Pular para o conteúdo principal

APPIA: um olhar para a infância

atualizado em 18/11/2020 | 16:05

APPIA: um olhar para a infância

 

 

O Projeto Appia está presente em 59 escolas da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte e atende crianças de 3 a 8 anos, com o objetivo de articular e integrar a Educação Infantil e o Ensino Fundamental em um mesmo espaço físico.
 

Proposta Político Educacional

 

Identidade do APPIA: a construção da sua imagem

 

O logotipo:

.A equipe da Assessoria de Comunicação da Smed construiu a identidade visual do Projeto Appia, buscando agregar ao nome uma perspectiva de contínuo. O  degradê de cores, o crescimento e a continuidade do contorno da linha das crianças, a escolha da fonte e o destaque em amarelo da letra “i” demonstram que tudo foi pensado e construído com o objetivo de representar na logo a essência do projeto, a noção de caminho ininterrupto. 

 


O nome Appia

O nome Appia origina-se de uma das principais estradas da  Antiga Roma, a Via Ápia. A estrada recebeu esse nome em homenagem ao político romano Ápio Cláudio Cego e, após ampliada extensão, chegando a 600 quilômetros,  recebeu o nome em latim, de Regina Viarum (rainha das estradas). 

A sugestão deste  nome  abraçou o Projeto de Integração entre a Educação infantil e os Anos Iniciais (Paipp). O nome Appia, além de ser composto pelas mesmas letras do Paipp, traz à tona a ideia de caminho, percurso ininterrupto, podendo ser  ampliado  para além da infância...até a adolescência! 

 
O APPIA em tempos de pandemia
.

APPIA e a reinvenção da escola

Estamos vivendo a possibilidade de um novo tempo! 
Novos hábitos, novas aprendizagens, novas formas de interação social, construindo provavelmente uma nova sociedade. 
Diante disso, é possível a construção de novas instituições escolares? 
Uma nova  família?
Novas concepções?
Quando pensamos em novas concepções,   necessariamente nós mudamos?
Compreendemos que são as novas concepções que estarão fundamentando, também, as novas práticas.
Novas práticas exigem novas perspectivas. 

Estamos numa transição! 
Imersos num  grande desafio para a família e para a escola. 
É preciso (re)pensar a escola, (re)pensar o Projeto Político Pedagógico, (re)pensar as possibilidades que temos diante das dificuldades impostas! 

Diante deste novo cenário,  de pandemia e isolamento social , é fundamental que a Escola, baseada na concepção de EDUCAÇÃO INTEGRAL, tenha como intencionalidade  clara o que é essencial para os estudantes neste momento - CURRÍCULO VIVO,   assumindo  seu papel de   ARTICULADORA  e promovendo a  INTEGRAÇÃO e INTERAÇÃO entre as etapas de ensino, as áreas do conhecimento, as múltiplas linguagens, os saberes do território e as diversas experiências vivenciadas pelos estudantes. 

É imprescindível continuar estimulando-os  a lerem o mundo e a fazerem narrativas dos mais diversos materiais, lugares e situações, em constante articulação com os seus conhecimentos e  os conteúdos acadêmicos,  propiciando, assim, seu desenvolvimento em todas as dimensões – intelectual, física, emocional, social e cultural. 
A aquisição destes novos sentidos e significados e de novas habilidades torna-se cada vez mais necessária para interpretar o entorno, a cidade, o mundo  e a própria vida. 

Este  é o  grande projeto coletivo que deve ser  compartilhado por toda a comunidade escolar: crianças, jovens, famílias, educadores e gestores !!!