Pular para o conteúdo principal

Informativo sobre o Coronavírus em Belo Horizonte
Foto: Arte PBH

Com a fase 2 da reabertura da cidade 92% dos empregos foram garantidos em BH

10/06/2020 | 19:30 | atualizado em 16/06/2020 | 18:45

Levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico aponta que as duas etapas de flexibilização do isolamento social na capital – iniciadas  em 25 de maio e 8 de junho – representam a retomada de 92% dos empregos em Belo Horizonte. O Decreto 17.304/2020 permitia o funcionamento apenas de serviços essenciais em Belo Horizonte, como supermercados, hospitais, padarias, clínicas médicas, entre outros. Em 20 de março, quando o decreto entrou em vigor,  cerca de 776 mil empregos  do setor privado se mantiveram ativos (86%), com o funcionamento normal de 151.295 empresas (82% do total) e de 129.684 Microempreendedores Individuais – MEIs (65% do total).

A medida foi tomada para o controle da disseminação do Coronavírus na capital. Desde então, o Comitê de Enfrentamento à Pandemia de Covid-19 vem analisando os dados epidemiológicos, e em conjunto com o Comitê de Retomada, definindo os estabelecimentos comerciais e atividades que podem ser retomadas gerando o menor impacto possível no controle da Covid-19.

Com a autorização da primeira fase de reabertura em 25 de maio, após análise dos indicadores epidemiológicos, mais de 34 mil trabalhadores passaram a retornar as atividades, com a reabertura de 9.771 empresas e mais de 28 mil MEIs. Dos setores de maior impacto, destacam-se os salões de beleza, com 19.461 MEIs registrados na cidade.  Em termos de emprego, o setor mais expressivo da fase 1 foi o de veículos automotores, que oferece mais de 6 mil vagas no mercado de trabalho formal.

Já na fase 2, a partir de 8 de junho, 5.323 empresas e 8.137 Microempreendedores Individuais (MEIs) foram contemplados. Essas atividades representam cerca de 15 mil empregos formais no município. Com a inclusão desses estabelecimentos na flexibilização, somada aos que já estavam em funcionamento nas fases 1 e de controle, cerca de 89,6% das atividades privadas em Belo Horizonte voltaram a funcionar.

Nessa segunda etapa, a atividade que gerou maior impacto foi a de artigos de uso pessoal (exceto vestuários e acessórios), que representa 2.912 empresas, e 3.973 MEIs, e mais de 9 mil empregos formais na cidade.

 

Monitoramento

De acordo com dados das empresas de telefonia, não foram identificadas mudanças significativas no Índice de Isolamento nas últimas semanas, mesmo com a reabertura gradual. No entanto, uma redução é esperada e os índices vêm sendo acompanhados diariamente pelo Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19, formado por profissionais renomados da área médica integrantes da Sociedade Mineira e Brasileira de Infectologia e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Caso o comitê perceba que a flexibilização tem impactado negativamente nesses dados, as medidas para conter a circulação do vírus na cidade serão tomadas. Isso inclui o fechamento dos estabelecimentos que tiveram o funcionamento permitido e a ampliação de leitos para o atendimento de casos da Covid-19.

 

Próximas etapas

O Comitê de Retomada deverá se reunir nas próximas semanas com as atividades econômicas que ainda não foram contempladas pela política de flexibilização adotada pela Prefeitura para discutir sobre as novas etapas de reabertura e os protocolos sanitários a serem adotados por cada setor.


Últimas Notícias

Realização do evento cultura Sound System Circuito em Casa reúne 20 atrações culturais em uma semana

O Circuito encerra a sua programação de julho e já inicia a de agosto com 20 diferentes atrações.

27/07/2020 | 17:32
Informações sobre a Covid-19 Mais de 3,5 mil pessoas são abordadas desde a lei que obriga o uso de máscaras

Entre os cidadãos abordados, 1.606 estavam devidamente equipados e outros 1.925 estavam em desacordo com a legislação.

21/07/2020 | 14:48