Pular para o conteúdo principal

Guarda municipal e policial civil em evento carnavalesco

​Campanha contra assédio tem ação educativa da Guarda Municipal e Polícia Civil

25/02/2019 | 18:04 | atualizado em 24/05/2019 | 15:07

A atuação do Grupo contra o Assédio Sexual a Mulheres no Transporte Público, da Prefeitura de Belo Horizonte, será intensificada e ampliada durante o Carnaval de 2019. O trabalho já começou na noite da última sexta-feira, dia 22, quando as agentes femininas da Guarda Civil Municipal que integram o grupo distribuíram folhetos educativos para os foliões do bloco Abre-te Sésamo, no Centro. Policiais civis da Delegacia Especializada de Mulheres também participaram da ação, marcando a parceria firmada esta semana com a Prefeitura da capital.


Por volta das 19h, o Grupo chegou ao local marcado para a concentração do bloco, na rua Curitiba, esquina com rua Tupinambás. Após a chegada dos policiais civis, as equipes deram início às abordagens, distribuindo cartilhas e folhetos educativos da campanha contra o assédio.


Alerta


Poucos minutos antes do início do deslocamento do bloco, às 21h, os organizadores do Abre-te Sésamo cederam espaço para que a agente da Guarda Municipal, Aline Oliveira, e a delegada Carla Vidal, da Delegacia Especializada de Mulheres, utilizassem o microfone do trio elétrico para alertar aos foliões de que importunação sexual é crime. 


Foram distribuídos aproximadamente mil folhetos com informações sobre as atitudes que configuram assédio sexual, quais as punições previstas para o crime e como a vítima deve agir para denunciar o autor. A rede de atendimento disponível para dar agilidade à autuação dos assediadores também é destacada no material. 


Telefones


A campanha vem sendo realizada desde setembro do ano passado pelas agentes femininas da Guarda Civil Municipal em estações de embarque de ônibus e do metrô, para incentivar as vítimas a quebrar o silêncio diante de casos de importunação sexual.  


Durante os eventos do Carnaval, as vítimas devem buscar ajuda recorrendo ao guarda municipal, policial civil ou policial militar mais próximo. Os telefones 153, da Guarda Municipal, 197, da Polícia Civil, ou 190, da Policiar Militar, também podem ser utilizados para denunciar o crime. Outras ações educativas de combate ao assédio sexual serão executadas pelas equipes junto aos blocos, nos próximos dias.