Pular para o conteúdo principal

Mais de vinte membros da Academia da Cidade do bairro Confisco se exercitam vestidos de rosa, em homenagem a prevenção do câncer de mama.
Foto: Carolina Rodrigues

BH em Pauta: Pampulha faz campanha contra câncer de mama

17/10/2017 | 15:10 | atualizado em 07/11/2017 | 12:16

A Academia da Cidade no bairro Confisco, região da Pampulha, vestiu a camisa da campanha de prevenção ao câncer de mama. Cartazes sobre o chamado Outubro Rosa estão afixados no local para conscientizar não apenas os 326 alunos frequentes do espaço, como também toda a comunidade. Para marcar a adesão, as professoras Aline Paiva e Carolina Rodrigues promoveram no início do mês dois dias de atividades pedagógicas e de engajamento.


Promover saúde e contribuir para melhoria da qualidade de vida são os principais objetivos da Academia da Cidade, projeto desenvolvido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Saúde. Atualmente, há 76 unidades na capital mineira.

Além das aulas de ginástica, os alunos da Academia da Cidade Confisco participaram de um bate-papo sobre o câncer de mama com Fernanda Meyer de Castro Oliveira, enfermeira do Centro de Saúde Confisco, e sobre alterações no metabolismo feminino após os 40 anos, com Suellen Fabiane Campos, nutricionista do Núcleo de Apoio à Saúde da Família.

Ainda para celebrar o apoio à campanha, houve também um aulão de ginástica com as professoras da academia e atendimentos estéticos realizados pelas próprias alunas, em que foram oferecidos serviços voluntários de manicure, corte e escovação dos cabelos e design de sobrancelha.

A educadora física Aline Paiva ressalta a importância de promover esses momentos que incentivam o autocuidado. “A Academia da Cidade é um local onde conseguimos atingir várias pessoas e aproveitamos as oportunidades para incentivar os cuidados com o corpo e a mente.” Já a educadora física Carolina Rodrigues explica o objetivo da atividade: “É alertar nossas alunas sobre a prevenção do câncer de mama e também ajudá-las a fortalecer a autoestima.”

Cabeleireira e manicure profissional, Erminda Oliveira Marques frequenta as aulas da Academia da Cidade há quatro anos: “Fui convidada pela Aline para vir como voluntária. Foi muito prazeroso ver o sorriso das colegas. Participar das atividades da academia foi o que me tirou da depressão. Os passeios, as palestras, tudo nos ajuda.”
Aos 80 anos, Ana Maria Silva Avelino voltou a frequentar as aulas há apenas um mês: “Venho duas vezes na semana. Gostei de participar do evento. Vim para fazer as unhas”, disse ela, mostrando as mãos.

“Academia da Cidade é local de convivência e novos hábitos. Conhecemos pessoas e fazemos amizades. Gosto dos eventos porque trazem oportunidade e conhecimento para nós”, disse a dona de casa Mirian Souza, 44, que frequenta as atividades da Academia da Cidade Confisco há mais de dois anos.



Avaliações físicas

As atividades nas Academias da Cidade são realizadas de acordo com a necessidade e condições físicas de cada pessoa. Antes do início das aulas, os usuários passam por uma avaliação física com um profissional de educação física para que sejam direcionados ao treinamento mais adequado.

As atividades realizadas visam à melhora do condicionamento cardiorrespiratório, consciência corporal, flexibilidade, força e coordenação motora geral, por meio de ginásticas, danças, jogos, esportes, lutas e caminhada orientada.

A atenção à saúde do usuário também é um dos focos do trabalho desenvolvido pelos profissionais das Academias da Cidade. Por isso, é comum que sejam promovidas palestras, oficinas e outras atividades para tratar de temas como alimentação saudável, combate ao tabagismo, entre outros. “Participo há quase dois anos. É muito bom porque eles cuidam da gente, explicam os exercícios direitinho e prestam atenção nos movimentos que a gente faz”, afirma a frequentadora Maria Cavalcante Jorge, 76.



Laço rosa

O movimento conhecido como Outubro Rosa surgiu na década de 1990 para estimular a participação da população feminina no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente, em todo o mundo, com o objetivo de compartilhar informações sobre a doença, promover a conscientização, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade de mulheres. O nome Outubro Rosa remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades nas campanhas de prevenção do câncer de mama.

No Brasil, o câncer de mama responde anualmente por 28,1% dos casos novos de câncer. A prevenção e a detecção precoce são aliadas para vencer a doença. E uma das principais formas de diagnóstico da doença é por meio da mamografia. Em Belo Horizonte, esses exames são agendados nos centros de saúde da capital e realizados nos estabelecimentos da rede credenciada ao SUS/BH, dentre hospitais, clínicas e laboratórios. Em 2017 foram, até julho, 72 mil procedimentos de mamografia realizados pela Secretaria Municipal de Saúde. Até o final de setembro deste ano, foram mais de 260 mil consultas. De abril ao início do mês de outubro, foram ofertadas 1.542 consultas com mastologistas e realizadas 793 consultas para cirurgias oncológicas em mastologia.
 
 

17/10/2017. Academia da Cidade Confisco. Fotos: Andréa Moreira/PBH