Pular para o conteúdo principal

APPIA: um olhar para a infância

criado em 07/07/2020 - atualizado em 03/11/2021 | 15:19

Inscrição para seleção de assistentes voluntários(as) de alfabetização

 

Lamentamos informar que, devido a problemas de registro das respostas no formulário, as inscrições para assistente voluntário de alfabetização foram canceladas e reabertas em um novo link, disponibilizado abaixo.

 

Os(As) estudantes interessados(as) que responderam ao formulário anterior deverão inscrever-se novamente e outros podem fazer novas inscrições, no período de 04 a 14 de novembro.

 

A Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte (Smed) abre o processo para seleção de assistentes voluntários(as) de alfabetização para atuação nas escolas municipais, em atendimento às demandas do Programa Tempo de Aprender. 
 
Os(As) assistentes voluntários(as) de alfabetização prestarão serviço de natureza voluntária, conforme Lei Federal nº 9.608, de 18 de janeiro de 1998, e atuarão no Programa Federal Tempo de Aprender, uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) que visa garantir apoio técnico às turmas de alfabetização de 1° e 2° ano do Ensino Fundamental. 
 
No programa, os(as) assistentes voluntários(as) de alfabetização selecionados(as) receberão uma ajuda de custo mensal de R$150,00 (cento e cinquenta reais) por turma. Cada assistente deverá atender de 4 a 8 turmas, com carga horária semanal de até 40 horas, de acordo com o desenvolvimento e a organização das escolas municipais de Ensino Fundamental que poderão recebê-los. O valor objetiva auxiliar em despesas com transporte e alimentação. 
 
Os(As) interessados(as) poderão se inscrever, gratuitamente, através do link abaixo.
 

Nova Inscrição

 

Critérios de seleção - Programa Tempo de Aprender

 

Para participar do processo seletivo é necessário:

•    ser estudante de graduação, preferencialmente em Pedagogia ou licenciaturas, de instituição de ensino localizada na região metropolitana de Belo Horizonte; 
•    ter disponibilidade para se dedicar ao Programa Tempo de Aprender. 

 

Atribuições do(a) assistente voluntário de alfabetização: 

 

O(A) assistente voluntário(a) de alfabetização apoiará o(a) professor(a) alfabetizador(a), conforme a Resolução nº 06, de 20 de abril de 2021. Para isso, ele deverá:

•    realizar atividades de acompanhamento pedagógico sob a coordenação e a supervisão do(a) professor(a) alfabetizador(a) da turma;
•    auxiliar o(a) professor(a) alfabetizador(a) nas atividades estabelecidas e planejadas;
•    elaborar e entregar à gestão pedagógica escolar o relatório mensal das atividades pedagógicas realizadas;
•    cumprir carga horária de acordo com as diretrizes e especificidades do programa; 
•    cumprir, com responsabilidade, pontualidade e assiduidade, suas obrigações junto ao programa;
•    participar de formações indicadas pelo MEC e pela Smed para aperfeiçoamento de sua atuação e desempenho de suas atribuições;
•    desenvolver outras atividades correlatas, mas nunca atuar como substituto do(a) professor(a) regente.
      
A partir das inscrições, será composto e disponibilizado um banco de dados a fim de que cada direção de escola possa selecionar e contactar aqueles que atuarão como assistentes voluntários de alfabetização na unidade escolar. 
 


APPIA: UM OLHAR PARA A INFÂNCIA

 

Appia: um olhar para a infância

Como tudo começou...

 

O Projeto APPIA: um olhar para a Infância surgiu em 2018 com o objetivo de articular e integrar a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, em razão das possibilidades de convívio, em um mesmo espaço físico escolar, de crianças de 3 a 8 anos. 

 

Ele iniciou com a participação da Secretaria Municipal de Educação no Programa Avançado de Implementação de Políticas Públicas - PAIPP, e se constituiu a partir da realização de pesquisa-ação em escolas municipais com atendimento à Educação Infantil e anos iniciais no mesmo prédio. Um grupo de profissionais realizou estudos e planejamentos sobre a infância, sobre os processos de transição da criança e a organização da escola, objetivando integrar essas duas etapas da educação básica na perspectiva de um desenvolvimento contínuo, sem rupturas, ao longo da infância.

 

Foto appia a

 

Esse grupo realizou atividades no interior das escolas envolvendo profissionais, familiares e crianças, numa postura de escuta e disponibilidade para a construção e implementação de um “Plano de Trabalho Pedagógico Integrado”, que estivesse em consonância com o Projeto Político Pedagógico de cada escola, na perspectiva de realização de ações integradas que promovessem a continuidade.

 

As transições são inerentes à vida de todos nós, seja escolar, familiar ou social. Entretanto é necessário pensar as ações escolares com um olhar sensível e cuidadoso para que não se configurem rupturas abruptas para as crianças. Assim, a parceria entre família e escola é fundamental e fundante para o êxito da aprendizagem e do desenvolvimento das crianças. 

