jovens participantes do projeto, serão exibidos por meio de galerias de imagens no Instagram e no Facebook do Circuito.


 

Cine Clube

O dia 27 de janeiro marca o retorno do Circuito Cine Clube, projeto lançado e realizado ao longo de 2020, com a exibição on-line de diversos filmes. Às 19h, será exibido com exclusividade, no YouTube da Fundação Municipal de Cultura, um trecho do curta-metragem “Amor em Migalhas”, que ainda está em processo de finalização. Dirigida por Alexandre Dubiela, a animação conta a história de Antônio, que levava uma vida melancólica até que um dia uma revoada de pássaros o ajudou a se conciliar com o passado. Após o trecho do filme, haverá a exibição de uma sessão comentada pelo diretor, que também fala no vídeo sobre a produção “caseira” de curtas-metragens em animação. 


 

Documentário 

O Circuito Municipal de Cultura exibe, nos dias 14 e 21 de fevereiro, às 16h, episódios de “Serrão Berço da Cultura". Dividido em dois capítulos, o documentário aborda a resistência artística do Aglomerado da Serra de forma interseccional e é dirigido pelos artistas Maíra Neiva, Pablo Xavier, Negona Dance e Simone Sigale, todos moradores da comunidade. Intitulado “Mulheres que Inspiram”, o primeiro episódio apresenta o cotidiano de mulheres do “Serrão” que são mães e avós de artistas locais, costurando temas como memória e ancestralidade. 

 

Já no dia 21, também às 16h, será exibido o segundo episódio do documentário, que se chama “Artivismo e Resistência” e mostra a rotina de artistas do Aglomerado da Serra. No vídeo, os entrevistados falam de suas experiências e vivências, seus estudos e referências, além de assuntos ligados à arte afro-urbana em contexto periférico. Ambos os episódios serão exibidos no YouTube da Fundação Municipal de Cultura e no Facebook do Circuito.


 

Sobre o Circuito Municipal de Cultura

Projeto estratégico da Prefeitura de Belo Horizonte, foi lançado em dezembro de 2019, com grande show de Jorge Ben Jor na Praça da Estação. Em maio de 2020, foi lançado o Circuito em Casa, como parte do Circuito Municipal de Cultura, criado para ampliar as opções culturais para a população que está em casa durante a pandemia da Covid-19. Suas ações integram a Política de Promoção das Artes do município.


Até o momento, já foram mais de 150 apresentações realizadas, alcançando um público de aproximadamente 400 mil pessoas. Desde o início do projeto, o Circuito Municipal de Cultura já contou com a participação de quase 800 trabalhadores da cultura, entre artistas, mestres da cultura popular, produtores e técnicos, entre outros, reforçando seu importante papel de fomento ao setor em Belo Horizonte. Toda a programação do Circuito Municipal de Cultura é gratuita, contemplando as diversas linguagens artísticas e faixas etárias.


 

Nas redes

  • YouTube da Fundação Municipal de Cultura
  • Facebook do Circuito Municipal de Cultura
  • Instagram do Circuito Municipal de Cultura
  • Site do Circuito Municipal de Cultura