Pular para o conteúdo principal

Besouro metálico (Euchroma gigantea), marrom comdetalhes em verde metalizado e preto e patas verde-escuras, sobre madeira.
Foto: Suziane Fonseca/PBH

Capacitação sobre besouro metálico é realizada na Fundação de Parques Municipais

27/12/2018 | 16:29 | atualizado em 27/12/2018 | 16:38

Com o objetivo de buscar estratégias para combater a infestação de besouros metálicos (Euchroma gigantea) em árvores de Belo Horizonte e Região Metropolitana (RMBH), a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica da Prefeitura de Belo Horizonte organizou um treinamento sobre o tema, em parceria com a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Agência RMBH) e a Cemig. A capacitação foi realizada no Centro de Educação Ambiental da Fundação, no dia 18 de dezembro.

 

O treinamento contou com a participação dos agentes que cuidam da arborização da capital e de mais nove municípios da Grande Belo Horizonte (Betim, Contagem, Nova Lima, Santa Luzia, Florestal, Mateus Leme, Pedro Leopoldo, Ibirité e Ribeirão das Neves); de técnicos de órgãos ambientais da Prefeitura; e ainda de professores e pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa. Ao todo estiveram presentes cerca de 60 pessoas.

 

A oferta dessa capacitação foi definida em seminário realizado no ultimo mês de setembro. A proposta incluiu ainda a criação de um grupo de trabalho para receber e compartilhar conhecimentos técnicos relativos à identificação do inseto, que vem se tornando uma praga em ambientes urbanos, e conhecer o modo como o besouro metálico ataca espécies arbóreas, especialmente a munguba (Pachira aquática) e a paineira (Ceiba speciosa).

 

 

Treinamento

Na primeira parte do treinamento, foram ofertadas palestras com os temas “Biologia do besouro metálico Euchroma gigantea L”, apresentada pela engenheira agrônoma do Jardim Botânico da Fundação, Maria Aparecida Rocha Resende, e “Histórico do problema, identificação de espécies hospedeiras e sintomas de ataque deste inseto”, apresentada pelo engenheiro agrônomo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Sérgio André de Souza Oliveira.

 

À tarde, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer o Laboratório de Fitossanidade e ainda percorreram algumas áreas da Fundação para conhecer as duas espécies mais atacadas, paineiras e mungubas, e identificar o ataque e a presença do besouro nestas árvores.   

 

De acordo com a gerente do Jardim Botânico, Míriam Pimentel, o treinamento, além de capacitar profissionais de Belo Horizonte e Região Metropolitana que lidam com arborização urbana para que possam reconhecer o besouro, identificar as espécies susceptíveis ao ataque e os sinais e sintomas que elas apresentam, também foi importante para fortalecer a cultura de cuidado com a arborização urbana.