 

 Identidade do APPIA: 

 

A definição do nome:

 

O nome originou-se de uma das mais importantes estradas da Antiga Roma, a “Via Appia Antica'', que recebeu a alcunha em latim de Regina Viarum (Rainha das Estradas). Seu nome foi uma homenagem ao seu construtor, o magistrado romano Ápio Cláudio Cego.

A estrada foi construída para ligar todo o território da Roma Antiga. Sua engenharia inovadora, com construções de pontes interligando todo o Império Romano, proporcionou expansão e desenvolvimento ao longo de seu percurso.

 

A sugestão deste nome abraçou a proposta de integração entre a Educação infantil e os anos iniciais do Ensino Fundamental. O nome APPIA, além de ser composto pelas mesmas letras do programa PAIPP, traz em si a ideia de caminho, percurso ininterrupto, podendo ser ampliado para além da infância. 

 

A construção da imagem 

 

logo appia

O logotipo:

 

A equipe da Assessoria de Comunicação da Smed construiu a identidade visual do Projeto APPIA, buscando agregar ao nome uma perspectiva de contínuo. O degradê de cores, o crescimento e a continuidade do contorno da linha das crianças, a escolha da fonte e o destaque em amarelo da letra “i” demonstram que tudo foi pensado e construído com o objetivo de representar na logo a essência do projeto, a noção de “caminho ininterrupto''. 

 

Integrando as propostas: 

 

O comprometimento com uma educação justa e de qualidade social pressupõe práticas pedagógicas que respeitem o desenvolvimento integral, contínuo e progressivo das crianças. Isso exige o cuidado em se planejar e organizar o trabalho pedagógico coletivamente, pensando a criança como ser integral, competente e protagonista do processo de construção do conhecimento. Processo esse que é construído, ampliado e complexificado a partir das experiências vivenciadas pelas crianças e das mediações pedagógicas.

 

O projeto APPIA elaborado inicialmente para atender ao recorte etário de 3 a 8 anos se transformou em uma Política Educacional fundamentada nos princípios da continuidade e da integração dos sujeitos (crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos) e de seus processos de escolarização ao longo das etapas da Educação Básica.

 

Enquanto parte desta política e considerando o atendimento da infância desde o berçário, o APPIA: um olhar para a Infância passa a contemplar também crianças do recorte de 0 a 2 anos.

 

 foto appia 1

 

Configura-se como um programa que possui como projeto estratégico o “InterAção”. Esse projeto visa promover o trabalho pedagógico integrado com as crianças de 0 a 8 anos nas escolas e instituições parceiras, que atendem à infância da Rede Municipal de Educação. Tem como foco garantir o direito à infância e ao desenvolvimento integral com transições harmoniosas, articulando processos contínuos de desenvolvimento, de ensino-aprendizagens escolares na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, bem como as interações e relações entre os sujeitos. 

 

PROJETO INTERAÇÃO: FORMAÇÃO DE/EM REDE

Em construção

PROJETO INTERAÇÃO: PLANO CURRICULAR

Em construção

PROJETO INTERAÇÃO: REPERTÓRIO DE INSPIRAÇÃO

Ações, Mediações e Atividades- Padrões de Desempenho PEAlfa

 

Prezados(as) Coordenadores(as) Pedagógicos(as) e Professores(as),

 

Este documento tem o objetivo de respeitosamente apresentar um diálogo entre a dimensão didática e pedagógica, ou seja, entre os conhecimentos/habilidades que estão na planilha de acompanhamento do PEAlfa e algumas inspirações de possibilidades de ações e mediações pedagógicas.

 

Quando pensamos em alfabetização e letramento, alfabetização matemática e numeramento analisamos os processos de ensino-aprendizagem e ao refletir sobre processos, compreende-se que eles exigem continuidade, sistematização, integração e progressão das aprendizagens. É nesse sentido, que destacamos que a progressão das aprendizagens/conhecimentos/habilidades se fará a partir dos gêneros textuais e seus temas, escolhidos para cada ano de escolaridade, pelos graus de autonomia (com e/ou sem mediação do(a) professor(a) e pelo tipo de experiência vivenciada (mais informal e assistemática ou com sistematização).

 

Assim, o que difere um ano do outro é o grau de autonomia do leitor/escritor, a extensão e complexidade do texto, o vocabulário e os temas dos textos autênticos, tratados em gêneros apropriados aos contextos e próximos do universo diversificado das crianças, bem como as experiências e vivências a serem proporcionadas para o desenvolvimento das habilidades de numeramento e alfabetização matemática.

 

No que tange especificamente à alfabetização e letramento, destacamos que o “Almanaque para alfabetização e letramento” é um repertório de inspiração pedagógica que pode contribuir para criar mais possibilidades e experiências de leitura e escrita para as crianças, bem como uma alternativa para os(as) professores(as), pois permitem às crianças práticas de escrita para lembrarem e registrarem emoções, além de práticas de leitura de textos com diferentes finalidades, possibilitando a reflexão sobre seus usos e sobre o sistema de escrita, de forma divertida e desafiadora.

