Pular para o conteúdo principal

FUNDAÇÃO DE PARQUES MUNICIPAIS E ZOOBOTÂNICA

Parques Municipais

 

Fundação assegura proteção para o meio ambiente

Com o intuito de manter a qualidade de vida de Belo Horizonte e a beleza de suas áreas verdes, no ano de 2005, a Prefeitura da capital criou a Fundação de Parques Municipais - FPM. A instituição administra e mantém mais de 70 parques da cidade, promove programas de educação e manejo ambiental, atividades de lazer, esporte, cultura e cidadania, além de gerenciar os quatro cemitérios municipais, uma capela velório e cinco Centros de Vivência Agroecológica (Cevaes).
 

Parques: patrimônio ambiental da cidade

Os parques urbanos atendem a uma necessidade social surgida com o crescimento das grandes cidades, por protegerem recursos naturais e oferecerem à população opções de conforto e lazer. A preservação desses espaços integra o compromisso da Prefeitura com a qualidade de vida, com o equilíbrio ambiental e a diversidade da paisagem da capital.



Cevae: valorização da cidadania

Espaços público-comunitários, os Centros de Vivência Agroecológica (Cevaes) foram criados com o objetivo de difundir práticas ecologicamente adequadas de segurança alimentar, saúde, educação ambiental e agricultura urbana, entre a população carente de Belo Horizonte. Todas essas ações estão aliadas a programas de capacitação e geração alternativa de renda, possibilitando a melhoria da qualidade de vida na cidade.

 

Zoo-Botânica

Localizada no Complexo da Pampulha, patrimônio cultural da humanidade, a Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (FZB-BH) integra a administração indireta da Prefeitura de Belo Horizonte desde 1991. Ao ser criada, herdou uma história de mais de 30 anos do Jardim Zoológico (inaugurado em 1959), e do Jardim Botânico, transferido naquele ano do bairro Betânia para a Pampulha.
 

Outros dois importantes espaços turísticos compõem a FZB-BH: o Parque Ecológico da Pampulha, inaugurado em 2004 como resultado de ações de recuperação ambiental, e o Aquário da Bacia do Rio São Francisco, aberto ao público desde 2010.
 

Juntos, os quatro equipamentos somam uma área de preservação de cerca de 1,75 milhão de m² com significativo acervo de fauna e flora, cultural e histórico, representando a terceira maior área verde pública de BH.
 

Com a missão de “contribuir para a conservação da natureza realizando ações de educação, pesquisa e lazer, que sensibilizem as pessoas para o respeito à vida”, a Fundação Zoo-Botânica de BH desenvolve importante trabalho de destaque nacional e internacional.

 

Organograma

Notícias em Destaque