Pular para o conteúdo principal

No palco, atores interpretam cena do Espetáculo "O País do Sol"
Foto: Thiago Miquéias

Formandos da Escola Livre de Artes estreiam peça no Marília

05/12/2017 | 15:31 | atualizado em 05/12/2017 | 17:27

A Fundação Municipal de Cultura apresenta de 8 a 17 de dezembro, quinta a domingo, sempre às 20h, no Teatro Marília, o espetáculo “O País do Sol”, produzido por formandos do curso de Teatro da Escola Livre de Artes (ELA). Inspirada no célebre conto “O homem da cabeça de papelão”, de João do Rio, a montagem mistura jogo narrativo com números de mágica e cenas musicais, incluindo a execução ao vivo de parte da trilha sonora, com clássicos de Noel Rosa, Black Sabbath e Led Zeppelin. A entrada é gratuita, com distribuição de senhas com uma hora de antecedência.

 

A história do espetáculo, que é uma alegoria, apresenta uma sociedade que corrompe o caráter de seu cidadão mais íntegro. O texto de João do Rio (1881-1921), do início do século passado, esmiúça os valores burgueses de uma nação em busca do sucesso, mergulhada na cobiça e em um hedonismo preguiçoso. A adaptação produzida pelos formando da ELA traz o ‘grotesco’ como referência conceitual da composição cênica. A montagem também dialoga com eventos históricos recentes, como a tragédia de Mariana/MG, usando a lama como um recurso de cena.

 

“‘O País do Sol revela o pior e o melhor na construção das relações pessoais no cotidiano. Espelho de um tempo em que as vozes dilacerantes do ódio e da intolerância gratuita ecoam numa sociedade do desencontro e da descrença”, comenta o diretor da montagem, Ricardo Martins, professor da ELA que ensina teatro há 27 anos e possui trabalhos de atuação e direção com a Companhia Lúdica dos Atores, entre outros grupos. A preparação corporal da peça é de Amaury Borges, ator e diretor da Maldita Cia. de Investigação Teatral, e a preparação vocal é de Ana Carolina de Paula, cantora do Coral Lírico de Minas Gerais, da Fundação Clóvis Salgado.

 

 

Escola Livre de Artes

Equipamento público que surgiu a partir do Programa Arena da Cultura, com quase duas décadas de atuação (foi criado em 1998), a Escola Livre de Artes (ELA) é a instituição responsável por executar a maior parte da política de descentralização cultural e formação artística do município de Belo Horizonte. Com cursos e oficinas de curta e longa duração, a ELA oferece capacitações gratuitas a todas as idades nas áreas de Artes Visuais, Circo, Dança, Música, Teatro, Patrimônio Cultural e Design Popular. A instituição já formou milhares de alunos, chegando a um volume de quatro mil matrículas anuais, recentemente.

 

Em 2014, o Arena da Cultura foi reconhecido internacionalmente como prática sustentável, conquistando a primeira edição do ‘Prêmio Internacional CGLU - Cidade do México - Agenda 21 da Cultura’, organizado pela Rede Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU), a mais importante organização internacional de governos locais do mundo.

 

O País do Sol

De 8 a 17 de dezembro | quinta a domingo | às 20h

Teatro Marília (Av. Professor Alfredo Balena, 586, Santa Efigênia)

ENTRADA GRATUITA

Informações para o público: (31) 3277-6319

Últimas Notícias

Cadastro de ambulantes para Carnaval 2018 termina dia 15/12

Dia 15 de dezembro é data final para o cadastro de ambulantes que pretendem trabalhar no Carnaval de Belo Horizonte 2018.

14/12/2017 | 15:50

Nasce filhote de hipopótamo no Jardim Zoológico de BH

Um filhote de hipopótamo africano nasceu dia 6/12 na Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica e está sob os cuidados da mãe.

14/12/2017 | 15:30