  

Assim, com leveza e sensibilidade o Almanaque foi elaborado para ser utilizado pelas crianças do 1º ao 3º anos do Ensino Fundamental em processo de alfabetização, tanto para as que estão começando a aprender a ler e a escrever quanto para aquelas que estão consolidando esse processo. O que diferencia sua utilização é a possibilidade de fazer as atividades com apoio ou com autonomia.

 

Diante do exposto, é com muita alegria que convidamos vocês, professores(as), para que inspirados(as) nesse nosso movimento inicial, compartilhem suas práticas com o objetivo de criarmos uma grande rede de solidariedade e de trocas de experiências.  Em breve vamos disponibilizar o link do nosso espaço virtual e lá haverá um pequeno roteiro para o registro das práticas. 

 

Venha conosco tecer essa rede de experiências pedagógicas!

Fraterno abraço!

Equipe da Infância e Núcleo de Alfabetização e letramento 

 

ícone pdf Ações, Mediações e Atividades em Alfabetização e Letramento

    1º, 2º e 3º anos do Ensino Fundamental

 

ícone PDF Ações, Mediações e Atividades em Alfabetização Matemática e Numeramento

    1º, 2º e 3º anos do Ensino Fundamental

 

PROJETO INTERAÇÃO: ACOMPANHAMENTO DO DESENVOLVIMENTO DE APRENDIZAGENS

Em construção

SEMANA DA INFÂNCIA- 2021

Semana da Infância

No dia 25 de agosto comemoramos o Dia Nacional da Educação Infantil, um marco para a infância em nosso país. Essa data foi instituída por meio de um Decreto Federal, em 2012, em homenagem à Dra. Zilda Arns, médica pediatra e sanitarista brasileira, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança. 

 Desde então, a semana do dia 25 de agosto é permeada por reflexões e comemorações. Em Belo Horizonte, a partir da implementação da Política APPIA, passou-se a celebrar a “Semana da Infância”, trazendo para essa comemoração as crianças das turmas dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Acreditamos que a Infância deve ser frequentemente pensada e discutida nas escolas, na imprensa e no restante da sociedade. Defendemos os direitos das crianças de ocuparem espaços educativos e culturais que respeitem esta etapa de seu desenvolvimento.


 Webinar Infâncias em Rede: direito ao acolhimento e à aprendizagem

No dia 25 de agosto foi realizado o “Webinar Infâncias em Rede: direito ao acolhimento e à aprendizagem”. O evento foi apresentado por Ângela Dalben, Secretária Municipal de Educação e por Vânia Gomes Machado, da Equipe “Appia: um olhar para a infância”. O webinar também contou com as participações especiais de Julia Tomchinsky, Diretora de Educação e Impacto Social para a Sesame Worshop e a Sesame Street (Vila Sésamo), no Brasil, e de Bianca Luar, Especialista em Educação Musical/UFMG, cantora e pesquisadora da Cultura da Infância.

 

Assista a live!

 


Vídeo Semana da Infância

Este vídeo foi apresentado na live do Webinar e mostra várias imagens de crianças nas escolas, em comemoração à Semana da Infância.

 

Veja o vídeo!

 


Vídeo Palavra Abraço

Veja o vídeo com áudios e vídeos de algumas escolas e inspire-se para participar da “Virada Cultural”, que será realizada no dia 3 de outubro deste ano.

Para isso, as crianças da sua escola devem responder à pergunta: “O que é um abraço para você”?

 

Grave as respostas dos(as) estudantes em áudio, ou faça vídeos curtos, nos quais eles(as) respondam a pergunta, escrevam ou desenhem a palavra abraço, que poderá ser representada por uma outra palavra que simbolicamente represente o abraço, ou que acolha tanto quanto um abraço. 

 

O material deve ser encaminhado para o e-mail ascom.smed@edu.pbh.gov.br, até o dia 10 de setembro de 2021. 

 

Participe enviando o vídeo de sua escola!
 


Apresentação da Semana da Infância

 

Apresentação feita pela professora Ângela Dalben, Secretária Municipal de Educação e por Vânia Gomes Machado, da Equipe “Appia: um olhar para a infância”. A apresentação mostrou um balanço com dados da Educação Infantil de 2020/2021. Algumas questões foram discutidas, como os protocolos sanitários a serem adotadas nas escolas, o retorno da Educação Infantil e o retorno do 1º ao 3º ano.

 

 Apresentação da Semana da Infância
 


Apresentação Sesame Workshop

Julia Tomchinsky é Diretora de Educação e Impacto Social para a Sesame Worshop e a Sesame Street (Vila Sésamo), no Brasil.

 

Ela fez uma apresentação no Webinar sobre a Sésamo, uma organização sem fins lucrativos, responsável pelo Vila Sésamo, o programa de televisão que diverte e educa crianças desde 1969. A Sésamo tem a missão de contribuir para o desenvolvimento integral das crianças ao redor do mundo.

 

Apresentação Sesame Workshop

SEMANA DA CRIANÇA- 2021

Em construção

ESTUDO NACIONAL DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Em construção