Pular para o conteúdo principal

Foto de três artistas em cena e cerca de cinquenta crianças sentadas em plateia
Foto: Divulgação PBH

Circo Transitando Legal leva diversão e aprendizado a estudantes municipais

27/11/2018 | 20:33 | atualizado em 03/12/2018 | 13:41
O Circo Transitando Legal da BHTrans vai receber cerca de três mil crianças, com faixa etária entre 8 e 10 anos, que cursam o Ensino Fundamental nas escolas municipais de Belo Horizonte, até o dia 7 de dezembro. Desde o dia 26 de novembro, os alunos participam de esquetes, música, jogos, palestras e aprendem conceitos de mobilidade urbana, segurança e comportamento no trânsito.

Esse público é formado por alunos de 64 escolas municipais que estão participando do Programa Escola Segura, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação e BHTrans. 


Por dia, são apresentados dois espetáculos para 300 crianças, divididas em dois grupos, sendo 150 pela manhã, a partir das 8h30, e 150 à tarde, a partir das 14h30. “Desde o momento em que descem do ônibus, eles já iniciam uma experiência diferente no modo de como vivenciar a cidade e se proteger em situações de risco. Conduzidos por monitores, os estudantes são conduzidos para uma rua construída ao lado do circo e realizam, em conjunto, a travessia segura na faixa de pedestres. É hora de aprendizado sério, mas transmitido de forma alegre e pedagógica”, conta Maria Augusta Gatti, gerente de Educação para a Mobilidade.



O aprendizado no Circo

No Circo Transitando Legal, a equipe de teatro e os agentes de trânsito interagem com as crianças e estimulam a reflexão sobre a importância de adotar comportamentos seguros no trânsito, ensinam como funcionam os semáforos, a sinalização de trânsito e o transporte coletivo. Com brincadeiras, as crianças aprendem a usar as faixas de pedestres, a evitar o uso do celular durante a travessia, andar de bicicleta e até soltar pipa com segurança.



Programa Escola Segura

O programa tem o objetivo de diminuir a exposição dos estudantes, professores e familiares a situações de risco no trânsito. As ações educativas têm como alvo os estudantes de 6 a 14 anos que são multiplicadores das informações do projeto junto às famílias e na comunidade onde residem. Durante o ano, as escolas participantes são incentivadas a desenvolverem projetos, ações e atividades com os estudantes na escola e na comunidade e são pontuadas à medida que desenvolvem as tarefas. As maiores pontuações são premiadas.