Pular para o conteúdo principal

Criança com toca do Homem aranha pinta camiseta branca em mesa; à sua frente, vários potes de tinta.
Foto: Jana Campos

BH em Pauta: Crianças aprendem sobre artistas brasileiros

01/08/2017 | 15:50 | atualizado em 04/08/2017 | 18:28
Brincadeira de criança é coisa séria. E cada brincadeira pode ser utilizada para o lazer e a socialização, mas também como oportunidade de aprendizagem e desenvolvimento de valores. Na Unidade Municipal de Educação Infantil (UMEI) Santa Rosa, os estudantes aprendem brincando. Os temas são desenvolvidos dentro de projetos institucionais que envolvem diferentes conteúdos e linguagens com o objetivo de levar a criança a uma compreensão mais profunda e significativa de seu ambiente.

A cada ano, a escola escolhe um tema a ser trabalhado de maneira transversal em todas as disciplinas. A coordenadora pedagógica da UMEI Santa Rosa, Maria Clara Duca, explica que o trabalho na escola norteado por projetos institucionais permite o envolvimento conjunto, um compartilhar de conhecimentos e de descobertas entre professores e crianças. “Elas são capazes de questionar, de criar e de encontrar soluções. Ao se envolverem com o tema, elas contribuem para o desenvolvimento, no sentido de sugerir questões e linhas de investigação, além de assumirem, juntamente com a professora, a responsabilidade pelo encaminhamento e orientação que o projeto terá.”

Ao longo deste ano, a escola está desenvolvendo o projeto institucional “Brasil: Belezas e Riquezas da Nossa Terra.” O corpo docente da escola discutiu sobre a importância de se trabalhar o tema Brasil, ressaltando o que o país tem de melhor, de beleza, diversidade e riqueza. “Nosso país é uma mistura maravilhosa e incrível de costumes e tradições, possuindo uma diversidade cultural riquíssima. Além disso, é rico nos aspectos naturais, como fauna, flora, relevo, o que permite explorar vários eixos importantes do currículo escolar, como cultura, natureza e sociedade, matemática, linguagens oral, escrita e plástica-visual, entre outros”, comenta a coordenadora.

Dessa forma, cada turma escolheu o nome de um estado brasileiro, propondo um trabalho conjunto e complementar entre as demais. Todas as turmas trabalham a temática, fazem pesquisas e atividades mais específicas a respeito do estado brasileiro escolhido. A proposta é diversificar os trabalhos para que as crianças tenham acesso a diferentes informações nos momentos de troca de experiências.

A coordenadora ressalta que é importante contextualizar e trazer o tema para a realidade das crianças. Os conteúdos trabalhados são bem diversificados. Pode-se estudar sobre culinária e comidas típicas daquele estado, frutas predominantes, danças, ritmos e músicas, costumes, brincadeiras, mitos, personagens e histórias da região, riquezas naturais, pontos turísticos, artistas nascidos naquele estado, entre outros: “A ideia é trabalhar temas transversais, relacionando os conteúdos com cores, formas e movimentos, além de promover a tolerância, reforçar a autoestima, a identidade de cada um e o pertencimento.”


Oficina de Artes

As artes visuais são consideradas uma linguagem e uma das importantes formas de se expressar e de se comunicar no mundo e na sociedade. Na educação infantil, as artes visuais não visam à importância da beleza estética, mas sim desenvolver na criança a capacidade de produzir e criar segundo as habilidades e olhar dela sobre o mundo.

Dentro do eixo linguagem plástica-visual, a professora Jana Campos está aprofundando o trabalho na área das artes plásticas-visuais brasileiras. “Tem sido um trabalho muito rico e as crianças têm feito produções muito significativas”, conta Maria Clara.

Jana Campos é artista e professora de Artes na UMEI Santa Rosa e na Escola Municipal Henfil. Por causa da ligação com as artes, ela percebeu a oportunidade de “unir o útil ao agradável”. O recorte do tema dentro do projeto institucional da escola foi feito após uma pesquisa sobre artistas brasileiros que poderiam contribuir para a ampliação do conhecimento artístico das crianças e, considerando as técnicas usadas por cada um deles, o material de trabalho e as obras que poderiam ser apresentadas para elas.

Cândido Portinari, Ronaldo Fraga, Ivan Cruz, Ataíde Miranda e Jana Campos. Estes cinco artistas serão estudados pelas crianças nas oficinas de artes ao longo do ano. “Os artistas escolhidos proporcionam inúmeras possibilidades de as crianças conhecerem as técnicas utilizadas por eles, as obras e o universo de cada um, o que proporciona uma diversidade de oportunidades para as crianças desenvolverem o potencial criativo”, explica Jana.

