Pular para o conteúdo principal

Museu da Moda
Foto: Ricardo Laf

Celebração de 15 anos do Minas Trend tem exposição “O Papel do Tempo”

criado em 10/11/2022 - atualizado em 10/11/2022 | 16:25

Emblemática e interativa, a mostra “O papel do tempo”, que tem curadoria de Mary Figueiredo e participações do estilista Luiz Cláudio Silva e da arquiteta Ana Clara Escuciato, ficarão expostas no Mumo – Museu da Moda de Belo Horizonte até o dia 26 de novembro, como parte das comemorações de 15 anos do Minas Trend.  A iniciativa é da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) realizada em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte, através da Secretaria Municipal de Cultura e Fundação Municipal de Cultura.

 

O desafio de remontar uma década e meia repleta de memórias, simbolismos e transformações ficou a cargo da tarimbada Mary Figueiredo Arantes, que assinou a curadoria da exposição, e teve como aliado nessa empreitada o estilista Luiz Cláudio Silva, da grife Apartamento 03, com 16 anos de estrada, parte deles consolidados nas passarelas do Minas Trend. Para compor um trio na execução de “O papel do tempo”, entrou em cena a jovem arquiteta Ana Clara Escuciato, que estreou no Minas Trend na edição passada, como curadora da mostra “Entretecer”.

 

A exposição tem a missão de surpreender o visitante, revelando a fragilidade e a fugacidade tanto do papel quanto da moda e, por isso, não conta com uma linha linear. “O tempo e seus ciclos são o ponto de partida para o evento que sempre privilegiou questões relevantes ao planeta, como a água, o oxigênio e a sustentabilidade. A pergunta que se faz agora é sobre a necessidade de superproduções na moda atual, gerando resíduos poluentes ao meio ambiente”, incita a curadora.

 

A atmosfera onírica e, ao mesmo tempo, lúdica, foi adaptada para ocupar os espaços de outro monumento icônico da cidade, o Museu da Moda de Belo Horizonte, gerido pela Secretaria Municipal de Cultura e Fundação Municipal de Cultura. A mostra vai permitir que o visitante interaja com a indumentária. Uma arara com cabides simboliza um closet imaginário, onde estão dependurados moldes, a maioria usados, e croquis enviados pelas marcas que estiveram presentes nesses 15 anos de evento.

 

“A interação também estará presente no painel inspirado em fitas do Senhor do Bonfim, contendo cadarços em sarja onde se penduram etiquetas de marcas que fizeram história no evento, além de canetas que instigam o visitante a deixar sua assinatura como forma de fazer parte da celebração de 15 anos”, revela Mary.

 

O papel e a moda

 

Já o papel – aquele usado em croqui, para modelar ou plissar uma peça - ganhou um significado especial na exposição, sendo utilizado como roupas criadas por Luiz Cláudio e que vestem 14 manequins com cabeças de abajur-túnel de canudinhos de jornal costurados e tramados a mão, trabalho executado pelo artista Ronaldo Lima, destacando a importância da reciclagem e do artesanato na exposição.

 

O ponto provocativo da mostra é o processo de feitura das roupas de papel no próprio local da exposição, tarefa desafiadora para Luiz Cláudio. Ele conta que a paixão pela alfaiataria é ponto de partida para executar com delicadeza cada peça. O estilista fez o primeiro desfile da Apartamento 03 na passarela do Minas Trend. “Foi a partir das participações no evento que minha marca se projetou nacionalmente e eu passei a entender a importância de empreender. A conexão da imagem de moda presente nos disputados desfiles e o contato com compradores nacionais e internacionais foram determinantes para as vendas da Apartamento 03 saltar de 300 para 2 mil peças”, resume.

 

Serviço:

 

Exposição: O Papel do Tempo

Data: De 9 a 26 de novembro de 2022

Local: Museu da Moda de Belo Horizonte – Rua da Bahia, 1149, Centro, Belo Horizonte.