Pular para o conteúdo principal

Quatro gaurdas municipais fazem blitz educativa de prevenção ao uso de cerol; um deles aborda motorista de moto.
Foto: Divulgação PBH

Campanha Cerol Mata é intensificada com blitz educativa em Belo Horizonte

06/07/2018 | 13:08 | atualizado em 06/11/2018 | 10:09

A segunda edição da Campanha Cerol Mata, que este ano tem caráter multidisciplinar, com a participação de órgãos municipais, estaduais e representantes da sociedade civil, entra em uma fase de intensificação das ações, devido à aproximação das férias escolares e do período marcado pela incidência de ventos fortes, que se estende de julho até agosto.

 

Lançada pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção (SMSP), no dia 01/07, a atual campanha teve sua primeira blitz educativa realizada pela Patrulha Escolar da Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH) na manhã desta sexta-feira, dia 06, na avenida dos Andradas, altura do número 7.270, no bairro Pompeia.

 

A escolha do local da blitz, que fica em frente à Unidade de Pronto Atendimento Leste (UPA Leste), não se deu por acaso. No sábado, dia 30/6, uma equipe da Guarda Municipal esteve exatamente naquela unidade para levar um motociclista que apresentava sangramento intenso no pescoço em decorrência do corte provocado por uma linha chilena ou com cerol, quando transitava pela via. Ele precisou ser transferido para o Pronto-Socorro do Hospital João XXIII e atualmente permanece internado, se recuperando da cirurgia no pescoço.

 

Durante a blitz educativa, realizada na manhã do dia 6 de julho, os guardas municipais abordaram motoristas de carros e motos, distribuindo folhetos que alertam a população para o risco de ferimentos graves e até de morte que o uso de linhas cortantes para empinar papagaios provoca, além de destacar as punições que a brincadeira criminosa pode acarretar para os responsáveis. Como medida preventiva, os agentes também instalaram anteninhas de proteção nas motocicletas que não tinham o acessório.

 

Números

Somente de janeiro até agora, foram registrados 25 acidentes com cerol em Belo Horizonte. No mesmo período de 2017, o total era de 40 casos relacionados com o uso de linha chilena ou com cerol. A redução é motivo de comemoração, mas fatos ocorridos recentemente, como a morte de um motociclista em Contagem, evidenciam que o problema ainda demanda atenção e ações efetivas para ser combatido.

 

Cerca de 70 latas envoltas com linha chilena ou com cerol já foram apreendidas pela Guarda Municipal durante abordagens preventivas feitas na cidade, somente neste mês de julho. No ano passado, o saldo total de apreensões, referente ao período de julho a dezembro, chegou a 2.032 latas. O telefone 153 da Guarda Municipal pode ser utilizado por todo cidadão que flagrar alguém usando linhas cortantes para empinar papagaios.

 

Os agentes da Patrulha Escolar, por outro lado, tentam também resgatar o aspecto lúdico da brincadeira com o papagaio, retirando dela o caráter de competição.  Por meio de palestras em escolas e parques, além da realização de oficinas de pipas, em que ensinam as crianças das escolas da Rede Municipal de Educação a confeccionar papagaios, usando apenas material de fácil decomposição na natureza, eles destacam ainda a importância de soltar pipas somente em espaços mais amplos e longe da rede elétrica.

 

 

06/07/2018 Blitz educativa Cerol Mata