“Começamos o ano estudando sobre Cândido Portinari, um pintor paulista com centenas de obras. Dentre elas, escolhemos três para conhecermos melhor: ‘O espantalho’, ‘O menino com pião’ e ‘Grupo de meninas brincando’. Realizamos diversas atividades envolvendo essas obras. Foi bem divertido conhecer e criar a partir das cenas observadas nas imagens dos quadros de Portinari”, compartilha Jana.

Algumas das atividades desenvolvidas foram pesquisa de imagens, rodas de conversas para conhecer a história do artista, releituras das obras, observação de elementos presentes nas obras e recriação desses elementos. Foram realizadas diversas atividades de pinturas, colagem, fotografia, entre outras.

“O que você está estudando?” “Ronaldo Fraga!” “E o que ele faz?” “Faz roupa!”. Essas foram as respostas rápidas dadas pelos alunos das turmas do Bondinho e Zé Carioca da UMEI Santa Rosa, enquanto estudavam sobre o estilista mineiro Ronaldo Fraga. Para Jana, ao misturar moda e cultura, Fraga apresenta o universo da criação de uma forma diferente. “Ele nos fez perceber que a forma como nos vestimos é também uma forma de expressão. Estudamos sobre seu traço e seus croquis de moda e percebemos que, ao estudar croquis de moda, estamos estudando a estrutura do corpo humano. Foi superinteressante as crianças conhecerem uma máquina de costura, como ela funciona e como um tecido se transforma em algo para vestirmos.”


A arte e o lúdico

Entre as atividades desenvolvidas com as turminhas, pesquisas sobre moda em um livro para crianças e sobre a história de Ronaldo Fraga, além de sessões de vídeos sobre o estilista e seus desfiles; pesquisa sobre o processo de transformação do tecido em uma roupa, desde a criação a partir do croqui de moda até a roupa; produção de diversos croquis inspirados no estilo do Ronaldo Fraga e produção das camisas estilizadas, com a pintura e a customização de cada uma com miçangas e botões pelas próprias crianças.

"Mamãe, pintei o espantalho do Portinari. Achei mais legal pintar a minha roupa", disse o aluno Otto Campos Schneider, de três anos, para a mãe, a professora Margarida Lima Campos. “Acompanhei o trabalho desenvolvido pela Jana através de conversas, comentários do Otto e também pelos resultados. A cada dia, o Otto fazia algum comentário em nossas conversas ou quando via algo que associava às imagens trabalhadas.”

Para Margarida, as aulas de artes são importantes para o desenvolvimento das crianças. “As abordagens são sempre lúdicas, trazem para as crianças novas realidades e as transformações de suas próprias realidades, além do estímulo prazeroso do manipular, do autoconhecimento e um novo olhar para si e o mundo. Fico feliz que as crianças tenham essa oportunidade nesse mundo acelerado de hoje! Que encontremos mais ‘Janas’ na nossa caminhada!”


Mostra Cultural

O próximo artista a ser estudado será Ivan Cruz, que possui uma extensa obra retratando brinquedos e brincadeiras de crianças em telas de muitas cores e cenas.

Todos os trabalhos produzidos pelas crianças serão expostos na Mostra Cultural da escola com data prevista para 11 de novembro deste ano. O evento é realizado anualmente na UMEI Santa Rosa e é o momento de todas as crianças e professoras compartilharem as produções e descobertas com toda a comunidade escolar, com exposições e trocas de experiências através de apresentações artísticas das crianças e oficinas realizadas pelas professoras. “É, com certeza, um dos eventos mais esperados e significativos do ano na UMEI. É a grande oportunidade de socializarmos conhecimentos e explorarmos todo o talento de nossas crianças e professoras”, finaliza Maria Clara.

Coordenadora da Secretaria Regional Pampulha, Neusa Fonseca ressalta a importância das aulas de artes no currículo escolar e no desenvolvimento das crianças. “É uma oportunidade de as crianças expressarem seus sentimentos em relação ao ambiente em que vivem e de desenvolverem seu potencial criativo.”
 

 

01/08/2017. Crianças de Umei estudam sobre artistas brasileiros. Fotos: Joana Campos/PBH


Últimas Notícias

Obras sendo feitas nos córregos Olaria e Jatobá, na região do Barreiro Prefeitura inicia mais obras contra enchentes nos córregos Olaria e Jatobá

Serão investidos aproximadamente R$ 18 milhões neste empreendimento, com previsão de término no segundo semestre de 2021.

 

09/07/2020 | 16:48
Informações da Prefeitura sobre o Covid-19 Cidadão pode recorrer contra notificações da Fiscalização de forma digital

O procedimento virtual será adotado enquanto durarem as medidas temporárias de prevenção ao contágio e de enfrentamento ao Covid-19

09/07/2020 | 16:33